×
Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
5 de nov. de 2019
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Lucro da Tapestry supera estimativas trimestrais

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
5 de nov. de 2019

A Tapestry anunciou na terça-feira (5) que superou as estimativas trimestrais de lucro, graças ao aumento na procura por carteiras e roupa da Coach na China e na Europa, que ajudaram a superar as vendas estagnadas na América do Norte. As ações da empresa subiram 4,7% nas negociações do pré-mercado após o anúncio.



A empresa de moda, que tem sede em Nova Iorque, está a investir mais dinheiro para se expandir globalmente, especialmente na China, onde a marca Coach realiza desfiles de moda, faz parcerias com celebridades e usa as redes sociais locais para conquistar consumidores high-spending.

A indústria da moda de ponta tem se concentrado na China, com empresas de Nova Iorque, Paris e Milão a enviarem os seus produtos mais caros para a segunda maior economia do mundo, à medida que os consumidores optam cada vez mais por fazer compras no seu próprio país e não em viagens ao estrangeiro.

As vendas em mesmas lojas globais da Coach aumentaram 1% no primeiro trimestre, enquanto as da marca Kate Spade caíram 16%. A Tapestry informou que o lucro líquido caiu para 20 milhões de dólares, ou 7 cêntimos por ação, no primeiro trimestre encerrado a 28 de setembro, contra 122,3 milhões de dólares, ou 42 cêntimos por ação, um ano antes.

A empresa, que substituiu o CEO Victor Luis pelo presidente Jide Zeitlin em setembro, contabilizou cerca de 76 milhões de dólares em encargos relacionados com uma mudança na forma como contabiliza os arrendamentos.

Excluindo itens, ganhou 40 cêntimos por ação, superando as estimativas dos analistas de 37 cêntimos. As vendas líquidas caíram para 1,36 mil milhões de dólares, abaixo das estimativas de 1,37 mil milhões de dólares, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.