Milão: moda e luxo invadem Salão do Móvel

Durante uma semana, todos os olhos estarão voltados para Milão e o seu famoso Salão do Móvel. Quase 500 mil pessoas fizeram a viagem em 2018, contra 300 mil há dois anos. Esta 58ª edição, que começou esta segunda-feira, 8 de abril, deverá bater todos os recordes. O Salone del Mobile, dedicado ao design e mobiliário, realiza-se de terça-feira, 9 de abril, a domingo, 14, mas foi antecipado um dia pelas casas de moda, que há 12 anos criaram a sua própria semana do design "Milano Moda Design".


A marca inglesa Saloni redesenha a galeria Nilufar durante o Salão do Móvel - DR

Alguns players do luxo não hesitaram em tomar a iniciativa, revelando as suas instalações na sexta-feira, 5 de abril. Como a Gucci, que abriu na via Santo Spirito, no quadrilátero do luxo, uma loja pop-up que permanecerá aberta até ao final de junho dedicada à Gucci Décor, a linha de acessórios para a casa lançada por Alessandro Michele em 2017. Ou como os grandes armazéns Rinascente com o projeto The Green Life, realizado com a designer holandesa Sabine Marcelis, que também trabalhou no ano passado com a Fendi.
 
designer criou várias ilhas verdes que instalou em diferentes pontos da loja, bem como nas montras, com plantas a aparecerem e desaparecerem atrás de painéis de plexiglas coloridos, ou na entrada da loja, recriando um passeio pelo Mediterrâneo à sombra de oliveiras centenárias. Um espaço imediatamente invadido por milaneses e turistas, instalando-se nos bancos coloridos aos pés de árvores ou conversando à sombra da sua folhagem. Ao longo da semana, as marcas presentes na loja vestir-se-ão de verde com instalações inéditas e lançarão projetos dedicados, como a Ferragamo com as suas flores de papel, a t-shirt especial da Claudie Pierlot ou o Marni Market.
 
O evento milanês cresceu tanto na última década que se tornou um ponto de encontro incontornável para a moda, sempre em busca de visibilidade e oportunidades para comunicar. Juntamente com o salão oficial, que se realiza na Feira de Milão, em Rho-Pero, com os seus 2.350 expositores de 43 países, o "Fuorisalone", ou seja, o programa paralelo que tem lugar por toda a cidade , reúne em "off" uma miríade de apresentações e outras iniciativas em nome da criatividade, com 1.200 eventos programados, enriquecidos este ano pelas comemorações dos 500 anos da morte de Leonardo da Vinci.

Um ambiente único que oferece uma oportunidade sem precedentes para as marcas comunicarem através de uma variedade de iniciativas: colaborações com nomes famosos do design, coleções cápsula, aberturas de lojas dedicada à casa, festas, exposições, happenings e outros. A maioria dos quais inscritos no calendário "Milano Moda Design", criado pela Câmara da Moda Italiana (CNMI).


A pop-up store dedicada à Gucci Décor até junho - Gucci

Para a sua 12ª edição são anunciadas 37 marcas com 50 eventos e 14 apresentações de coleções dedicadas à casa no programa. A oportunidade ideal para conhecer as estrelas do made in Italy, que fizeram do mobiliário um negócio real, como Armani/Casa, Etro, Fendi, Brunello Cucinelli, Diesel, Missoni Home, Versace Home ou ainda Trussardi. Às marcas apresentadas no passado somam-se este ano: Borsalino, Dondup, Doucal’s, GCDS, Jil Sander, Iceberg, Isaia, laura Strambi, Paula Cademartori, Sportmax, Technogym e Woolrich.
 
As casas de luxo parisienses não ficam de fora, começando com a Louis Vuitton, que também figura no programa apresentado pela Camera della Moda. A marca principal do grupo LVMH fixa-se uma vez mais no Corso Venezia, passando desta vez do Palazzo Bocconi para o Palazzo Serbelloni para desvendar os dez novos trabalhos da sua coleção Objets Nomades, lançada em 2012, imaginados por designers internacionais. Para a ocasião, será apresentada no pátio do palácio a "Temporary Paper Structure", uma estrutura modular feita pelo arquiteto japonês Shigeru Ban.
 
A Christian Dior investe pela primeira vez em força no Salone del Mobile. Após uma primeira incursão em 2016 com a Dior Homme, a outra marca emblemática do grupo de Bernard Arnault desembarcou na capital do design com dois projetos. Primeiro, uma coleção cápsula feita com a famosa empresa de design de interiores milanesa DimoreStudio, fundada pelo grafista americano Britt Moran e o fabricante de móveis toscano Emiliano Salci, que muitas vezes colabora com o mundo da moda (Fendi, Hermès, etc.).


O projetoThe Green Life nas montras de um grande armazém - Rinascente

Além disso, a casa apresentará a coleção de verão 2019 de Maria Grazia Chiuri e a coleção Dior Maison na Antonia, uma das principais boutiques de Milão. Paralelamente, a Dior anunciou o seu apoio como mecenas da exposição milanesa “The Unexpected Subject", focada na relação entre as artes visuais e o movimento feminista, em exibição no Frigoriferi Milanesi Centre for Contemporary Art de 4 de abril a 26 de maio de 2019.
 
A Hermès vai, por seu lado, instalar-se no espaço La Pelota num cenário desenhado por Charlotte Macaux Perelman, diretora artística delegada da Hermès juntamente com Alexis Fabry, que acolherá as novas coleções da maison.

Entre as inúmeras iniciativas, a Paul Smith lança uma coleção de cerâmica com a 1882 Ltd., a Canada Goose presta homenagem à chuva através de uma instalação artística com o artista japonês Kouichi Okamoto. Além disso, a designer Saloni Lodha, da Saloni, marca de roupa britânica com influências indianas, redesenhou a famosa boutique milanesa de design Nilufar. Finalmente, merece destaque a exposição “Tod’s No_Code Shelter: stories of contemporary life” organizada pela Tod’s com o arquiteto Andrea Caputo.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - DiversosLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDecoraçãoEstilo de vida - DiversosSalões de Moda
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER