×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
23 de nov de 2020
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Máscaras, conforto e "nap dresses" fazem de 2020 um ano único para a moda

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
23 de nov de 2020

A Lyst lançou o seu mais recente relatório Year in Fashion e, como 2020 tem sido um ano atípico, o resultado foi interessante. De acordo com a Lyst, este ano, a moda exerceu o ativismo de uma forma mais forte do que nunca”, uma vez que as roupas e os acessórios expressaram as opiniões dos consumidores sobre questões sociais e políticas.


A máscara foi o item indispensável do ano. - Photo: Mikoto.Raw/Public domain


O grande assunto do ano tem sido a pandemia e, com ela, “o guarda-roupa do dia-a-dia se transformou em loungewear e lingerie”. Também tornou marcas e itens práticos mais desejáveis ​​do que nunca, e sandálias Birkenstock, Crocs, botas UGG e ténis Nike estiveram entre os itens mais procurados.

Mas, numa reviravolta interessante, a Lyst acredita que "como uma reação a um ano inteiro usando calças de fato de treino e raramente roupa mais seletiva, em 2021 vamos arranjar-nos mais, apoiaremos marcas que tenham um propósito e celebraremos a nossa liberdade mais uma vez”.

Este ano, porém, para além de focar o ativismo, a Lyst diz que os consumidores se concentraram na moda de segunda mão e foram influenciados pelo vestido de noiva usado pela princesa Beatrice, bem como pelo vestido vintage Christian Dior de John Galliano que Jennifer Aniston usou no SAG Awards.

É claro que o item mais popular do guarda-roupa é algo que ninguém poderia ter previsto no ano passado: a máscara de proteção, que tem sido o acessório indispensável no mundo inteiro. As buscas pelo item aumentaram 502% num ano e a máscara da marca Off-White foi a mais popular, com um aumento de 450% nas pesquisas de janeiro a março.

O status de estrela da Birkenstock deu também um passo à frente num mundo focado no conforto. As colaborações da marca com nomes como Valentino, Proenza Schouler e Rick Owens deram à Birkenstock um apelo de luxo este ano, com as pesquisas pelas sandálias do modelo Arizona a registarem um aumento de 225% no segundo trimestre.

As sacolas de compras da Telfar tornaram-se, igualmente, um acessório-chave em 2020, com um crescimento de 270% nas buscas semanais pela marca desde agosto.

Enquanto isso, conforme mencionado, a Nike destacou-se nas pesquisas por loungewear, com um aumento de 213% nas buscas pelas suas joggers no período de um ano.

Mas, as mulheres não deixaram os vestidos de lado, embora o conforto tenha sido fundamental. De acordo com a Lyst, os nap dresses tornaram-se sinónimos de calças de fato de treino durante a quarentena”. O vestido de mangas em balão da H&M foi uma das grandes escolhas das consumidoras.

A Lyst também se uniu à StockX para descobrir quais foram os ténis mais procurados do ano e descobriu que, graças à série The Last Dance, os Air Jordans lideraram.

Marcas para acompanhar em 2021 

Com base nos termos mais pesquisados nos últimos seis meses, as marcas que darão o que falar em 2021 incluem a Brother Vellies (+23%), Paris Georgia (+25%), Chopova Lowena (+33%), Thebe Magugu (+27%) e Medeia (+40%).

Marcas revolucionárias que já estão a gerar impacto em 2020 incluem a Marine Serre, que tem visto “um crescimento consistente em popularidade desde o final de março”. O facto de Beyoncé ter vestido um macacão da marca em Black Is King ajudou, pois as pesquisas aumentaram 426% em apenas 48 horas e a estampa lunar de Marine Serre foi o logotipo mais procurado este ano.

As pesquisas por 1017 ALYX 9SM também aumentaram 610% no período de um ano, registando um pico de buscas quando a marca colaborou com grandes nomes como Nike, Moncler, Mackintosh, entre outros. A nomeação do fundador Matthew Williams como diretor criativo da Givenchy em junho “provavelmente aumentará ainda mais o interesse pela marca”.

Com 1,8 milhão de seguidores no Instagram, Fear Of God tem o maior número de seguidores nas redes sociais de todas as marcas mencionadas da Lyst, graças a uma forte clientela de celebridades, incluindo o cliente de longa data Justin Bieber. A colaboração com a marca de alfaiataria tradicional Ermenegildo Zegna também contribuiu para o seu sucesso recente.

E as pesquisas pela Pyer Moss aumentaram 220% num ano, com a ajuda do designer Kerby Jean-Raymond que nomeado diretor criativo global da Reebok em setembro.

Outras marcas de destaque incluem a Casblanca, Martine Rose, Brain Dead, Sunnei e o mercado de Chinatown.

Impacto dos influencers

Embora alguns observadores estejam antecipando o “fim dos influencers” há algum tempo, a Lyst discorda. Na verdade, parece que alguns influencers estão a consolidar-se e outros estão a surgir. Por exemplo, em 2020, o apoio da Telfar a Alexandria Ocasio-Cortez ajudou a marca e o discurso de Kamala Harris ao vencer as eleições americanas aumentou as buscas por fatos brancos, o que mostra que os “políticos estão a tornar-se os novos influencers da moda”.

E as estrelas da música continuam a liderar os rankings de influência. Harry Styles é a primeira celebridade masculina no topo da lista Power Dressers da Lyst, enquanto Beyoncé, Lizzo, Kim Namjoon (RM) e Travis Scott continuam a gerar um grande impacto.

A par e passo, com o aumento da popularidade do Tik Tok, a estrela das redes sociais Charli D’Amelio tornou-se a oitava celebridade mais influente da moda em 2020.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.