Marine Serre: futurismo com alma

Foram necessários cinco anos para o júri do prémio LVMH escolher um vencedor francês, mas quando isso finalmente aconteceu, a escolha parece ter sido muito sábia.


Marine Serre - outono-inverno 18/19 - Dan Lecca

Pelo menos, foi essa a opinião da maior parte do público que assistiu ao desfile de Marine Serre, a vencedora da edição 2017 de um dos prémios mais importantes da moda. Uma jovem de baixa estatura, mas cheia de determinação, Marine Serre intitulou o seu desfile de "Manic Soul Machine" ("máquina frenética da alma"), em referência às inúmeras exigências que o sistema de moda impõe a todos os criadores talentosos.

Esta coleção foi especial por vários motivos. Marine Serre inseriu a inscrição "FutureWear" em várias peças, e certamente ofereceu muitas ideias para um estilo de vida moderno, como roupas de caça renovadas, casacos de ganga ou roupas de equitação estilizadas em looks de “sobrevivência” urbanos e estilosos, com uma infinidade de bolsos para telemóvel, garrafa de água, carteira e batom.

"Como criar outerwear nos dias de hoje, esta é uma resposta para o quotidiano atual...Manic Soul Machine? Isso descreve o que eu vivi nos últimos seis meses, e provavelmente o que é a moda hoje. Um universo frenético, no qual todos somos máquinas, e eu só espero conseguir preservar a minha alma", explicou Marine Serre no backstage muito emocionada, rodeada por um grupo de modelos em lágrimas.

Mas a ideia central foram, na verdade, as body stockings, leggings e tops em tecido stretch, com estampados de meia lua, também encontrados em brincos e padrões ampliados e até mesmo no convite eletrónico. A atmosfera geral foi funcional - talvez um pouco até demais -, mas desafiadoramente sexy: as meninas de Marine Serre vão trabalhar com autoconfiança.

"Estou a olhar para o futuro, mas com roupas que podem ser usadas todos os dias", acrescentou a estilista.


Marine Serre - outono-inverno 18/19 - Dan Lecca

Mas, foi durante as últimas entradas das modelos que apresentou as peças mais bem sucedidas, com lenços de seda encontrados em Rouen e Marselha. Serre adornou roupas de surf e tops desportivos com uma série de cachecóis coloridos que flutuavam ao redor do corpo: um híbrido chic para uma Isadora Duncan atual frequentadora de ginásio.

Além do primeiro prémio de 300 mil euros, Marine Serre também recebe um ano de orientação de um executivo da LVMH. No caso de Marine, a pessoa que a está a apoiar é a perspicaz e enérgica Sophie Brocart, vice-presidente sénior encarregada dos investimentos nas novas empresas de moda do grupo, que já mostrou o seu talento na J.W Anderson e Nicholas Kirkwood. Os sapatos criados por este último, em particular as ousadas botas em seda violeta, adicionaram ao desfile a dose certa de luxo.

Assim como as carteiras de lenços de seda em forma de bola de futebol, curiosamente em consonância com a rua do 19º arrondissement onde o desfile foi apresentado. Do lado oposto ao local do desfile, havia graffiti a representar retratos gigantes das estrelas de uma das melhores equipas do futebol francês, o Paris Saint-Germain, cheios de glória.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLuxo - Pronto-a-vestirDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER