×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de mai. de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Natura & Co regista 26% de crecimento no primeiro trimestre

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de mai. de 2021

A empresa brasileira de beleza Natura & Co – proprietária das marcas Natura, The Body Shop, Avon e Aesop – registou mais um trimestre forte, com crescimento de 26% em receitas, acima do mercado de cosméticos, fragrâncias e produtos de higiene pessoal. Esse resultado deve-se ao forte aumento nas vendas digitais, enquanto o EBITDA aumentou 400%.


A marca brasileira The Body Shop também viu a receita líquida aumentar no primeiro trimestre - The Body Shop


A receita líquida consolidada aumentou quase 26% para 9,5 mil milhões de reais, embora tenha sido um aumento de apenas 8,1% à taxa de câmbio constantes. Houve um crescimento nas vendas das três marcas principais, bem como nas da própria marca. O EBITDA ajustado – excluindo os custos de transformação e efeitos de aquisição relacionados à Avon – cresceu 68,5% para 963,2 milhões de reais, com margem de 10,2%.

As vendas online totais do grupo aumentaram 166%, sendo +253% na marca Natura, +132% na Avon e +102%, representando 29% da receita. A marca The Body Shop manteve o ímpeto nos canais de e-commerce e vendas diretas, com um aumento de 119% e 251% respetivamente, representando 51% das vendas totais.

Analisando mais a fundo o desempenho da marca, a The Body Shop viu a receita líquida aumentar 47,7% em reais. E conseguiu compensar a perda de vendas no retalho, principalmente na Europa, graças ao foco no canal de vendas diretas e no e-commerce. O EBITDA no primeiro trimestre foi de 194,2 milhões de reais, com margem de 14,7%.

A Avon International registou um crescimento de 11,4% na receita líquida no primeiro trimestre, com ganhos de participação de mercado em todos os seus oito principais mercados. O EBITDA ajustado foi de 97,4 milhões de reais, com uma margem de 4,1%, devido ao efeito da pandemia em categorias-chave, principalmente na Europa, e aos investimentos estratégicos.

A Aesop teve outro desempenho “excelente”: a receita líquida aumentou 71,9%, com crescimento em todas as regiões, apesar do fecho de lojas na Europa, Canadá e algumas zonas da Austrália.  A marca viu um desempenho “notável” na Ásia e um forte aumento nas vendas online. O EBITDA mais que dobrou para 156,6 milhões de reais, com margem de 26,7%.

A receita líquida da Natura & Co Latam cresceu 24,6% e a receita líquida total da marca Natura 29,6%, com forte crescimento tanto no Brasil (+12,6%), como na América Latina (+60,4%). A receita líquida da marca Avon aumentou 20% em reais, com um forte crescimento de 35,1% na América latina hispânica e uma queda de 2,8% no Brasil. O EBITDA ajustado da Natura & Co Latam cresceu 119,2% para 630,3 milhões de reais, com uma margem de 12,2%.

Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Administração e CEO do grupo, comentou: “Estamos extremamente orgulhosos e gratos a toda a nossa organização e rede de consultoras, representantes e parceiros. O nosso modelo de negócios com uma relação direta com o consumidor mostrou resiliência mais uma vez neste trimestre…”.

Vale a pena lembrar que, no início do mês, a Natura foi reconhecida pela Brand Finance como a marca de cosméticos mais forte do mundo, sendo avaliada em 1,7 mil milhões de reais, um aumento de 19%, graças aos investimentos em marketing, reconhecimento do cliente, satisfação e reputação. As marcas The Body Shop e Avon também marcaram presença no ranking, na categoria das 50 marcas mais valiosas.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.