×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
26 de set. de 2022
Tempo de leitura
5 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Milano Fashion Week: fim da linha com Ferrari, Durazzi e Matty Bovan

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
26 de set. de 2022

A Milano Fashion Week terminou com nota alta com o regresso do céu azul. Ao lado de Giorgio Armani, o indiscutível rei da moda italiana, três forasteiros destacaram-se no domingo (25 de setembro) com a sua coleção para a estação de primavera-verão 2023. A Ferrari, que esteve na passerelle da Lombardia pela segunda vez com a sua nova linha de pronto-a-vestir de luxo; Ilaria Durazzi, um novo nome promissor na moda italiana; e o estilista londrino de vanguarda Matty Bovan, que marcou presença em Milão graças ao apoio da Dolce & Gabbana.
 

Um look assinado por Rocco Iannone para a maison Ferrari - Ferrari


Ferrari sai da grande roleta

Tal como na temporada passada, a Ferrari fez todas as paragens, desta vez convidando os seus convidados para um teatro, o Teatro Lirico. A cortina vermelha foi levantada em frente de um público numeroso para revelar um filme que exaltava os valores da empresa. As vistas panorâmicas noturnas de Los Angeles dão o tom. Para a sua terceira coleção, o designer Rocco Iannone foi inspirado pela metrópole californiana em expansão, que encarna todas as possibilidades.
 
Com uma viseira na cabeça e sneakers de cores confortáveis, os modelos masculinos e femininos usavam fatos utilitários em caqui, seguidos de vestuário desportivo  T-shirts, calças cargo largas, camisolas, casacos  combinados com peças mais chiques, tais como tops de seda e blusas, mormente uma série de fatos de gravata e estampados em ganga, nos quais o famoso Ferrari Giallo Modena (amarelo) da fabricante de automóveis estava fortemente presente. Para a noite, os fatos brilhantes cobertos de lantejoulas de prata maxi e saias plissadas iridescentes eram a ordem do dia.
 
O couro foi a estrela do desfile, assumindo o controlo de casacos e calças, mas também de soberbos fatos de condutor, disponíveis em preto, castanho, amarelo e vermelho Ferrari, bem como numa versão de ciclista muito desportiva, como o modelo vermelho com uma risca preta, decorado com as múltiplas marcas dos patrocinadores do Ferrari vermelho da Fórmula 1, que é mais real do que real. E por uma boa razão, este é o fato do piloto estrela da prestigiada Scuderia, Carlos Sainz!
 
"Não queria apenas contar a história do mundo automóvel, mas nesta temporada tentei captar a essência do espírito da Ferrari através de imagens de arquivo e da imaginação criada em torno desta lendária marca. Existem os códigos Ferrari, mas também muitos outros elementos misturados. A começar pelos quatro materiais principais da coleção, algodão, ganga, couro e seda", explica o diretor artístico, que diz ter criado um guarda-roupa "prático e contemporâneo" que funde habilmente a alfaiataria, o vestuário de trabalho e o mundo das corridas automobilísticas.

Ilenia Durazzi : um trabalho feito com o mais pequeno detalhe


 
Durazzi? É o nome emergente que todos falam na cena da moda milanesa. Originária de Urbino, na região de Marches, Ilenia Durazzi não é de forma alguma uma debutante. Aos 34 anos, a italiana conta com 13 anos de experiência no setor do luxo, incluindo oito em Paris. Licenciada pela instituição politécnica internacional Polimoda de Florença, esta amante da arte mudou-se para a capital francesa aos 22 anos para fazer um estágio no departamento de acessórios da Balenciaga sob a égide de Nicolas Ghesquière. Dois meses depois, foi contratada. Depois das malas e sapatos, passou a roupa masculina, que se tornou a sua especialidade.
 

Uma silhueta proposta pelo novo rótuloDurazzi - Durazzi


Mudou-se então para a Maison Martin Margiela, onde gradualmente subiu a escada para se tornar "head designer para menswear". Há cinco anos voltou para Itália e mudou-se para Milão, onde continuou a trabalhar para as principais maisons de moda como consultora (incluindo a Tod's), ao mesmo tempo que colaborava em projetos e exposições de arte contemporânea. Este caminho levou-a a cruzar-se com o artista estrela Maurizio Cattelan, que desde então tem partilhado a sua vida e com quem fundou a sua marca, Durazzi.
 
Um pronto-a-vestir feminino de alta gama com um toque de alta-costura contemporânea. A jovem mulher injeta todo o seu savoir-faire e experiência, confiando numa rede de colaboradores e fornecedores de primeira qualidade, que pacientemente construiu ao longo de uma década. Assim, as suas malas são feitas pelos mesmos fabricantes que as marcas de luxo. Tudo é produzido em Milão, utilizando tecidos que desenvolveu exclusivamente para a sua marca. Uma primeira coleção de testes lançada em fevereiro de 2022 seduziu cerca de 20 boutiques de topo em todo o mundo. Com esta nova coleção para a primavera-verão 2023, apresentada no seu elegante estúdio-showroom milanês, Ilenia Durazzi reforça a sua declaração.
 
Cada peça é impecavelmente cortada e trabalhada até ao mais pequeno detalhe. As malhas ultrafinas são feitas de fio de seda, o casaco de couro preto de napa é realçado por uma fina trança prateada, os botões são marcados com o logótipo Durazzi. Muitas vezes uma torção realça o vestuário, como as calças perfuradas em espírito animal, os vestidos de malha decorados com pérolas ou a saia de couro decorada com ráfia.

A designer começa com peças clássicas, que redefine através de influências da arte e da arquitetura, mas também do mundo equestre, a sua outra paixão. Assim, o fato de treino para desporto está equipado com tiras de couro ajustáveis e proteções entre as pernas como calças de montar, enquanto os calcanhares por baixo dos sapatos planos têm a forma de ferraduras. O posicionamento escolhido é topo de gama, com ênfase nas malas vendidas por entre 1.100 e 1.900 euros, enquanto que o pronto-a-vestir é oferecido a partir de 500 euros, assim como os sapatos, indo até aos 1.400 euros para as botas de montar, a peça emblemática da Durazzi.


Matty Bovan - primavera-verão 2023 - Womenswear - Milão - © PixelFormula


Punk-queer-pop de Matty Bovan


 
De volta à passerelle com Matty Bovan, o designer britânico punk-queer-pop mudou-se de Londres para Milão esta temporada graças ao apoio de Domenico Dolce e Stefano Gabbana, que lhe forneceram os tecidos. Com jacquards, damascos e brocados sublimes, o designer natural de York está a sentir uma grande alegria, dando continuidade às suas experiências.
 
Licenciado pela Central Saint Martins em 2015, vencedor do LVMH Prize, ganhando uma pós-graduação, e do Woolmark Prize em 2021, este especialista em malha mistura alegremente texturas, padrões e cores em construções volumosas e barrocas de retalhos, brincando com associações excêntricas que são um pouco psicadélicas e sobreposições de millefeuilles.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.