Net-a-Porter e Gucci associam-se em venda de linha infantil exclusiva

Primeiro os preços especiais, depois a moda masculina e então as joias. Agora, a Net-A-Porter lança-se na moda infantil, mas, em vez de criar um site independente ou uma página dedicada à categoria, a gigante do comércio eletrónico optou por uma pop-up Gucci que irá permanecer por apenas seis semanas ou até terminar o stock, para garantir exclusividade.


Net-a-Porter/Gucci

A partir da próxima segunda-feira, o site de luxo vai vender uma seleção de peças infantis da Gucci. A coleção da marca dirigida por Alessandro Michele será acompanhada por uma campanha que vai retomar as imagens usadas pela Gucci para a sua oferta para adultos. Batizada "The Imagination Booth" e fotografada por Mark Shearwood, conta com ilustrações de animais fantasiosos.

O lançamento da Gucci acontece após o site de moda masculina da Net-A-Porter, Mr Porter, lançar uma secção temporária dedicada à moda masculina de praia, que registou fortes vendas.

Isto talvez não seja uma surpresa, já que o crescimento do mercado de roupas infantis tem ultrapassado o mercado de roupas femininas e masculinas nos últimos tempos. Segundo a Euromonitor, só no Reino Unido o setor deve crescer 13,2% nos próximos cinco anos, chegando aos 6,1 mil milhões de libras. Globalmente, o mercado era avaliado em 203 mil milhões de dólares há dois anos, enquanto a categoria de luxo era avaliada em apenas 5,89 mil milhões de dólares. Este é um segmento em plena expansão, influenciado pelas marcas mais sofisticadas que se aventuram neste setor, e pelos filhos de celebridades, que são fonte constante de inspiração.

A Net-a-Porter registou o nome Petite-à-Porter há vários anos, apesar de ainda não o ter usado, e a Farfetch lançou uma secção de moda infantil no seu site em 2016.

A Net-a-Porter e Alison Loehnis, presidente da Mr. Porter, disseram que os clientes do retalhista são grandes fãs da marca Gucci e que o estilo de Michele funciona para crianças. “Os nossos clientes adoram a Gucci e o ADN da marca traduz-se incrivelmente bem na moda infantil. E eu gostaria de acrescentar que as roupas são incrivelmente fofas”, disse à Vogue. Loehnis também informou que a empresa tem recebido diversos pedidos ao longo dos anos para incluir roupas infantis na sua oferta.

As peças individuais estarão disponíveis para crianças (meninos, meninas, e também unissexo) até os 12 anos de idade.  Alison Loehnis não informou se o grupo de comércio eletrónico pretende ingressar de forma permanente no setor infantil, mas não descartou a possibilidade.

A Net-A-Porter já havia proposto uma linha de roupa para crianças há uma década, mas desde então, a pop-up de moda praia da Mr. Porter foi a sua única outra incursão na categoria. A colaboração com a Gucci, que acompanha de perto essa oferta de moda praia, sugere que deve haver mais por vir, mesmo que seja no formato pop-up.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosDistribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER