Para o seu primeiro desfile Cruise, Giorgio Armani aposta num minimalismo moderno

Giorgio Armani apresentou o seu primeiro desfile Cruise na noite de sexta-feira em Tóquio. A coleção, muito extensa, foi apresentada com grande pompa no museu nacional da capital japonesa.


Giorgio Armani - Cruise 2020 - Tóquio - Foto : Giorgio Armani

Apresentado em dois desfiles mistos diante de um público composto por nomes como Uma Thurman e Tadao Ando, o evento destacou a capacidade de Giorgio Armani de criar roupas altamente comerciais, mas com glamour suficiente para brilharem numa passadeira vermelha. Acima de tudo, esta coleção foi repleta de influencias asiáticas e, especialmente, japonesas. 

"O Japão é uma daquelas civilizações que sempre criaram beleza. Uma estética única, uma certa simplicidade, cheia de rigor, que combina o minimalismo austero da sua arquitetura moderna com a profunda compreensão da sua história antiga. É por isso que eu adoro no Japão ", disse Giorgio Armani numa conferência de imprensa antes do desfile.

Esbelto e bronzeado, o estilista italiano vestia calças fluídas, um casaco trespassado desconstruído em jersey de cashmere, tratado como jeans desbotado, uma camisola de malha de gola alta de cashmere azul marinho e sapatilhas brancas.

A longa silhueta dos looks femininos tinha a fluidez clássica de Armani, com ombros pronunciados e um toque de alfaiataria masculina. Fatos impecáveis ​​príncipe de gales ou listrados. Cascos de tartaruga falsos por toda a coleção - desde túnicas e pulseiras até bolsas e pingentes. 

Para a noite, belos vestidos longos em seda lavada com efeito tartaruga e jacquards revestidos. Este foi lum ongo desfile, com um total de 122 looks.


Giorgio Armani - Cruise 2020 - Tóquio - Foto : FashionNetwork.com

Giorgio Armani chegou atrasado à tendência dos desfiles Cruise. Marcas rivais como Louis Vuitton, Christian Dior e, principalmente, Chanel, organizam gigantescos eventos deste tipo há cerca de uma década. Mas, Giorgio Armani é uma figura lendária no Japão, a meio caminho entre uma estrela do rock e uma divindade, como demonstrado pelas dezenas de convidados que esperaram pacientemente, curvando-se humildemente, para tirar uma foto com ele.

Para os homens, o criador italiano apostou em fatos feitos sob medida esculpindo o corpo, casacos de malha cortados de forma perfeita; elegantes casacos de gola xale e belos sobretudos, além de muitas peças de sportswear chic. Também propôs uma magnífica série de fatos que lembraram o público (composto por 380 convidados para cada um dos dois desfiles) que Giorgio Armani continua a ser o alfaiate mais influente da moda masculina e tem sido assim por meio século. A paleta de cores incluiu tons de chocolate, castanho e bege.


Giorgio Armani - Cruise 2020 - Tóquio - Photo : FashionNetwork.com

"O café é o novo cinza de Giorgio Armani", brincou o designer, que conseguiu inserir uma visita de três dias a Quioto durante a sua visita ao Japão. Novamente, estando na antiga capital imperial, centenas de admiradores detiveram-nos e educadamente pediram-lhe para tirar fotografias.

Giorgio Armani esteve no Japão pela primeira vez na década de 80, quando foi um dos cinco estilistas convidados para receber um prémio. O grupo incluiu Karl Lagerfeld, Hanae Mori, Zandra Rhodes e Perry Ellis. "Na altura, eu era um jovem designer e não podia acreditar que tinha sido convidado. Karl e Mr. Fairchild (o lendário editor do Women's Wear Daily, a bíblia da indústria, ed) foram meus mentores.  Foi então que eu soube que este país significaria muito para mim", disse Armani quase com nostalgia.

Durante esta viagem, Giorgio Armani também esteve presente para a reabertura da sua flagship gigante, no distrito comercial de Ginza. "Eu não fiz esta coleção a pensar no Japão, mesmo sabendo que viria para inaugurar a nova torre Armani. Se esta coleção voltasse amanhã a Milão, também funcionaria, já temos muitos compradores para ela. Mas, quando vim para Tóquio, percebi que a coleção era mais moderna, mais fácil e mais casual, com um sentido de pesquisa mais livre. É Armani, mas vista através de uma lente japonesa. Estas roupas são projetadas para os japoneses que tenho em mente", resumiu o criador octogenário.

A marca de Giorgio Armani sofreu uma desaceleração recentemente, mas o estilista ainda espera que esta retome o crescimento nos próximos dois anos. Armani permanece 100% propriedade do seu fundador. Não surpreende que Giorgio Armani tenha orgulho do seu trabalho. "Aqui em Tóquio, andando pelas ruas, fiquei feliz em ver quantas pessoas usam produtos da Armani. Sabe, os japoneses são mais Armani do que Armani", brincou Giorgio, que muitas vezes se refere a si mesmo na terceira pessoa.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - CalçadosDesfilesColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER