×
307
Fashion Jobs
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
7 de out. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Nanushka celebra a inovação e apresenta um novo tecido substituto do couro

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
7 de out. de 2022

Por entre uma paleta de cores pastel, os convidados da apresentação da coleção para a primavera-verão 2023 da Nanushka foram recebidos com uma fusão de texturas e uma mistura de técnicas artesanais. Um evento realizado durante a Paris Fashion Week num espaço luminoso no número 51 da Rue de Monceau, onde a empresa húngara optou por apresentar as suas últimas propostas num formato de showroom, depois de ter organizado uma apresentação comovente no Palais Garnier no passado mês de março.


Coleção "Spirit and Matter" para a primavera-verão 2023 - Nanushka


"O principal desta coleção tem sido encontrar beleza em imperfeições", disse a diretora criativa e fundadora da Nanushka, Sandra Sandor, à FashionNetwork.com, explicando que esta abordagem "sempre esteve no coração da marca, mas tem sido enfatizada nesta estação". A coleção, que à primeira vista tem pouco a ver com a imperfeição, criou justaposições fluidas e evocativas em tons neutros e quentes, incluindo reinterpretações das peças da marca, tais como tops ou vestidos compridos em malha, camisas de grandes dimensões, blazers largos e estruturados, saias ajustadas ou calças de cetim. 

O toque moderno foi dado pelo bordado boémio ou pelo logotipo revisitado, um discreto "n" minúsculo incorporado em golas ou conjuntos de ganga com uma impressão ton sur ton, presente tanto na coleção feminina como na masculina. "A coleção dos homens da marca é como a irmã mais nova da Nanushka para as mulheres. As equipas de design trabalham em estreita colaboração", descreve a empresária formada pelo London College of Fashion sobre a coerência estética entre os dois. Inicialmente conhecida como uma marca feminina, a Nanushka também tem peças de vestuário unissexo em ambas as coleções.

A atenção aos detalhes não foi apenas vista no desenho, mas também na conceção das peças de vestuário. "O mais importante foi dar ênfase ao toque humano, com muitos desenhos feitos à mão utilizando técnicas tradicionais. Queria celebrar as técnicas dos nossos artesãos e que as peças de vestuário respirassem aquele toque pessoal e as emoções que lhes são derramadas quando são feitas", disse Sandra Sandor, orgulhosa da sua equipa interna de design na sede da empresa em Budapeste, um atelier que emprega cerca de 20 pessoas

 


Bordados à mão, tops trançados, estampas distorcidas por drapeados ou sacos com um toque original, tecidos com a mesma técnica do crochet que os tapetes, chamaram a atenção entre as propostas, permeadas por uma "abordagem de design intuitiva e orgânica", disse.

"O nosso objetivo é criar um novo património sob a ideia de misturar técnicas tradicionais húngaras com o desenvolvimento de inovações", acrescentou Sandor, mostrando um dos seus sacos mais reconhecíveis. Um acessório de tamanho XXL, ao estilo origami, que foi reinterpretado em patchwork de tons pastel, utilizando restos de stock.

"É um design muito prático que combina os nossos valores de inovação, artesanato e praticidade", continuou, revelando que o segmento de acessórios (que inclui calçado, chapéus, pequenos artigos de couro, óculos e joias) é cada vez mais significativo em termos de vendas para a marca do Vanguards Group, especialmente bolsas", sorriu ao lembrar o potencial da categoria.

Em busca do material perfeito



Chama-se Okobor (que significa "couro ecológico" em húngaro) e é a novidade mais importante da coleção, um material alternativo ao couro que o departamento de inovação da Nanushka tem vindo a trabalhar nos últimos quatro anos em colaboração com players-chave da sua cadeia de fornecimento.

O resultado? Vestuário leve e macio com uma aparência visual semelhante ao couro, declinado em cores pastel como o amarelo claro, azul celeste ou lilás. O material, composto por 56% de poliéster reciclado de garrafas de plástico PET e 44% de poliuretano, utiliza 80% menos água no seu fabrico do que outros métodos de processamento a húmido.


Bolsa origami da Nanushka - Nanushka



"O nosso couro vegan funcionou muito bem no mercado, mas este é ainda melhor. Levou-nos muito tempo a obter o efeito exato que queríamos. O nosso objetivo era conseguir uma nova alternativa de couro, produzida de forma mais responsável, com uma textura luxuosa e uma superfície de maior qualidade", disse ainda Sandor sobre a sua nova marca registada. E concluiu: "A beleza é tremendamente importante. Não acreditamos na produção de vestuário sustentável que não seja belo e agradável ao toque".

Fundada em 2006, a marca sedeada em Budapeste posicionou-se como uma das primeiras marcas premium a abraçar o discurso sustentável e o vestuário de couro vegan. Como parte do conglomerado Vanguards Group, que também opera as marcas Aeron e Sunnei, a Nanushka conta com três lojas próprias em Budapeste, Londres e Nova Iorque. Além disso, a empresa está presente em 140 pontos de venda físicos e em múltiplas plataformas de comércio eletrónico de luxo, tais como a Farfetch, Browns ou MyTheresa. A empresa, que já tem uma centena de empregados, espera encerrar o atual exercício financeiro com um volume de negócios de 50 milhões de euros.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.