Pitti Immagine amplia sua gama de serviços graças à e-Pitti

"Nosso papel mudou. Estamos a tornar-nos ainda mais assistentes encarregados de ajudar as empresas, em particular as mais pequenas, aí onde elas não podem agir sozinhas. Em particular no setor da área digital", constata o presidente executivo da organizadora de salões Pitti Immagine, Raffaello Napoleone, por ocasião da apresentação do balanço das atividades da e-Pitti, plataforma que a empresa lançou em junho de 2011 para prolongar na web o Pitti Uomo, Pitti Bimbo e o Pitti Filiati, dedicado à indústria dos fios.

As Pitti people - Pitti Immagine

Para ajudar esses expositores, o Pitti vai propor-lhes durante sua próxima edição de junho: "Ready-to-Order", uma aplicação, acessível via sítio web e-Pitti, permitindo às empresas administrar todos as encomendas na área digital diretamente no iPad, durante toda a sua campanha de venda e até mesmo fora dos salões do Pitti.
 
Este serviço, testado em janeiro, endereça-se aos expositores de todos os salões organizados pela Pitti Immagine com uma tarifa de 40 euros por mês. "Quase 60% dos nossos expositores realizam um volume de negócios inferior a 5 milhões de euros e 25% entre 5 e 10 milhões de euros. A maioria não tem nem os recursos, nem o tempo para se ocupar de alguns aspetos que se tornaram hoje incontornáveis, como a área digital, setor onde eles têm competências rudimentares", explica Raffaello Napoleone.
 
Daí este serviço colocado à disposição pelo salão. Na mesma ordem de ideia, o Pitti vai lançar pela primeira vez em junho um 'workshop' sobre o convite para oferecer a cerca de trinta PME, presentes no salão, a discussão com especialistas da área digital. Este seminário, batizado de Modae Connection, decorrerá de seis em seis meses às vésperas do Pitti Uomo.
 
A primeira edição, organizada em parceira com o Google, foi fixada para 13 de junho, no Ménagère, novo restaurante 'cool' de Florença. Ela terá por tema "a perceção da marca on-line a serviço das vendas".
 
"A área digital é a nova fronteira para a moda. Com o colapso das suas vendas na China e na Rússia, até mesmo as grandes grifes buscam com afinco a web. Para as empresas italianas, e-commerce é uma oportunidade, sobretudo, por meio dos sítios multimarcas", avalia Francesco Bottigliero, presidente executivo do e-Pitti.

A aplicação "Ready-to-Order" está acessível no site da e-Pitti. - Pitti Immagine

Na última temporada, o salão virtual do Pitti bateu todos os seus recordes com 35% de compradores registados mais em relação à edição de inverno anterior. A edição de janeiro de 2016 do e-Pitti, que cobriu durante 11 semanas os salões masculino, infantil e dos fios, apresentou no total 1.356 marcas e 8.912 produtos, atraindo os compradores de 110 países, tendo à frente Itália (60%), seguida do Japão para o setor masculino e pela Rússia para o infantil.
 
O sítio se concentrou ainda mais no conteúdo qualitativo, abandonando seu formato puramente "catálogo" de salão. Nesta óptica, ele teve de abandonar suas versões em russo e japonês, para ser categorizado agora apenas em italiano e em inglês. Newsletters exclusivas foram enviadas a cada semana aos utilizadores.
 
Por outro lado, para enriquecer mais os conteúdos, novas categorias serão oferecidas esta temporada. Entre os dois novos projetos em criação: "Through the eyes of", que identificará uma nova tendência a cada semana através da visão de uma personalidade (Riccardo Grassi, Edwin Karl Guerre etc.), e "Style, as told by mum", que narrará o estilo das crianças visto por mamães bloguistas.
 
"A crise dos outros salões nasce do fato de que eles fazem do salão somente uma atividade. Desde o início, tomamos iniciativas para apoiar o sistema da moda nas suas múltiplas facetas, da ajuda aos jovens com nossa divisão 'tutorship' aos serviços mirados nos expositores".

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

GourmetSalões de Moda
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER