×
267
Fashion Jobs
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - Mobility (M/F/D) - Maternity Leave Cover
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Technology Consultant - Product & Supply Chain (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Tech Project Manager - Sales Tech (M/F/D)
Efetivo ·
PRIMARK - PORTUGAL
Estágio Curricular Manager Comercial
Efetivo · PORTO
ADIDAS
Service Manager - Sales Services (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Buyer - German/Italian/French/Spanish (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Specialist Payroll (m/f) - HR Services - German Speaker
Efetivo ·
ADIDAS
Sap Consultant - bw4hana/Sac (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Sap Consultant - bw4hana/Sac (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Ariba (M/F/D)
Efetivo ·
SACOOR BROTHERS
Fiel de Armazém (Storekeeper) - c. Comercial Colombo
Efetivo · Lisboa
SPORT ZONE
Financial Controller (m/f)
Efetivo · Maia
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c. Comercial Ubbo Alfragide
Efetivo · Lisboa
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sac/bw-ip/Fico (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
FOREO
Marketing Manager - Portugal
Efetivo · LISBON
RITUALS
Sales Assistant (m/f) – Amoreiras – Part Time
Efetivo · LISBOA
RITUALS
Sales Assistant (m/f) – Alfragide – Full Time
Efetivo · CARNAXIDE
CONFIDENCIAL
Gerente
Efetivo · PORTO
JUST FASHION
Modelo de Prova de Roupa Senhora e Assistência Comercial a Vendas em Showroom
Temporario · PORTO
MAJE
Assistant Store Manager - Lisbon Amoreiras
Temporario · LISBOA
CAMPER
Vendedor (a)
Efetivo · LISBOA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
25 de ago. de 2022
Tempo de leitura
7 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

O baluarte do calçado da Louis Vuitton na região do Veneto

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
25 de ago. de 2022

Com o seu longo edifício retangular a brilhar à luz do sol, a fábrica de calçado da Louis Vuitton não passa despercebida. É aqui, no Fiesso d'Artico, entre Pádua e Veneza, espraiando-se ao longo do canal Naviglio del Brenta, que se encontra a fábrica mundial de calçado da marca emblemática da LVMH. É nestas mesmas instalações, onde os "calegheri", os sapateiros venezianos que trabalhavam para os nobres de Veneza, floresceram desde o século XIV, dando origem a um dos mais importantes regiões de sapatos da Península Itálica.


A fábrica de calçado Fiesso d'Artico estende-se a 14.000 metros quadrados - Louis Vuitton


Desde então, os artesãos perpetuaram o seu savoir-faire de geração em geração, realizando até 300 operações à mão para fabricar um modelo de A a Z. A maison de luxo parisiense não poderia ter escolhido um melhor local para um dos seus cinco principais espaços de produção global, sendo os outros o seu histórico atelier em Asnières-sur-Seine, Grasse para perfumes, Genebra para relógios e Place Vendôme em Paris para joalharia. Em 1998, decidiu centralizar a sua produção de calçado em duas empresas familiares na Fiesso, que adquiriu em 2001 para criar a sua própria fábrica. Desde 2008, está alojada neste edifício moderno, concebido como uma caixa de sapatos pelo arquiteto Jean-Marc Sandrolini, tudo em betão e vidro coberto com uma fina malha de aço.
 
O enorme edifício estende-se por 14.000 metros quadrados em redor de um pátio interior atravessado por uma linha de água e coberto com relva, onde se destacam esculturas a celebrar o calçado, como esta bomba gigante feita pela artista portuguesa contemporânea Joana Vasconcelos a partir de panelas de aço inoxidável. O design clean e a tranquilidade do espaço fazem lembrar um jardim japonês. Esta impressão de serenidade segue-nos até à fábrica, onde as oficinas cheias de luz com os seus pavimentos em parquet e os espaçosos corredores de paredes brancas são intercalados com uma série de pátios de jardim que deixam entrar luz natural. Grandes blocos coloridos marcam a entrada para as oficinas. Na verdade, são fábricas verdadeiramente autónomas e separadas, cada uma dedicada a uma especialidade. 

Originalmente quatro, foram recentemente aumentadas para cinco. O vermelho representa a unidade "Alma" dedicada ao calçado para "a mulher elegante"; o azul, para o atelier "Nomade", é dedicado ao calçado de condução automóvel; o verde "Taiga", para o calçado masculino; o amarelo "Speedy" para os ténis, enquanto que o laranja "Horizon" é dedicado a um novo workshop de ténis acrescentado em 2021. Sob o impulso de Virgil Abloh, o diretor das coleções masculinas, que morreu em 2021, os formadores assumiram de facto uma nova dimensão e alcance na Louis Vuitton. "Abloh empurrou-nos para uma nova visão do produto através de um sapato desportivo mais técnico com muita investigação e inovação", explica o site.


Gigi, expert de formas na fábrica de produção artesanal de calçado da Louis Vuitton - ph Dominique Muret


Para além destes cinco blocos, há uma série de espaços e oficinas mais pequenos, tais como a sala de formação para o pessoal de vendas ou a sala galeria na receção, onde, juntamente com uma seleção dos modelos mais emblemáticos da Louis Vuitton, são apresentadas obras de arte, tais como a série de desenhos originais de Andy Warhol inspirados no calçado. Ou o laboratório de controlo de qualidade com os seus testes químicos, físicos e mecânicos para verificar a resistência dos materiais, inclusive submetendo-os a diferentes temperaturas. Os sapatos da Louis Vuitton podem ser usados sem qualquer problema numa atmosfera de 50 graus no Dubai ou mais amena 30 graus em São Petersburgo!

Um intenso trabalho de investigação



Outro atelier, é o das formas, que serve de apoio ao fabrico do calçado. Rodeado por fileiras de modelos de madeira, de pé em frente da sua bancada de trabalho, e de lápis na mão, Gigi desenha linhas num pedaço de madeira, que em breve se transformará numa forma, que traduz ao milímetro o desejo criativo do designer. Tudo isto sem esquecer a noção de conforto. "O pé é um órgão que se move e gera compressão. E, isto tem de ser tido em conta ao fazer a forma. A ideia do designer deve ser transformada num protótipo tridimensional", diz. Uma vez terminada, esta forma, que serve como modelo básico, será dividida numa série de formas de polipropileno e desenvolvida em diferentes tamanhos utilizando um programa informático. Mais adiante, no gabinete de design e protótipo, a atmosfera é de muita concentração. Até 1.000 protótipos podem ser produzidos na fase de desenvolvimento da coleção antes do desfile de moda, o resultado de um trabalho intensivo de investigação.
 
Desde a escolha dos materiais e fornecedores, ao corte das peles e à confeção dos saltos, solas ou decorações que têm de ser novamente calibrados de acordo com os diferentes tamanhos, cada artesão distingue-se pela sua especialidade. Na oficina dedicada ao calçado feminino, cerca de 1.000 pessoas estão a trabalhar em blusas amarelas ou aventais castanhos bordados com o logótipo "LV", cortando, montando, cosendo e até finalizando as peças. Aqui, usando um martelo, o couro é pregado à estrutura da base do pé sem o esticar demasiado. Aqui, um lápis é utilizado para marcar o limite onde a cola para a sola será aplicada. Uma técnica ancestral repetida com maestria e precisão por estes trabalhadores altamente qualificados, que na sua maioria caíram no mundo do couro desde o berço, com os seus pais a trabalharem no mesmo ofício que os seus próprios pais e assim por diante.


A produção de um sapato requer até 300 operações manuais - ph Dominique Muret


O atelier Nomade emprega 450 pessoas, 60% das quais são artesãos. Uma voz anuncia por cima do altifalante que "a pausa começa para o grupo 1", enquanto num canto, Michela permanece concentrada num modelo de mocassin que está a coser à mão, com os dedos cobertos de proteções metálicas. Com mais de 20 anos de experiência, este expert, que treinou como selador, costura firmemente o couro. A alguma distância, a sua colega alisa as costuras de outro modelo com um martelo e um alicate.

Atelier de sneakers



Mais abaixo no corredor, os sapatos formais masculinos, que estão a registar um crescimento rápido, são geridos de formas diferentes porque "carregam uma tradição antiga". No atelier Taiga, por exemplo, não pode faltar Roberto, que está no ramo há 40 anos e começou a trabalhar com os seus pais quando tinha 12. É um dos últimos a saber utilizar a costura Goodyear ou norueguesa, que se utiliza para fixar a parte superior à sola, reforçando a solidez do sapato, mantendo a sua flexibilidade. Prepara ele próprio o fio e costura rigorosamente à mão os sapatos masculinos mais sofisticados da Louis Vuitton com pontos apertados. Roberto leva três horas a completar um par. Num outro espaço, inclinada sobre uma mesa grande, uma mulher esfrega convincentemente um mocassin com um pano húmido embebido em cera natural. Demorará até duas horas a dar ao sapato a patine certa.
 
Finalmente, o atelier de sneakers é como uma colmeia, onde cada trabalhador está ligado a uma operação específica. O projeto de personalização "Now Yours", lançado no final de 2018, está a tornar-se cada vez mais importante aqui. Em qualquer parte do mundo, os clientes da Louis Vuitton podem encomendar o seu próprio par de sapatos de corrida, escolhendo materiais, cores e outros detalhes. São possíveis mais de 1 bilião de combinações! No local, a fábrica, que internalizou completamente todo o processo, incluindo a impressão de iniciais e outros nomes, dispõe de um stock permanente de materiais. Em média, são feitas duas encomendas por dia e demora quatro semanas a preenchê-las. Os modelos personalizados são vendidos a partir de 700 euros por par. Até agora, foram feitos pouco menos de 4.000 pares. Um verdadeiro desafio para o rótulo.


O fabrico de calçado combina técnicas manuais e processos industriais - ph Dominique Muret


Mas, a malletier (fabricante de malas e malas), não pretende ficar por aí. Embora tenha outra fábrica em Itália, dedicada a sacos e acessórios no Incisa em Val d'Arno, perto de Florença, que recentemente ampliou, está a pensar construir uma fábrica maior. No final de 2021, o diretor executivo adjunto da LVMH, Toni Belloni, mencionou um projeto "para criar um centro de especialização, concentrando uma série de profissões, que já utilizam a especialização italiana, numa entidade que estará provavelmente localizada na Toscana. Esta nova fábrica, se for criada, será totalmente dedicada à Louis Vuitton".
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.