×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de fev. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Milão regressa a uma semana física da moda feminina

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de fev. de 2022

Após dois anos de pandemia, a Milano Fashion Week dedicada às mulheres prepara-se para regressar a um programa quase inteiramente cara-a-cara. A Camera Nazionale della Moda Italiana (CNMI) anunciou nada menos do que 71 desfiles, dos quais 65 físicos e apenas seis em formato digital, por ocasião da publicação do seu calendário provisório. Esta semana dedicada às coleções femininas de pronto-a-vestir, para a estação de outono-inverno 2022/2023, terá lugar de 22 a 28 de fevereiro.


A nova coleção topo de gama da Ferrari estreia em Milão no dia 27 de fevereiro - Foto: Ferrari


Todos os grandes nomes da moda italiana estarão presentes, desde a Armani à Cavalli, Prada, Moschino, Dolce & Gabbana, Missoni, etc., com o notável regresso da Bottega Veneta, Gucci, Trussardi, Plein Sport e Dsquared2, que voltará a apresentar separadamente as suas coleções de homens e mulheres. Para além destas marcas, a Diesel irá expor pela primeira vez na capital lombarda sob a liderança do seu estilista Glenn Martens, bem como da Ferrari, que recrutou o estilista Rocco Iannone para lançar a sua primeira coleção de moda topo de gama em junho passado.
 
As atenções estarão voltadas para os jovens designers, com uma série de novos nomes. Começando com o rótulo japonês muito cool Ambush, lançado em 2008 pela designer coreano-americana Yoon Ahn com o seu parceiro Verbal, dj, produtor e estrela de hip-hop no Japão, que anteriormente apresentou as suas coleções em Paris. De notar também a chegada à passerelle feminina da Palm Angels, a marca de roupa de rua topo de gama de Francesco Ragazzi, que, tal como a Ambush, vem do luso-britânico New Guards Group (Farfetch), e que até agora se tem revelado durante a semana masculina.

Entre as outras marcas, que darão os seus primeiros passos "físicos" nas passerelles milanesas estão a AC9, Andreadamo, Aniye Records, Cormio, Hans Kjøbenhavn, Onitsuka Tiger e Tokyo James. Todas elas já fizeram sentir a sua presença em épocas anteriores em Milão no programa de apresentações ou no calendário das passerelles digitais.
 
A CNMI afirma num comunicado de imprensa que, de acordo com os últimos regulamentos de saúde em vigor, os "desfiles de moda, apresentações e eventos podem ser realizados pessoalmente, desde que sejam aplicados procedimentos e protocolos para evitar a propagação do contágio de COVID-19, incluindo a obrigação de ter um passe de saúde e de usar uma máscara FFP2 para todos os participantes".
 
O grande organismo da moda italiana congratula-se também com a medida adoptada pelo governo na quinta-feira (3 de fevereiro), que "autoriza os compradores de países onde as vacinas não são reconhecidas pela EMA (European Medicines Agency, ou Agência Europeia de Medicamentos) a assistir aos próximos desfiles de moda de Milão". Os operadores russos vacinados com a Sputnik, em particular, não puderam viajar para a península itálica em janeiro para assistir à Pitti Uomo ou à semana da moda masculina.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.