×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
1 de fev. de 2023
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

LVMH, L'Oréal e Shiseido estariam interessadas em entrar no capital da Aesop

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
1 de fev. de 2023

Continuam as especulações sobre o destino da Aesop, marca premium de beleza do grupo brasileiro Natura & Co. Segundo a Bloomberg, os grupos franceses LVMH e L'Oréal, assim como a japonesa Shiseido, estão na disputa para entrar no capital da Aesop.


Boutique Aesop na Rue Montmartre, em Paris - DR


As ofertas que a LVMH, L'Oréal e Shiseido estão a considerar para adquirir uma participação na Aesop avaliariam a marca, fundada na Austrália em 1987, em cerca de 2 mil milhões de dólares (cerca de 1,8 mil milhões de euros), por 100% do capital, informou a Bloomberg citando fontes inteiradas no assunto. A LVMH não comentou a informação e a L'Oréal ainda não respondeu aos pedidos de comentário.
 
Estas negociações podem não levar a ofertas de facto, mas surgem três meses após a Natura & Co, em nota dirigida ao mercado e aos seus acionistas, ter indicado que estuda um possível IPO nos Estados Unidos ou um spin-off da Aesop (tornando-a uma entidade separada).

O grupo, que já havia desfrutado de um forte crescimento graças à sua política de aquisições (Avon em 2020 e The Body Shop em 2017), foi duramente atingido pela inflação. Assim, nos primeiros nove meses do exercício de 2022, encerrando em 30 de setembro de 2022, a Natura & Co registrou um volume de negócios de 4,5 bilhões de euros, o que representa um decréscimo de 9%. No período, a Aesop foi a única marca que cresceu, com vendas de 319 milhões de euros, +22,5%.

Uma marca de vanguarda cobiçada por pesos pesados ​​da indústria da beleza


 
A Aesop, marca de cosméticos naturais com certificação B Corp, oferece os seus produtos em frascos muito sóbrios e com design, apresentados em conceitos de loja únicos. A marca, que conta atualmente com 376 pontos de venda, incluindo 275 boutiques e 101 corners em lojas de departamentos, poderá assim vender parte do seu capital a pesos pesados ​​mundiais do sector da beleza.
 
A L'Oréal, cuja divisão de luxo inclui as marcas Yves Saint Laurent, Atelier Cologne, Carita e Viktor&Rolf, também previa adquirir a marca premium de maquilhagem e perfumaria Byredo em maio de 2022, no entanto o grupo espanhol Puig foi quem a adquiriu do fundo britânico Manzanita Capital, também proprietário da Diptyque e Malin+Goetz.

O grupo LVMH detém 15 empresas de perfumaria e cosméticos, como Parfums Christian Dior, Parfums Givenchy, Guerlain, Fresh, e Make Up For Ever. Marcas que registaram 7.720 milhões de euros em 2022. A gigante do luxo também é proprietária da rede de perfumaria seletiva, Sephora.
 
Por fim, a Shiseido, detentora das marcas Shiseido, Clé de Peau e Drunk Elephant, e que nos primeiros nove meses do seu exercício de 2022 viu as suas vendas aumentarem 4,7%, mas caírem 4,1%, excluindo o efeito cambial, para 762.700 milhões de ienes (5.200 milhões de euros), quer emancipar-se do seu mercado nacional e do mercado chinês. O grupo, que lançou a marca de cuidados para a pele Ulé em França em 2022 e comprou recentemente a Gallinée, marca de cuidados para a pele fundada em 2016 pela francesa Marie Drago, continua proativo nas aquisições.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.