Marca portuguesa quer criar peças a partir de sobras de roupas de marcas de luxo

A partir do aproveitamento de peças das mais prestigiadas casas de alta costura, cujas coleções não podem ser alvo de saldos ou promoções, a startup portuguesa The Thinker and The Sinner quer criar novos artigos de decoração de luxo desenvolvidos a partir da técnica de patchwork. Para a primeira coleção, a marca utilizou tecidos doados por associações, marcas, amigos e familiares dos criadores.


A almofada Madonna, em homenagem à cantora - Divulgação

Além de promover a reciclagem através do reaproveitamento de materiais, a marca vai doar 10% das suas vendas em 2019 a duas entidades: a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima e ao Movimento Mulheres de Vermelho, criado em 2006 com o objetivo de alertar a comunidade feminina para os problemas cardíacos.
 
Madonna será a homenageada principal da primeira linha de produtos, composta por almofadas.

“É uma coleção sofisticada, única, irrepetível e inteiramente manual, que são as características que definem o mundo da couture”, explica Paulo Julião, diretor de marca e do atelier.


O atelier da The Thinker and The Sinner, em Lisboa - Divulgação
 
“Prometemos ir muito mais longe com gamas diversificadas de produtos sempre dentro do universo couture”, afirma António Peres, cofundador do projeto.

“A nossa primeira linha é a composta por almofadas decorativas, pois estamos a confecionar produto acabado com tecidos usados, mas estamos já prestes a apresentar uma linha de acessórios e mais tarde uma de confecção, com matéria-prima em primeira mão, de restos de coleções de marcas com têxteis para uso pessoal até decoração”, explica.
 
Composta atualmente por uma equipa de sete costureiras, a marca pretende implementar também a criação de uma escola para ensinar as suas técnicas de patchwork

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - DiversosInovações
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER