Pandora prevê crescimento mais lento em 2017

A marca de joias dinamarquesa Pandora anunciou que as suas vendas crescerão a um ritmo mais lento do que o esperado anteriormente este ano, em parte devido às condições económicas dos Estados Unidos, o seu maior mercado.



A Pandora declarou que as suas receitas deverão permanecer entre 23 mil milhões e 24 mil milhões de coroas suecas (3.09 - 3.23 mil milhões de euros) e que o seu EBITDA chegará a 38%. Embora as suas vendas tenham crescido 4% em moeda local nos Estados Unidos, a marca disse que o crescimento foi impulsionado pela aquisição de lojas franqueadas, e não de maior procura nas lojas existentes.

"O ambiente retalhista dos Estados Unidos permaneceu desafiador, com a maioria das marcas de segmento acessível a aplicar mais promoções", afirmou a empresa em comunicado. No entanto, o lançamento da sua coleção Disney na Europa, Médio Oriente e África teve "uma receção inicial positiva", acrescentou a empresa.

A Pandora teve um enorme crescimento nas suas vendas na última década, graças à popularidade das suas pulseiras personalizáveis, o que fez com que o valor das ações se multiplicasse por oito entre 2013 e 2016. Mas, estas tiveram desvalorização de 36% este ano, uma vez que as taxas de crescimento caíram nos últimos trimestres, em parte devido às dececionantes vendas da Pandora nos Estados Unidos.

As ações da marca subiram 5,5% na abertura da sessão na manhã de terça-feira (8) e atingiram 605,50 coroas suecas. O EBITDA do terceiro trimestre atingiu 1.97 mil milhões de coroas suecas, em comparação com 1.94 mil milhões no ano passado.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

JoalhariaNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER