×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
15 de jun de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Mango investe 35 milhões de euros na expansão do centro logístico em Lliçà d'Amunt

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
15 de jun de 2021

A empresa de moda catalã continua a investir em logística. Depois de ter apresentado o seu centro na cidade de Lliçà d'Amunt, situada a cerca de 30 quilómetros de Barcelona, no final de novembro de 2019, a Mango anuncia um novo investimento de 35 milhões de euros. O objetivo é realizar a expansão do centro, projetada a partir da sua própria conceção, o que permitirá à empresa poupar 25% nos custos de preparação a partir do canal online.


A Mangoinicia a expansão do seu centro logístico de Barcelona - Mango


A entrada em funcionamento desta nova instalação acrescentará 90.000 metros quadrados de área útil, elevando o centro a uma área total de 280.000 metros quadrados. Dividido em três andares, o centro está dentro do prazo previsto para arrancar apesar do impacto da pandemia. A Mango espera que as instalações iniciem as operações de expedição durante o segundo semestre do próximo ano. Conforme detalhado pela empresa, o centro estará "totalmente operacional omnichannel" em 2023.

Como a empresa informou, na terça-feira (15 de junho), o objetivo da expansão não é outro senão o de permitir ao centro "assumir o crescimento da logística do comércio eletrónico", o que significa poder enviar encomendas diretamente ao cliente final, dar maior capacidade e agilidade à área de expedição e apoiar as novas linhas de negócio da empresa.

"Com a expansão poderemos dar ao centro um carácter totalmente omnichannel, aproveitando ao máximo as atuais instalações e complementando-as com soluções mais específicas para o comércio eletrónico", disse Toni Ruiz, CEO da Mango, acrescentando que "o aumento que estamos a experimentar no comércio eletrónico confirma que o planeamento desta expansão foi a decisão certa, uma vez que nos ajudará a automatizar certas tarefas para sermos capazes de lidar com o volume esperado. A manutenção de investimentos em projectos estratégicos que nos permitam antecipar necessidades futuras e ser mais competitivos é uma prioridade para a empresa".

Mais automatização e capacidade

Desta forma, a expansão contempla a incorporação de automatismos que serão adicionados às atuais funcionalidades do espaço logístico, tais como um classificador para sequenciar encomendas e automatizar a gestão de devoluções; bem como robots móveis autónomos para a movimentação interna do centro; ou um classificador dedicado à gestão de despachos. Através destas inovações, a Mango irá aumentar a sua capacidade de gestão do vestuário até mais 10.000 peças de vestuário por hora. Globalmente, a empresa será capaz de manusear 85.000 peças de vestuário por hora.

A empresa também mantém o seu compromisso com a sustentabilidade nas "práticas de construção responsável do novo edifício, que incluirá a instalação de painéis fotovoltaicos no telhado e estações de carregamento para veículos elétricos". Além disso, a empresa catalã planeia reutilizar a água da chuva do telhado para fornecer água à zona húmida de Can, localizada nas proximidades.
 
Fundada em Barcelona em 1984, a Mango terminou o exercício financeiro de 2020 com um volume de negócios de 1842 milhões de euros, dos quais 42% provinham do canal online. Atualmente, o seu centro logístico centraliza a distribuição das suas mais de 2.200 lojas em 110 mercados e trata do reabastecimento dos 11 armazéns dedicados ao negócio online com o qual a Mango opera em todo o mundo.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.