×
373
Fashion Jobs
JD SPORT
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
FOREO
Business Development Specialist
Efetivo · Lisbon
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services - Compensation (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Demand Planner (m/f)
Efetivo · Maia
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
ANDRÉ COSTA S.A.
Sales Assistant
Temporario · PORTO
SWAROVSKI
Vendedor(a) - Outlet Vila do Conde (20/25 Hrs)
Temporario · OPORTO
MINGA LONDON
Copywriter - English
Efetivo · GUIMARÃES
MAJE
Vendedor(a), 20hrs - Porto Norte
Temporario · PORTO
ADIDAS
Specialist Gbs Taxes (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Retail DTC (M/F/D) - Temporary
Temporario · Porto
ADIDAS
Associate Accountant Accounts Payable (m/f)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Vendedor (m/f) Sport Zone Fórum Aveiro
Temporario · Aveiro
Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
26 de mar. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

LVMH quer ter um impacto neutro na biodiversidade até 2030

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
26 de mar. de 2021

A LVMH – o maior player mundial do luxo – quer ter um impacto neutro na biodiversidade até 2030, como anunciou quarta-feira (24 de março) em entrevista, Antoine Arnault, o diretor de Imagem e Meio Ambiente do grupo de luxo.


Antoine Arnault, o diretor de Imagem e Meio Ambientedo grupo de luxo LVMH - Foto de Arquivo - Courtesy of Berluti


“A nossa meta é 'zero desertificação e desmatamento' até 2030 em todas as nossas cadeias produtivas”, declarou Antoine Arnault na entrevista concedida à diretora geral da UNESCO,  Audrey Azoulay, a qual foi publicada no jornal La Croix.

“Os avanços tecnológicos e o facto de todas as grandes empresas do mundo trabalharem simultaneamente nessas questões permitir-nos-ão um crescimento sem poluição em 10 ou 15 anos”, assegurou  Arnault.

A LVMH está comprometida em não usar mais matérias-primas de áreas com alto risco de desmatamento ou desertificação até 2030. “Até esta data, também teremos implantado agricultura regenerativa para todos os nossos insumos estratégicos: uva, algodão, lã, couro ou óleo de palma". E até lá, 5 milhões de hectares de habitat para flora e fauna serão reabilitados pela LVMH, segundo Antoine Arnault.

Para medir esse impacto na biodiversidade, o grupo proprietário de 75 maisons (Louis Vuitton, Dior, Guerlain, Fendi, Dom Pérignon e Bulgari, citando algumas) usará o Global Biodiversity Score, desenvolvido pela CDC Biodiversity, uma subsidiária da Caisse des Dépôts, e irá trabalhar com a empresa Quantis.

Na segunda-feira (22), uma reportagem publicada pelo site especializado Business of Fashion questionou os gigantes da moda, incluindo a LVMH, sobre os seus compromissos eco responsáveis, deplorando as discrepâncias entre os discursos e os factos.

A Kering (proprietária da Gucci, Saint Laurent, Balenciaga, etc.) ocupou o melhor lugar entre os 15 grupos de luxo, retalho e vestuário desportivo estudados, com 49 pontos em 100 no índice.

A LVMH acumulou 30 pontos, atrás da PVH (proprietária de marcas como Calvin Klein e Tommy Hilfiger, com 41 pontos) e a Hermès (32 pontos), situando-se à frente da Richemont (19 pontos).

Antoine Arnault indicou ainda que a LVMH está a intensificar as suas ações “em prol do bem-estar animal”, embora tenha admitido que o grupo “continua a oferecer couros e peles aos seus clientes, pois os substitutos sintéticos podem implicar outros problemas, como a poluição dos oceanos pelos micro plásticos”.

A LVMH ajuda "a salvar espécies, por exemplo os crocodilos, pois segundo os especialistas o desenvolvimento de fazendas de reprodução evitou a sua extinção", disse Arnault. “Não há cosméticos sem espécies vegetais, nem bolsas sem espécies animais... os nossos produtos vêm da natureza e temos o dever de a preservar”, concluiu.
 

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.