×
323
Fashion Jobs
SACOOR BROTHERS
Brand Manager (m/f)
Efetivo · Lisboa
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c. Comercial Ubbo Alfragide
Efetivo · Lisboa
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo · Porto
SALSA
Conversion Rate Optimization Specialist – Otimizar a Experiência de Compra no Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
HR Specialist - Gbs Operations - General Admin (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Project Manager - Fulfilment Programs (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Scm Products - Product Supply / Fulfillment (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - Mobility (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Gbs HR Services (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Procurement Manager (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sap sd (Afs & s4/Hana) (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Scm Products - Product Supply Primary Data (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Supply Chain Management Products - Tms Integration (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Project Manager Supply Chain (M/F/D)
Efetivo · Porto
SALSA
Marketplaces Account Manager - Oportunidade de Contrubuir Para a Internacionalização da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sac/bw-ip/Fico (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior HR Specialist - HR Systems Support (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist - Systems Support (M/F/D)
Efetivo · Porto
FOREO
Marketing Manager - Portugal
Efetivo · Lisbon
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
23 de set. de 2022
Tempo de leitura
8 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Milano Fashion Week: Emporio Armani, Prada, Max Mara e MM6

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
23 de set. de 2022

Quinta-feira (22 de setembro) marcou um dia de desfiles emocionantes em Milão; desde o romance na Riviera da Max Mara e o grande minimalismo da Prada, a uma apresentação liderada por orquestra pela MM6 e gigantescos aplausos na Emporio Armani dirigidos a Giorgio. De repente, o sistema de moda italiano aparece despertar e com uma saúde dura.

Emporio Armani: uma vénia ao rei



O que se pode dizer mais sobre este último desfile da Emporio Armani, que teve uma das maiores aclamações de todos os tempos?! Instável a caminhar, mas radiante e determinado, Giorgio Armani de 88 anos de idade agradeceu os aplausos que ecoavam a um enorme rugido. Numa época marcada pelo falecimento da rainha do Reino Unido, não podia deixar de se sentir impressionado com a grandiosidade da Armani, o decano da indústria.


Emporio Armani - primavera-verão 2023 - Womenswear - Milão - © PixelFormula


Giorgio é o último homem de pé, visto que todos os seus grandes rivais na moda ou se venderam ou se tornaram públicos. Os tantos aplausos desta tarde de quinta-feira (22) foram tanto para a notável carreira e vida de Armani como para a coleção. Que, embora errática, teve momentos de verdadeira beleza.

Encenada diante de uma parede de LEDs e de uma passerelle em tons de um pôr-do-sol desmaiado, a Emporio abriu com fatos de linho de ombros macios, blazers e casacos de motards usados com coberturas de cabeça tricotadas, boinas e shanters tradicionais escoceses. Por isso mesmo, as calças Armani cobertas com saias de tule e gaze foram difíceis de entender, tal como os vestidos de bonecas de bebés com cintura demasiado alta.

Inicialmente, a paleta era alegremente não-colorida; em massa, cru, off-white e bege desbotado. E, logo quando se sentiu uma sensação de tédio, de repente o desfile mudou de roupa com alguns casacos macios de inspiração asiática, dhotis e tanks lindamente estampados com flores tropicais, antes de se chegar ao clímax com tops de lantejoulas cristalinas usadas sobre calças de pijama de seda.

Preparando o palco para a vénia de 40 segundos de Armani, onde zombou de si próprio fingindo que estava a cambalear, antes de sair suavemente, mesmo quando tocou cuidadosamente no pano de fundo de LED para equilíbrio.

Aplausos estrondosos acompanharam o rei da moda italiana ao sair do seu trono; a sua passerelle na Via Bergognone.

Prada: pandemónio exterior e calma no interior



Nenhum desfile em Milão atrai tantos fãs como o da Prada, onde vários milhares de adolescentes se reúnem para aplaudir os seus heróis, dentro e fora da sede da marca.

Pontos de segurança de fato negro transportados para as celebridades que, a julgar pelos fãs, incluíam mais estrelas K-pop que a realeza cinematográfica. Dito isto, um momento caótico seguido de uma exibição verdadeiramente polida de Miuccia Prada e do parceiro de design, Raf Simons.  


