×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jun. de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Mulberry vai reduzir 25% da força de trabalho

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jun. de 2020

Na segunda-feira (8 de junho), a marca de luxo britânica, Mulberry, anunciou que reduzirá 25% da sua força de trabalho global.

A Mulberry informou
também que, devido ao impacto do COVID-19 na empresa e na economia em geral, e a consequente queda de encomendas, estima que o retorno aos "níveis gerais de vendas seja gradual, a médio prazo".


Mulberry


E, ao contrário do tom optimista adoptado por muitas marcas, em relação à reabertura de lojas, a Mulberry informou que, "mesmo após as reaberturas, as medidas de distanciamento social e a diminuição no fluxo de turistas e clientes continuarão a afectar a receita". 

Portanto, a marca considera ser necessário "gerenciar as operações e a base de custos para garantir à empresa o tamanho e a estrutura adequados para lidar com as condições do mercado". Para isso, a empresa lançará um processo de consulta sobre propostas para reduzir o número de funcionários em "cerca de 25% globalmente”.
 
"Reagimos rapidamente para gerenciar o impacto do COVID-19 e continuamos a executar um plano bem desenvolvido para administrar capital, reduzir custos e manter uma forte posição de liquidez", disse o CEO da empresa, Thierry Andretta. "Apesar do bom desempenho da nossa plataforma digital e omnichannel, líder do sector, e da nossa rede global de revendedores digitais, o fecho de todas as nossas lojas físicas teve e continuará a ter um impacto nos negócios. Lançar este processo foi uma decisão incrivelmente difícil para nós, mas devemos responder às condições desafiadoras do mercado, proteger o maior número de empregos possível e salvaguardar o futuro dos negócios”, explicou Andretta, acrescentando: ”Continuamos confiantes na força da marca Mulberry e na nossa estratégia de longo prazo".

Grande parte das lojas da Mulberry estão fechadas desde a última atualização da empresa a 24 de março, embora as lojas na China e na Coreia do Sul tenham sido reabertas posteriormente e, mais recentemente, algumas lojas no Canadá e Europa. Os canais digitais continuaram a operar em todos os mercados e, embora o CEO tenha afirmado que "o desempenho das vendas digitais foi bom", também enfatizou que "não pode compensar totalmente a queda das encomendas, experimentada com o fecho das lojas".


A Mulberry integra o projecto de criação de máscaras do British Fashion Council - Instagram @mulberryengland


Além dos cortes de postos de trabalho, a Mulberry começará a reabertura gradual de algumas das suas lojas no Reino Unido na próxima semana e já manifestou estar confiante de que vai superar a crise. A empresa explicou que "mantém um diálogo positivo com os credores" para garantir dinheiro suficiente disponível. Até ao momento, possui "caixa líquida disponível e as linhas de crédito permanecem sem uso”.

Um dos mais recentes projectos, anunciado pela marca na sua conta do Instagram @mulberryengland, é a criação de máscaras proposta pelo
British Fashion Council (BFC): "Estamos orgulhosos de fazer parte do projecto de máscaras do British Fashion Council, juntando-nos a outros cinco grandes designers britânicos para contribuir com uma estampa para estas máscaras de proteção facial. Estão agora disponíveis para comprar em pacotes variados, no website do BFC, com 100% das receitas a serem canalizadas para instituições de caridade, o BFC Foundation Fashion Fund e a instituição de caridade para crianças WOHAA".
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.