×
563
Fashion Jobs
ADIDAS
Manager HR Learning & Development Gbs Porto (m/f)
Efetivo · Porto
FOREO
Marketing Manager
Efetivo · Lisbon
FARFETCH
Menswear Styling Editor
Efetivo · GUIMARÃES
ADIDAS
HR Specialist Gbs - Offboarding (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist HR Specialist Gbs Operations - General Admin (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Associate HR Specialist (M/F/D) - Gbs Operations - Benefits
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Apo/Ibp (Snp) Consultant (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist (M/F/D) - Gbs Operations - German Speaker - Bik
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Demand Planner_sport Zone(m/f)
Efetivo · Maia
JD SPORT
Footwear Buyer
Efetivo · Alicante
CH CAROLINA HERRERA
Area Manager
Efetivo · LISBOA
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sac/Bw-Ip/Fico (m/f) 1
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Buyer - French Speaker
Efetivo · Porto
ADIDAS
Technology Consultant - Retail sd/mm (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Gbs HR Services - Compensation (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Reporting & Analytics (M/F/D) - Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
SALSA
Quality Manager - Oportunidade de Trabalhar o Produto Para Atingir Uma Qualidade de Excelência
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
JD SPORT
Demand Planner_Sport Zone(m/f)
Efetivo · Maia
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo · Braga
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
Por
Jornal T
Publicado em
4 de fev. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Presidente da ATP diz que o têxtil vai continuar a crescer

Por
Jornal T
Publicado em
4 de fev. de 2020

Mário Jorge Machado, presidente da ATP – Associação Têxtil e Vestuário, diz, em entrevista ao jornal Expresso, que “o cenário que temos traçado [para o setor têxtil] é positivo. Acreditamos que o investimento feito pelas empresas em produtividade, novas tecnologias, sustentabilidade, recursos humanos, são fatores diferenciadores que vão permitir continuar a crescer”.



Mesmo que, como salientou, a envolvente macro coloque no horizonte algumas nuvens negras que compete ao Governo remover: “Devíamos estar muito preocupados com poder político, que destrói a nossa competitividade”, num quadro em que “tudo isto parece estar a ser pensado por quem acredita que o crescimento económico assenta nos centros comerciais”.

Muito crítico de algumas opções do Governo tanto em relação à fiscalidade como às leis do trabalho – passado pelas opções que interferem especificamente com o setor industrial, Mário Jorge Machado afirma que “tudo o que os empresários fizeram e estão a fazer podia puxar muito mais pelas exportações sem tanto vento contrário”.

Uma das formas de o fazer, refere, “seria alterar legislação e as áreas a trabalhar estão todas identificadas”. Por exemplo, “temos uma das legislações laborais mais rígidas do mundo, mas também temos problemas no sistema judicial porque a resolução de conflitos em tribunal demora tempo demais; e na formação profissional, que tem níveis ridiculamente baixos”; “O  financiamento continua a ser outro ponto crucial, continuamos a ter os bancos mais preocupados com as garantias do que com os projetos”.

O presidente da ATP deixa algumas pistas sobre o que considera ser o caminho que a economia portuguesa deve trilhar: “é preciso criar condições para as empresas crescerem, terem ganhos de produtividade e pagarem melhores salários. Isto não se pode fazer ao contrário”, ou seja, começando pelo aumento dos salários.

“Precisávamos urgentemente de ver a nossa economia aproximar-se dos 10 primeiros lugares no ranking da competitividade mundial, mas estamos a avançar em sentido oposto. Estamos a criar rigidez, a dificultar a vida das empresas, a criar-lhes problemas”, sintetiza Mário Jorge Machado, que não esquece um dos temas mais atuais do momento: “não faz sentido ter 250 trabalhadores e vendas de 50 milhões de euros como limite no acesso aos apoios das PME como qualquer empresa tecnológica”.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.