×

Moynat nomeia Nicholas Knightly como novo diretor criativo

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de jul de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A casa fabricante de baús Moynat, com uma longa história desde 1849, nomeou o criador inglês, Nicholas Knightly – o designer de artigos de couro da Louis Vuitton –, para ser o seu novo diretor criativo.

O título de Cavaleiro será o de Designer da Maison. O seu primeiro dia na nova posição foi quarta-feira (1 de julho).
 
"Nicholas Knightly será responsável pela completa oferta criativa de artigos de couro. Com sua equipa de design, contribuirá para a renovação contínua da Moynat e, ao mesmo tempo, trabalhará de perto com as equipas de desenvolvimento", disse a maison num lançamento.
 
Desde 2004, Knightly é o diretor de design de artigos de couro da Louis Vuitton e, antes disso, trabalhou na Mulberry. Na Moynat, reportará a Sidney Toledano, presidente e CEO do LVMH Fashion Group e presidente da Moynat, assim como a Lisa Attia, CEO da Moynat.
 

Uma espreitadela dentroda flagshipparisiense da Moynat na Rue St. Honoré - Moynat


"Sidney Toledano e Lisa Attia juntam-se a todas as equipas para dar as boas-vindas a Nicholas, na Moynat, e para lhe desejar muito sucesso no seu novo papel", reforçou a maison.
 
Attia, um veterano do LVMH, juntou-se à Moynat em fevereiro, após passagens pela cadeia de beleza Sephora e pela loja de departamentos Bon Marché.

Nicholas Knightly, um inglês formado na Ravensbourne University London – universidade de comunicação social e design digital, sediada em Greenwich –, tem uma reputação de destaque. Em tamanho, a Vuitton é anã face à Moynat, que tem um emblema notável na Rue St. Honoré em Paris e cerca de 25 outras boutiques em todo o mundo. No entanto, a Moynat é amplamente interpretada como um dos projectos de estimação do homem mais rico da Europa, Bernard Arnault. A Moynat não pertence ao seu conglomerado de luxo LVMH, mas é controlada diretamente pelo grupo familiar Arnault.
 
Uma notável marca francesa que literalmente adormeceu, e parou de negociar no final dos anos 70 do século XX, antes de ser ressuscitada pelo gigante de luxo LVMH, a Moynat, que começou a vida em 1849, é conhecida por fazer baús para carruagens de luxo.


A Moynat que se especializou em malas feitas à medida, acaba denomear o inglês,Nicholas Knightly, como diretor criativo

 
Nicholas Knightly sucede a Ramesh Nair, que foi nomeado pouco depois de a LVMH ter comprado a Moynat em 2010.
 
De acordo com um comunicado da empresa, Nair "está de saída para abraçar projectos pessoais. Agradecemos a sua contribuição para o desenvolvimento da Moynat".
 
Ramesh Nair, que se juntou à Moynat de Hermès, desenvolveu as linhas de Moynat's Réjane, uma bolsa de influência Belle Époque, com o nome da atriz Gabrielle Réjane, com um fecho tipo jóia; e a imponente bolsa Gabrielle, com o seu distinto fecho plano 'M'.
 
A maioria dos críticos classificou o desempenho de Nair como sendo de alta qualidade; e o facto de ter ocupado esta posição por uma década, atesta a sua habilidade e desenvoltura no design.

A Moynat é uma marca centenária, com um pé no presente e outro maior no passado. Fica na memória Pauline Moynat, uma visionária e única mulher a fazer baús na história, que fundou a Moynat em 1849, e logo fez da maison a mais parisiense entre as marroquinarias e fabricantes de baús franceses da época. Fundada na altura da criação do sistema ferroviário, a Moynat registou inúmeras patentes, especialmente para bagagem de comboio. Mais tarde, como pioneira na aventura automóvel, especializou-se em malas feitas à medida, combinadas com a cor da carroçaria do automóvel. O exemplo mais famoso é o porta-bagagens Limousine, patenteado em 1902, e nunca copiado.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.