Prada - primavera-verão 2023 - Milão - DR


Dezenas de agentes de segurança em fatos pretos transportaram celebridades através da multidão, que, a julgar pelos fãs, incluíam mais estrelas K-pop do que estrelas de cinema. Foi um momento caótico, mas foi seguido por uma exposição de moda verdadeiramente requintada assinada por Miuccia Prada e pelo seu parceiro de design, Raf Simons.

O desfile de moda Prada desta estação foi ambientado em frente às paredes imponentes feitas de papel preto com janelas perfuradas, oferecendo vistas do pôr-do-sol, por cortesia do realizador dinamarquês Nicolas Winding Refn, cujo filme mais famoso é o "Drive", a longa-metragem que lançou o ator canadiano Ryan Gosling. Mesmo as portas dos quatro diferentes espaços de exposição foram feitas de papel recortado e perfurado.

Um conjunto devidamente austero para um desfile que abriu com meia dúzia de fatos monocromáticos. Este é o minimalismo "by" Prada: redingotes de nylon cinzento de capitão de navio da Marinha, usados com leggings de algodão cinzento claro e camisas de menino. A paleta de cores foi surpreendentemente controlada: pérola, massa, cinzento e verde água.
 
A melhor ideia da dupla: um novo macacão, ainda que enfeitado com uma camisa à medida e complementado por leggings. Se quem usar tiver uma figura flexível, parecerá uma estilista milanesa por excelência.

Para a noite, uma série de vestidos de seda estampados que fazem lembrar Rothko e vestidos de cocktail que terminam logo abaixo do joelho. Para noites frias de primavera, vários casacos muito engenhosos, para serem usados do avesso, com apenas um grande botão. Artística, mas nunca antisséptica, com todo o elenco a aparecer com cabelo despenteado e pestanas enormes.

Em todo o desfile parecia haver apenas um sapato, mas era certamente um bom sapato. Um décolleté de salto redondo semelhante a um tamanco feito em preto biselado, limão e laranja fosco.

Enquanto que a nova bolsa de feltro revestida com rosas de pele e feita de couro parecia um sucesso certo. Esta ideia continuou numa série de vestidos camisola, mais uma vez terminada com um punhado de rosas de tecido. Embora os momentos chave da coleção tenham sido as saias semitransparentes, os casacos de embrulho e os vestidos – nos quais as grandes flores pretas eram muito evidentes.

Talvez tenha havido mais ousados e aventureiros desfiles da Prada, mas não se pode deixar de aplaudir a autoridade absoluta destas criações; o genuíno sentido de poder; a autoconfiança geral que estas transmitem.

MM6: estrelas dirigidas por Stravinksy



Uma marca em grande destaque em Milão este mês é a MM6, a linha contemporânea da maison de Martin Margiela, que contratou a Orquestra Sinfónica de Milão de 60 músicos para apoiar um desfile realmente fantástico no seio do Auditorium Fondazione Cariplo.

MM6 | Spring Summer 2023 | Full Show


O local foi em Largo Gustav Mahler, mas a orquestra abriu com "Le Sacre du Printemps" (A Sagração da Primavera) de Stravinsky, uma plataforma perfeita para uma coleção que misturava frisson juvenil e conceptualismo peculiar.

A equipa de design obtém o ADN da Margiela, a partir dos tecidos perfurados utilizados em jeans roxos desfiados ou camisolas/vestidos pretos masculinos cortados com volume e até blazers brancos alongados.

Também triunfou o sentido do inesperado e da sobreposição de materiais, elementos tipicamente associados à MM6. Usar fatos de banho ou leggings como tops desabotoados ou rodar deliberadamente a 90 graus para os transformar em minissaias com fecho de correr. Produzindo jogos visuais muito engenhosos, tais como o mini saco feito de um sapato de ballet dobrado.

O sentido do volume foi também artístico. Como numa gabardine de couro de tamanho exagerado, no look de abertura, sustentada por um grande cinto de tecido e combinada com leggings de micro malha, que terminam num sapato.

Tudo misturado com algumas fabulosas botas/sapatilhas de nylon, por cortesia de uma parceria com o fabricante de esquis Salomon, que também incluiu vários coletes técnicos que dobraram como mochilas.

Sob a liderança da holding OTB de Renzo Rosso, a MM6 cresceu e tornou-se uma marca impressionante, ostentando atualmente 29 flagships em todo o mundo, mais de metade das quais estão localizadas no Japão. Além disso, é vendida em mais de 500 pontos de venda, desde lojas de departamento a grandes boutiques como a Dover Street Market.

Um sucesso celebrado com este desfile realizado no interior do Auditorium Fondazione Cariplo, elogiado no final por longos aplausos.
 
Houve um tempo em que o Cariplo era a maior caixa de poupança do mundo, e é bom ver que a instituição poupou algum do seu dinheiro para construir este auditório acusticamente brilhante, com o seu teto de madeira e paredes interiores.

Max Mara: deusas em godets



Eileen Gray e Renée Perle juntam-se numa ode à sofisticação da Riviera, numa declaração impressionante de pura elegância para a Max Mara.


Max Mara - primavera-verão 2023 - Womenswear - Milão - © PixelFormula


O modernismo cerebral de Gray é evidente em alguns dos vestidos perfeitamente cortados e esculpidos que ocuparam um lugar central na coleção. Referindo-se frequentemente à lendária Villa Eileen E-1027, em Roquebrune-Cap-Martin, nos Alpes Marítimos de França, com a sua planta simétrica ocasionalmente animada por linhas curvas.

A Max Mara construiu uma reputação como a melhor fabricante de casacos em Itália, mas hoje em dia deve ser prestada homenagem à habilidade do diretor criativo, Ian Griffiths, que é agora também uma referência como criador de roupas fantásticas.

O seu material favorito é o linho cru, um linho não tingido que lembra um pano de embalagem, cortado em belíssimas calças de marinheiro com peito dianteiro como jardineiras; blazers com lapelas de tamanho exagerado; e casacos longos lânguidos.

Embora a ideia mais engenhosa de Ian fosse uma série de vestidos godet (uma peça triangular de tecido inserido num vestido, camisa ou luva para o fazer queimar ou para ornamentação, ed.), onde o tecido extra, cortado no viés, fazia com que os vestidos ganhassem volume com grande capricho.

"Ossie Clark ensinou-me tudo o que sei sobre o godets. Ensinou-me todos os pormenores da sua confeção e a importância de incluir o corte de tecido extra no viés", sorriu Griffiths, referindo-se ao seu antigo tutor de moda.

Antes de apontar para um esboço de Clark no seu quadro de humor dos bastidores. Uma série de imagens dos dias felizes dos anos 20 e 30, quando a Riviera estava a ser descoberta por artistas como F. Scott Fitzgerald, Picasso, Stravinsky; e musas como Perle, a amante do fotógrafo Jacques-Henri Lartigue.

Todos encimados por magníficos chapéus. Gigantescos chapéus de palha provençal que torcem e enrolam como se estivessem secos pelo sol. Tudo combinado com plataformas de corda e enormes cestos de palha. Quase se podia sentir o calor de Saint-Jean-Cap-Ferrat numa manhã fria de Milão.

A Côte d'Azur pode ser famosa pela sua selvagem fauna e flora, mas dificilmente havia uma estampa à vista, à exceção de um quinteto de vestidos com estampas florais abstratas, tudo em misturas de cinzento, preto e branco.

Ian incluiu no entanto alguns tons de amarelo, casca de ovo e verde seco, vistos num trio de maravilhosos casacos de caxemira usados sobre fatos de banho entre guerreiros. Também vimos tons de várias tonalidades de azul, tais como o do macacão de trabalho muito usado.

Não admira que tenha intitulado a coleção como "The Blue Horizon" (O Horizonte Azul), um elegante e fresco conjunto de moda que surge numa altura em que muitos outros estilistas parecem estar a esforçar-se um pouco demais.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.