Mizuno quer conquistar o seu lugar no sportswear com a Wave Rider

Trata-se de uma nova abordagem para a Mizuno. Nesta primavera, a marca desportiva japonesa apresenta a sua coleção «90’s Athletics». Pela primeira vez, envolve-se de forma global no domínio do streetwear com esta coleção destinada a especialistas em sneakers.


A Mizuno foca-se nos sneakerheads com a versão revisitada da sua Wave Rider 1 - Mizuno

Importa mencionar que a marca, fundada em 1906, tem alguns argumentos em termos de modelos vintage. Embora a empresa, com uma forte cultura de desenvolvimento de produtos, apresente a cada temporada novidades de running ou desportos indoor, esta decidiu relançar em 2019 modelos mais antigos atualizados. E a iniciativa começa com a chegada da Wave Rider, que data de 1997. A sapatilha de running, cuja 23ª evolução é vendida aos adeptos de corridas de longa distância, é proposta com cores fortes.

"Há uma demanda por autenticidade nestes produtos e nós, com os nossos arquivos, podemos recuperar muitos modelos”, explica Nicolas Hope, diretor-geral da marca em França. “Isto vem de uma reflexão sobre como despertar a expectativa e o desejo da marca para além dos praticantes orientados para o desempenho. Isso deve permitir-nos alcançar públicos que não a conhecem necessariamente e fortalecer o interesse da marca junto de atletas que poderão usar estes modelos fora da sua prática desportiva.”

Há três anos, a filial italiana da marca iniciou uma linha de alta gama, destinada a uma distribuição premium. Enquanto esta linha RB, com preços acima dos 300 euros, continua o seu caminho nas concept-stores premium, a Mizuno criou uma estratégia de sedução para desenvolver o apetite para a sua linha de sportswear 90’s Athletics. Esta linha, muito mais acessível e destinada a um mercado global, beneficia desde o ano passado de um programa de marketing chamado Kazoku e liderado pelo italiano Luca Marchet. Este programa tem dado visibilidade à marca através de colaborações com marcas e, acima de tudo, lojas street muito específicas, como Highsnobiety, Club75, Patta, Mita Sneakers. Séries limitadas que despertaram o interesse dos sneakerheads.

Este ano, a marca inicia a segunda etapa de desenvolvimento da linha. Em França, Fabien Grimaud, responsável pela categoria Lifestyle, e Katiana René, responsável por marketing de lifestyle e eventos de marca, trabalharam para colocar numa rede bem definida os primeiros modelos, propostos por 145 euros. Um posicionamento que deverá permitir que a coleção seja consistente com os preços atuais dos sneakers.


Mizuno

"Na primeira temporada, integrámos cerca de trinta lojas, na maioria concept stores e especialistas em sneakers como Shinzo, La boîte collector, Nine, ou ainda Le Lieu”, explica Nicolas Hope. “Na Europa, uma centena de pontos de venda disponibilizam a coleção. Ficamos satisfeitos em constatar que estes especialistas conhecem a marca e uma parte da sua história. O nosso objetivo é atingir uma distribuição em 200 pontos de venda em França."

Além do calçado, a marca também para começa a entrar no universo do têxtil, tendo criado um fato de treino com corte e cores definitivamente ao estilo dos anos 90. Uma proposta que se irá expandir nas próximas temporadas. Com arquivos em diversos desportos, a Mizuno tem potencial para apresentar uma proposta diferente no domínio da muito competitiva oferta de marcas de sportswear da década de 90.

No seu exercício fiscal encerrado em março de 2018, o grupo Mizuno registou um volume de negócios de 185,4 mil milhões de ienes, ou 1,48 mil milhões de euros, 30% dos quais fora do Japão. No primeiro semestre do atual ano fiscal, as vendas do grupo melhoraram 5,3%. Na Europa, as vendas voltaram a subir após um declínio no ano anterior. As suas vendas de calçado lifestyle devem permitir-lhe confirmar esta dinâmica no segundo semestre.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

DesportoColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER