×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
7 de jul. de 2021
Tempo de leitura
5 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Paris Haute Couture Week: dia dois com Alexandre Vauthier, Ronald van der Kemp e Viktor & Rolf

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
7 de jul. de 2021

A alta costura parisiense não se resume a gigantescas marcas globais a vestirem mulheres de bilionários, que pelo alto poder de compra são os mais mimados do mundo. Trata-se também de experimentação desenfreada e ironia da moda, como se pode ver em três coleções reveladas na terça-feira (6 de julho): Alexandre Vauthier, Viktor & Rolf e Ronald van der Kemp.
 

Look Alexandre Vauthier da coleção de alta costura para o outono-inverno 2021/2022 - Alexandre Vauthier


Alexandre Vauthier: um conto de duas cidades


 
"Um pouco de escuridão reflete este momento, não concorda?", comentou o costureiro de Paris, Alexander Vauthier, que enviou toda a sua coleção para Londres para ser fotografada por Alasdair McLellan.

O fotógrafo de East London captou tanto imagens para o lookbook como para o vídeo do show de Vauthier, aliando a coragem do Reino Unido ao seu glamour gálico.

No final, quase toda a coleção para a estação de outono-inverno 2021/2022 de Alexandre Vauthier foi quase toda em preto, com traços de cristais e prata, como resposta a este verão sombrio de pandemia sem fim.
 
Escuro, mas ao mesmo tempo afoito, e mesmo diabólico; desde o majestoso casaco de couro esculpido como orquídeas, até ao vestido de deusa decotado com tela de crepe preto.
 
 E, inquestionavelmente, a alta costura com todo o trabalho especial manual que implica. Como as incríveis luvas de pele de leopardo e camisas de couro polvilhadas de uma chuva de pequenos cristais por cortesia de mestres dos bordados como François Lesage, uma lenda viva da moda. Ou o vestido em estalactites e cacos de cristais, noutra grande expressão novamente assinada por Lesage.


Alexandre Vauthier | Haute Couture Fall Winter 2021/2022 | Digital


O look mais impressionante de Vaithier foi, sem dúvida, um vestido de lantejoulas digno apenas dos melhores clubes noturnos, com um maravilhoso enfeite de penas denso, cortesia do especialista em penas Lemarié, que como Lesage faz parte do grupo Chanel's Paraffection, que abriu recentemente um novo centro chamado 19M no nordeste de Paris, agrupando mais de uma dúzia de fornecedores especialistas em alta costura.
 
De facto, toda a estação atual parece ter sido tocada pelo 19M, com nomes incontornáveis da moda como Maria Grazia Chiuri da Christian Dior a elogiarem o referido centro até aos céus.
 
Questionado sobre o assunto, Vauthier respondeu: "Eu adoro o 19M. Para ser honesto, para completar esta coleção ia lá uma vez por semana, e cada vez sentia que tinha testemunhado um milagre", confessou.


Look Viktor & Rolf da coleção de alta costura para o outono-inverno 2021/2022 - Viktor & Rolf


Viktor & Rolf: nostalgia da realeza


 
Apesar de se recusarem a revelar se são monárquicos ou não, Viktor & Rolf estão claramente obcecados com a realeza, se bem que com doses superdimensionadas de ironia.
 
Tanto assim que cada look na sua última coleção de alta costura brincou com a nobreza. O resultado foi algo como Henrique VIII conhecer Danny La Rue, ou Honey Dijon sair com o Príncipe Charles. 

"Ultimamente tem havido muita agitação em torno da monarquia. Isso fez-nos pensar como a realeza é semelhante ao sistema da moda. Que tem os seus reis e rainhas; a sua hierarquia; e a necessidade de continuar o show, independentemente do que aconteça nos bastidores. O que nos fez pensar no conceito de uma falsidade versus real", explicou um pálido Rolf Snoeren. 
 
Usando tecidos nobres, mais uma vez com uma reviravolta, como brocados e jacquard, ou peles falsas biodegradáveis na ordem do dia, feitas de tiras de ráfia; ou ainda pedras preciosas falsas para criar versões artísticas, sucedâneas de trajes cerimoniais reais.
 
As suas inspirações foram também rainhas da Disney, com falsas coroas de pérolas e tiara de Perspex. Enquanto que as faixas estavam cheias de ditos breves como: Don’t be a Drag, just be a Queen (Não sejas Drag, sê apenas Rainha); Royal Pain in the Ass (Realeza com dor no traseiro); ou Princess? No bitch, Queen! (Princess? Nada de cabra, Rainha!).
 
Ironicamente, o duo foi na realidade agraciado com o título de cavaleiro na sua Holanda natal, em outubro de 2018, com a Ordem do Leão dos Países Baixos, um reconhecimento real holandês de mérito para os que se dedicam às artes, ciência, desporto e literatura.
 
Uma dúzia de looks reais sobre os criadores foram apresentados num quadro dentro da Capela Expiatória (Chapelle Expiatoire), um monumento comemorativo neoclássico, construído sobre as tumbas onde foram enterrados Luís XVI e Maria Antonieta.

"Penso que a mensagem desta coleção é que afinal todos acreditam na Monarquia. Mas, foi aqui que Maria Antonieta acabou, e eu penso que é um lugar verdadeiramente belo", frisou Viktor Horsting.


Look Ronald van der Kemp da coleção de alta costura para o outono-inverno 2021/2022 - Ronald van der Kemp

 

Vacinas para a mente de Ronald van der Kemp


 
Uma voz na moda que vale sempre a pena ouvir é a de Ronald van der Kemp, o sempre iconoclasta costureiro holandês, cuja última coleção se chama The Mind Vaccine (Vacina da Mente).

"É moda equivalente a drogas éticas de marca. As pessoas falam de diversidade e eu falo de biodiversidade. A moda não pode continuar a produzir muitas coleções de que as pessoas não precisam. Por isso, trabalhamos com restos", insistiu Ronald, que apresentou a sua coleção pessoalmente, na Embaixada da Holanda, na rue de Grenelle.
 
Uma seringa cirúrgica simulada e cheia de sangue – empoleirada num stand – saudou os visitantes da elegante mansão. Um vestido gótico arrojado foi colocado nos primeiros meia dúzia de degraus da escadaria da embaixada coberta por tapete vermelho.
 
Um reconhecido mestre do upcycling mesmo antes de o termo ter sido inventado, Ronald van der Kemp vale-se das fontes para chegar aos stocks de alto nível não utilizados por grandes maisons parisienses ou especialistas em têxteis.
 
Um arquivo de mousseline de belas cores foi transformado num fantástico corpete de retalhos; enquanto a ráfia dourada deu origem a uma imensa saia rodada encimada por múltiplas correntes.
 
Embora nascido no sul da Holanda, a sede de Ronald é em Amesterdão, perto do mercado de flores no grande canal da cidade – o Singel. Apurou o design em Nova Iorque, trabalhando para o grande Bill Blass, antes de regressar à Europa, onde hoje em dia se concentra totalmente na alta costura, com grandes doses de ironia.
 
Ao lado da seringa lê-se um manifesto: "Get ready for responsible hedonism" (Prepara-te para um hedonismo responsável).
 
Ronald também aproveitou mousseline floral de stock, cortando-a e colando-a num maravilhoso casaco silvestre que parecia cultivado organicamente. Enquanto uma série de calças de ganga velhas foi rasgada em tiras minúsculas e renasceu como um "casaco de pele falsa" desfiado com inserções de renda.
 
"Banir a pele falsa", digo eu, e não apenas a verdadeira. Respeito os estilistas que tomam uma posição ecológica, mas muito francamente a pele falsa é feita de plástico, sendo muito pior para o ambiente do que a verdadeira", argumentou Ronald van der Kemp.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.