×
349
Fashion Jobs
GRUPO CÃES DE PEDRA
Head of Marketing / Brand Manager
Efetivo - CLT · PORTO
ADIDAS
Senior Sap Apo (Snp/Ibp) Consultant
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Sap Apo (Snp/Ibp) Consultant
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Senior Technology Consultant Sap (Afs) Fico (Finance & Controlling)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Senior HR Specialist - Core Benefits & Time - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
CRM Specialist - Opportunity to Create Impact on The Value And Customer Loyalty
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (m/f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Senior Technology Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Technology Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
TIFFOSI
Comprador de Moda (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - Italian Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
TIFFOSI
Coordenador Logística (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
GRUPO CÃES DE PEDRA
Diretor(a) Creativo Moda Hombre / Mujer
Efetivo - CLT · VILA DO CONDE
GRUPO CÃES DE PEDRA
Designer de Comunicação / Designer Gráfico (m/f)
Efetivo - CLT · VILA DO CONDE
TIFFOSI
Modelo de Provas
Efetivo - CLT · Porto
WETHEKNOT
Copywriting And Digital Content Creator
Estágio · LISBOA
ISABEL MARANT
Store Manager
Efetivo - CLT · LISBOA
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
14 de nov de 2019
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Lucro da Aeffe regista queda nos nove primeiros meses do ano

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
14 de nov de 2019

A Aeffe desacelerou nos primeiros nove meses de 2019. As vendas do grupo de moda italiano, penalizado por um contexto económico complicado, diminuíram, especialmente no segmento de prêt-à-porter, enquanto os custos e investimentos aumentaram. Apenas a Moschino registou crescimento, ao contrário das marcas Alberta Ferretti e Philosophy, que observaram queda, e da Pollini, que permaneceu estável. Assim, entre janeiro e setembro, o volume de negócios da empresa aumentou 1,7% para 269 milhões de euros (um aumento de 1,4% a taxas de câmbio constantes).


A Moschino foi a locomotiva da Aeffe. - © PixelFormula


Quanto aos principais indicadores da empresa, que também detém a licença das coleções de Jeremy Scott e Cédric Charlier, estes também tiveram queda. A Aeffe informou que obteve resultados mistos no setor de vestuário, cujas vendas - que representaram 68% da faturação total - diminuíram 1,3%, enquanto as da divisão de artigos de couro e calçado aumentaram 9,1%, especialmente graças ao êxito dos acessórios Moschino, o verdadeiro motor da Aeffe, responsável por 74% das vendas totais da empresa.
 
Esta queda nas vendas foi acompanhada por um aumento nos custos de produção, marketing, pesquisa e desenvolvimento, mas também pela contratação de "profissionais estratégicos, com o objetivo de promover a atratividade e diferenciação das marcas do grupo", explicou a empresa em comunicado. Os investimentos para continuar a promover o seu posicionamento e garantir uma visibilidade justa também aumentaram, assim como os recursos necessários para reforçar o comércio eletrónico.

O lucro líquido do grupo caiu 16,7%, para 13,4 milhões de euros, excluindo os efeitos decorrentes do IFRS 16. Aplicando o IFRS 16, o lucro foi de 13,2 milhões de euros. O lucro operacional bruto (Ebitda) foi de 46,1 milhões de euros, ou 33,8 milhões de euros excluindo o IFRS 16, um aumento de 24% em comparação com os primeiros nove meses de 2018, mas uma queda de 8,8% comparando os dados sem esse impacto contabilístico.
 
Com 199,4 milhões de euros de faturação, a Moschino registou um aumento de 4,8% nas vendas a taxas de câmbio constantes nos primeiros nove meses do ano, enquanto as vendas da Alberta Ferretti caíram 16,6%, as da linha jovem Philosophy by Lorenzo Serafini diminuíram 3% e as da divisão de licenças caíram 10,3%.

Apesar destes resultados, o presidente executivo da empresa, Massimo Ferretti, mostrou-se otimista: "Num contexto de mercado incerto, caracterizado pela turbulência em países significativos para nós, estamos a avaliar positivamente os resultados dos primeiros nove meses, considerando que o plano de investimentos realizado no ano passado nas áreas de pesquisa e desenvolvimento, produção e marketing ajudarão a fortalecer o posicionamento estratégico das nossas marcas internacionalmente”.

Itália, o principal mercado do grupo com sede em San Giovanni in Marignano, perto de Rimini, com uma participação de 46,5%, continuou a enfrentar queda nas vendas (-2,9%), enquanto os mercados de exportação mais importantes da Aeffe cresceram: Europa, excluindo Itália (+2,2%), Ásia e resto do mundo (+9,9%), representando respetivamente 23% e 25% das vendas. A Grande China (+8%) e a Coreia do Sul (+35%) foram particularmente dinâmicas; os Estados Unidos, que representou apenas 5% das vendas, permaneceu estável (+0,4%).

A 30 de setembro, a Aeffe contava com 63 lojas próprias e 176 franchisings, com o retalho a contribuir com 27% da receita do grupo, com um crescimento de 8,8% no período.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.