Nova Iorque: O hino ao amor da Givenchy para o 11 de Setembro

Muita aguardada na Fashion Week de Nova Iorque, a Givenchy apresentou na passada sexta-feira à noite um desfile espetacular, concebido como uma celebração do amor no dia do aniversário do 11 de Setembro, tendo como pano de fundo a skyline do novo World Trade Center.
Givenchy - primavera-verão 2016 - Womenswear - Nova Iorque - © PixelFormula

Kim Kardashian e Kanye West chegaram com uma hora de atraso, as atrizes Julia Roberts, Uma Thurman e Amanda Seyfried, a rapper Nicki Minaj, os estilistas Alexander Wang, Michael Kors e Vera Wang figuravam entre os convidados. Mais de 800 pessoas do grande público haviam obtido por sorteio o direito de assistir, em pé, ao desfile ao ar livre, assim como mais de 200 estudantes de escola de moda.
 
Os convidados estavam sentados em palhetes de madeira sobrepostos, às vezes instalados em pequenas construções a céu aberto, feitos de madeira reciclada e de placas enferrujadas, construídos para a ocasião no Pier 26, um imenso cais que dá para o rio Hudson, no Sul de Manhattan.

Givenchy - primavera-verão 2016 - Womenswear - Nova Iorque - © PixelFormula

No alto de uma escada, um homem de bata negra segurava duas jovens árvores símbolos da força da vida. Sobre o teto de uma das construções efémeras, outra personagem ostentava uma escada "para lembrar o ciclo da vida e do amor". Um terceiro, também empoleirado, era pulverizado por um jato de água, uma vez que a água estava lá "para limpar o espírito".
 
Os cânticos de um monge budista acompanharam o pôr do sol. E depois das músicas de seis culturas e religiões diferentes, o desfile de 75 manequins foi fechado com a Ave Maria.

Givenchy - primavera-verão 2016 - Womenswear - Nova Iorque - © PixelFormula

Os vestuários eram quase todos pretos ou brancos, com muitas rendas brancas românticas, usadas sobre amplas calças negras, vestidos e túnicas leves de seda, transparências, lenços amarrados, tudo ligeiramente desestruturado. Smokings também, tanto para mulheres como para alguns homens que passaram pelo desfile. Acrescente aí algumas peças de alta-costura e um belo trabalho de máscara, ou rostos que ostentavam joias, bem como gosta Riccardo Tisci, diretor artístico da Givenchy há dez anos.
 
Foi a primeira vez que a casa de moda francesa desfilou em Nova Iorque, por ocasião da abertura da nova loja na Madison Avenue em Manhattan.
 
Riccardo Tisci concebeu seu desfile junto com a artista de origem sérvia Marina Abramovic, e a data de 11 de setembro não lhes escapou, 14 anos depois dos atentados que fizeram 2.983 vítimas em Nova Iorque.
 
"É o dia mais triste da história recente dos Estados Unidos e, como diretora artística, eu quis criar alguma coisa de respeitosa e modesta", explicou Marina Abramovic, em um texto entregue a todos os convidados. "Nossa escolha da música, de seis religiões e culturas diferentes, tem o poder de unir as pessoas sem discriminação", acrescentou a artista. "O evento que criamos juntos trata do perdão, da inclusão, da nova vida, de esperança e, antes de tudo, do amor".
 
"Eu quis fazer um show sobre o amor e sobre a felicidade", explicou por sua vez Riccardo Tisci.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Moda - Pronto-a-vestirDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER