×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
22 de jun de 2021
Tempo de leitura
5 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Moda masculina em Paris: 6 desfiles e mais de 20 apresentações ao vivo

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
22 de jun de 2021

Com Paris a sair finalmente do lockdown e os parisienses a desfrutarem da sua cidade sem máscaras, a época das passerelles internacionais masculinas atinge o auge com seis dias de espectáculos esta semana, embora ainda dentro do "crepúsculo" causado pelo COVID-19.


Dior Homme - outono-inverno 2021 - moda masculina - Paris - © PixelFormula


Após um fim-de-semana em Londres no início deste mês desprovido de espectáculos físicos ao vivo, e os quatro dias em Milão com apenas quatro desfiles físicos, Paris encenará seis verdadeiros espectáculos ao vivo, das marcas Hermès, Dior, Bluemarble, Officine Générale, Casablanca e LGN Louis-Gabriel Nouchi.
 
Com 73 marcas listadas no calendário oficial da Fédération de la Haute Couture et de la Mode (FHCM), a organização que supervisiona todos os desfiles parisienses nas passerelles, a temporada de moda masculina estreia na terça-feira (22 de junho), às 15h30, com o aclamado Wales Bonner, antigo vencedor do Prix LVMH e um dos alfaiates mais criativos da Europa; antes de concluir no domingo (27), às 19h, com 1017 Alyx 9SM, do estilista Matthew Williams, que fundou a maison de moda no número 9 da St. Mark's Place, no sempre badalado Lower East Side.

Além disso, 20 marcas exibirão apresentações em passerelle com uma espécie de presença física, com a possibilidade de os convidados se encontrarem com os designers em showrooms e verem roupas ao vivo usadas por modelos.


Jacquemus - primavera-verão 2021 - moda masculina - Paris - © PixelFormula


"De facto, apesar de ainda nos debatermos com esta enorme crise da saúde, a Paris Fashion Week conseguiu sempre manter firme a linha que escolheu, em termos de apresentação de marcas e estilistas importantes e criativos. Penso que muitas marcas internacionais acreditam que se se quer ter um impacto internacional é preciso vir a Paris. E isso vale também para a roupa feminina", disse Pascal Morand, vice-presidente executivo da FHCM.

Várias das principais maisons mais importantes faltarão de novo no calendário de moda masculina de Paris: Comme des Garcons, Junya Watanabe, Givenchy e Yves Saint Laurent. No entanto, Paris sofreu consideravelmente menos perdas do que Milão ou Londres. 
 
"Não quero ser controverso, mas a grande maioria das marcas permaneceram leais a nós. É claro que a crise sanitária foi um grande problema, mas levou a grandes inovações. Levou cada marca a criar uma presença online com grandes resultados. Os números mostram que Paris é também a capital digital da moda. Paris ligou-se realmente à revolução digital, algo que anteriormente não tinha feito muito", acrescentou Morand.


Wales Bonner - outono-inverno 2021 - moda masculina - Paris - © PixelFormula


Duas outras marcas de roupa masculina – Jacquemus e Off/White – realizarão eventos entre a época da moda masculina e a época da alta costura de Paris, que começa a 5 de julho. Através do Instagram, a Jacquemus revelou que irá realizar um evento denominado La Montagne, numa sexta-feira, 30 de julho, cuja coleção estará imediatamente disponível online; enquanto a Off/White realizará um espectáculo na Cidade da Luz no domingo, 4 de julho, o dia perfeito para um designer americano em Paris.
 
A FHCM lançou recentemente uma dupla série de iniciativas verdes, trabalhando com a Price Waterhouse e outras empresas acreditadas. Tanto para calcular a forma como os desfiles de cada marca podem reduzir o seu impacto ambiental a montante, como para medir o impacto social e ambiental da produção real de cada coleção. 
 
"É um projecto que lançámos na era pré-COVID, no final de 2019. Com pessoas e marcas empenhadas no desenvolvimento económico duradouro e sustentável. É uma parceria rigorosa com marcas e membros. E neste momento estamos na fase de pré-lançamento", salientou Morand.
 
O conceito por detrás da iniciativa é que cada marca responderá anonimamente ao estudo e que todos os resultados serão reunidos para fornecer uma resposta honesta sobre o impacto ecológico da Paris Fashion Week. Os resultados serão divulgados em setembro, antes da próxima estação de pronto-a-vestir feminina, que estreia aqui a 27 de setembro.
 
Olhando para o futuro, Morand previu que a época de setembro "será em grande parte física, naturalmente com as mais rigorosas medidas sanitárias tomadas", com cerca de 100 marcas a encenarem espectáculos e apresentações no local.


Off-White - Coleção Cruise 2021 - moda masculina - Paris -© PixelFormula


A temporada desta semana em Paris é também a primeira com um novo presidente da secção de moda masculina da FHCM, Elsa Lanzo, CEO de Rick Owens. Na quinta-feira (24), às 12h30, o influente designer californiano irá encenar o seu próprio espectáculo, e fá-lo-á, como tem feito nas duas últimas temporadas, criando um evento ao vivo com modelos em Veneza (a cidade onde reside agora) que é transmitido online.
 
"Sim, estamos em Veneza, mas ainda nos sentimos muito presentes no calendário parisiense de moda masculina. As medidas de saúde impedem-nos de mostrar fisicamente em Paris, por isso vamos fazer um espectáculo digital ao vivo novamente como antes. Desta forma, todos podem vê-lo através de streaming. Não há público convidado, mas como estamos a encenar em alguns espaços públicos em Veneza, esperamos que muitos venezianos venham realmente vê-lo. Como da última vez, as pessoas saíram para dar uma volta ou um passeio de bicicleta no Lido, em pleno inverno, e ficaram surpreendidas ao verem o nosso espectáculo. Acabou por ser um pouco mágico", recordou Lanzo.
 
Tal como Morand, Elsa Lanzo acredita firmemente na necessidade de se regressar a um modelo da época da moda que seja inteiramente ao vivo. "Ainda estamos numa fase caracterizada pelo COVID-19, por isso, embora já não seja necessário usar máscaras nas ruas de Paris e a cidade se tenha aberto, para muitas maisons de moda tudo aconteceu um pouco em cima da hora para se poder dar espectáculos ao vivo. No entanto, tenho a certeza que haverá uma estação essencialmente ao vivo em Setembro. É isso que estamos a planear em Rick Owens. Portanto, penso que se nada de dramático acontecer (quem sabe qual será o impacto da variante indiana), em setembro tudo voltará ao normal", disse Lanzo.
 
"As semanas da moda são instituições para as quais acredito firmemente que estamos todos à espera de regressar. O streaming é bom na medida em que se liga a muitas mais pessoas, mas para os compradores, para os jornalistas e para a sua equipa é necessário aquele momento de celebração que é representado por uma estação de moda", concluiu o CEO da Rick Owens.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.