×
Publicidade
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
11 de jan de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Paris cancela desfiles físicos das semanas da moda de janeiro

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
11 de jan de 2021

As duas semanas da moda previstas para este mês em Paris - pronto-a-vestir masculino e alta costura - não contarão com nenhum desfile físico, uma vez que as autoridades francesas decidiram manter a proibição da presença de público em eventos, inclusive nos organizados pela Fédération de la Haute Couture et de la Mode (FHCM), entidade que organiza o calendário das semanas da moda parisienses.


Passagem da última coleção masculina da Hermès, apresentanda durante um evento transmitido em direto - Fotografia: Filippo Fior / Hermès

 
A decisão final foi tomada após conversações entre as prefeitura da polícia e a FHCM, que na sexta-feira transmitiu a informação às maisons envolvidas.
 
Na noite de quinta-feira, o primeiro-ministro francês Jean Castex deu uma conferência de imprensa para anunciar a continuação das restrições sanitárias em França. Restaurantes, cinemas e estações de esqui, fechados desde dezembro para desacelerar a pandemia Covid-19, permanecerão fechados.

A FHCM insiste que os seus dois eventos irão acontecer, mas principalmente na internet. Pascal Morand, presidente executivo da FHCM, insiste: “Sim, podemos confirmar que não pode haver reuniões de pessoas. Mas, as nossas duas semanas da moda vão acontecer, e continuamos muito otimistas, tanto para a temporada de moda masculina como para a alta costura.”
 
Segundo o responsável, muitas casas ainda estão a refletir no formato exato das suas apresentações - principalmente, uma vez que ainda podem organizar desfiles "verdadeiros" transmitidos em direto, com modelos, desde que os seus eventos ocorram à porta fechada.

“As marcas estão igualmente autorizadas a organizar eventos e apresentações, respeitando o limite do número de pessoas presentes ao mesmo tempo num determinado espaço”, indica Pascal Morand. “Em França, ainda estamos com restrições sanitárias, não devemos esquecer. É uma decisão que vem do governo e da prefeitura e que vamos respeitar, obviamente”.

“Isto o complica enormemente as coisas, mas não temos intenção de desistir. Dispomos de uma plataforma ultra moderna, que permite descobrir todas as coleções online. Estamos prontos.”
 
A organização da Paris Fashion Week já havia publicado os seus impressionantes calendários oficiais, que atestam o desejo de muitas maisons de apresentarem as suas novas coleções na capital francesa. A temporada de moda masculina acontecerá de terça-feira, 19 de janeiro, a domingo, 24 de janeiro, enquanto a temporada de alta costura ocorrerá de segunda-feira, 25 de janeiro, a quinta-feira, 28 de janeiro.
 
No total, aparecem 71 marcas no calendário da moda masculina, incluindo grandes casas como Louis Vuitton, Dior Homme e Hermès, mas também marcas de criadores influentes como Yohji Yamamoto, Rick Owens, Dries Van Noten, Vetements, Paul Smith, Loewe e Thom Browne. O calendário de alta costura inclui 32 maisons, entre as quais Chanel, Armani Privé e Jean Paul Gaultier.

Face a esta notícia, um porta-voz da Hermès recorda que muitas casas esperaram pelo discurso do primeiro-ministro antes de escolherem o formato das suas apresentações. "Não haverá desfiles em Paris este mês. Fomos informados. É oficial."
 
Na temporada passada, Véronique Nichanian, diretora criativa das coleções masculinas da Hermès, organizou um evento transmitido em direto pela internet, um ensaio fotográfico realizado na sede da marca que levantou o véu sobre uma coleção urbana e trendy.
 
“Desta vez, vamos transmitir um vídeo. Ainda estamos a trabalhar nisso. Mas, por enquanto, mantemos o formato exato em segredo”, disse o porta-voz.
 
Já a Christian Dior está a preparar duas apresentações, uma por calendário oficial: Dior Homme e Dior alta costura. Quando questionado sobre os projetos da casa, um porta-voz da Dior anuncia: “Não pode haver desfile com público. É a escolha que foi feita. É uma pena, mas é assim. E, claro, vamos respeitar essa decisão. É uma questão de força maior, para fazer frente à pandemia. Portanto, preparem-se para um desfile digital.”

Em França, os especialistas alertam para um recrudescimento das infeções após o período de Natal, marcado por inúmeras viagens pelo país.
 
Os restaurantes permanecerão fechados, pelo menos, até meados de fevereiro e as estações de esqui não devem abrir antes das férias de inverno. O recolher obrigatório será estendido até, pelo menos, 20 de janeiro, e novas restrições nacionais não podem ser descartadas, anunciou Jean Castex na noite de quinta-feira.
 
Esta semana, França ainda regista mais de 20 mil novos casos diários de Covid-19, muito longe da meta do governo francês, que pretende ficar abaixo do limite de 5 mil casos diários.
 
A FHCM explica que trabalha em estreita colaboração com a prefeitura, especialmente desde os atentados terroristas de novembro de 2015. A segurança é reforçada durante qualquer grande desfile, e agentes policiais à paisana assistem a muitos eventos parisienses.
 
Pascal Morand insiste: “Estamos em contacto regular com a prefeitura. Trabalhamos lado a lado. A única coisa que nunca vamos comprometer é a segurança do público. Está fora de questão colocar alguém em risco.”
 
Após as duas semanas da moda em janeiro, a próxima temporada parisiense acontecerá de 1 a 9 de março para apresentar as coleções de pronto-a-vestir feminino.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.