Patachou na montra do mundo

A Patachou nasceu com o sonho de vestir os mais pequenos e a ambição de conquistar os maiores palcos do mundo. A montra que ocupa no Harrods, em Londres, é a prova de que a marca singrou no mundo da moda aliando o clássico ao chique, com um toque de modernidade.


O nicho de mercado em que se insere a Patachou é competitivo e exigente, mas a experiência que sustenta a marca resulta de uma herança com mais de 30 décadas na indústria têxtil. Foi através da sua empresa-mãe, a Longratex que a Patachou ganhou vida e trilhou o seu caminho.

«Há cerca de 5 anos começamos a trabalhar a marca a sério, a fazer muitas feiras internacionais, a fazer muitas parcerias com distribuidores e agentes e, atualmente, já estamos em 30 países», revela Marta Sousa, diretora de vendas internacional da Patachou, ao Portugal Têxtil.

Orientada «quase 100%» para o mercado internacional, a Patachou encontra-se hoje nas principais department stores e a internacionalização sempre foi um objetivo para a marca, afirma Marta Sousa.

«Acho que somos a única marca portuguesa a vender no Harrods, no Neiman Marcus, no Barneys, nas melhores lojas do mundo», admite.

As coleções abrangem a faixa etária dos 0 meses aos 14 anos divididas por três segmentos – newborn, dos 0 aos 24 meses; mini, dos 6 meses aos 4 anos; e, por fim, dos 2 aos 14 anos, tanto para menino como para menina – e são caracterizadas por um estilo «clássico, mas ao mesmo tempo moderno».

A Longratex possui de um efetivo com mais de 60 pessoas que apoiam a concretização das coleções da Patachou, contando com o desenvolvimento de produto, estampagem, design e serviço de corte dentro de portas. Os restantes processos são subcontratados a empresas nacionais, assim como as malhas, que têm nacionalidade portuguesa. A exceção é os tecidos, mas têm etiqueta europeia.

Tendo como principais mercados a Inglaterra e os Estados Unidos, a Patachou tem o México na sua linha de mira, aponta a diretora de vendas internacional. Representando atualmente 40% do volume de negócios da Longratex, a marca de vestuário infantil pretende consolidar a presença nos mercados conquistados e crescer sustentadamente.

Em 2017, a Patachou registou um crescimento na ordem dos 20% e conquistou novos mercados, encerrando o ano com expetativas promissoras e desafios ainda mais elevados para o novo ano que acaba de começar, conclui Marta Ferreira.

Copyright © 2018 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER