Mode City: queda de 10% da visitação

O Mode City foi bem nesta edição 2015. Enquanto nos últimos anos, a visitação se manteve estável em torno de 15.000 visitantes (numa média comparável, 15.258 em 2014, 15.330 em 2013 e 15.324 em 2012), o número de visitantes passou neste verão europeu a barreira dos 14.000 compradores no salão parisiense da Eurovet.

O Forum das tendências, Mode City 2015. - Foto: Reprodução

Uma queda de 10%, que deve ser imputada ao contingente francês, que poderia ser explicada pela ausência dos compradores "Fashion Pass" com perfil de moda que, após as mudanças de datas dos outros salões de moda que ocorrem no parque de exposições da Porte de Versailles, em particular o Who's Next, ignoraram o Mode City.
 
Mas também pela forte onda de calor que pode ter incitado alguns varejistas a permanecer em suas lojas na ótica de realizar boas vendas ou a comparecer sozinho em vez de dois ou três como haviam inicialmente previsto.
 
Por tudo isso, esta queda deve ser relativizada, pois, segundo muitos expositores, que acharam o sábado e a segunda-feira um pouco calmos e o domingo dinâmico, ela foi compensada pela qualidade dos visitantes. Uma opinião partilhada por Taya de Reyniès, responsável pelo polo lingerie-banho da Eurovet.
 
"Os números são os números, há uma queda da visitação, mas ela não se situa no centro do nosso alvo. Os visitantes que perdemos eram pequenos compradores com perfil mais voltado à moda que vinham, às vezes, simplesmente para observar as tendências. Aqueles que estavam presentes demonstraram sua dinâmica e os retornos dos expositores são excelentes".
 
Assim, mesmo que o contingente francês tenha passado de 30% para 28% da visitação global, França ainda segue à frente do top 10 dos visitantes. E se França se mantém muito bem é graças a um crescimento da visitação das regiões.
 
Os visitantes provenientes da Córsega, Aquitânia, Languedoque-Rossilhão, Midi-Pirinéus, Ródano-Alpes e Baixa Normandia estavam bem representados e assim permitiram o balanceamento com as regiões PACA e Ilha de França, que registaram uma importante queda de (10%).
 
Logicamente, quanto aos vindos do exterior, a visitação passou para 72% do conjunto, contra 70% no ano passado. Mas o topo mudou um pouco, exceto por Itália que, há vários anos, era primeira, mas cedeu desta vez sua posição para a Alemanha e chega na segunda posição, acompanhada pelo Reino Unido.
 
A Espanha e Hong Kong estabilizaram-se respectivamente na quarta e na quinta posições.
 
Mais longe nesta classificação, três países avançaram significativamente (cerca de 15%): o Brasil, que não é mais vítima da Copa do Mundo, os Emirados Árabes Unidos e um fato bastante surpreendente, Ucrânia, cujos compradores regressam pouco a pouco.
 
Por fim, esta edição foi também a ocasião para a Eurovet revelar seu novo conceito Mode City. Este conceito, que tem vocação para quebrar os códigos, via uma organização e uma nova estrutura do espaço entre Mode City e Interfilière, encontrou, segundo Taya de Reyniès, um novo sucesso.
 
"A aposta em torno da cenografia era muito importante. Nós quisemos passar uma impressão mais geral do salão, reorganizando o espaço, mas também propondo o fórum das tendências no coração de salão para que ele seja uma fonte de inspiração para nossos visitantes. No final, os retornos foram extremamente positivos e estamos muito felizes de ter levantado este desafio".

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

LingerieSalões de Moda
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER