×
359
Fashion Jobs
GRUPO CÃES DE PEDRA
Head of Marketing / Brand Manager
Efetivo - CLT · PORTO
GIANNI KAVANAGH
Marketing Director
Efetivo - CLT · BRAGA
UNREAL FIELDS
Creative/Art Director
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Commercial Product Manager - Work With Product in The Fashion Business
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer (m/f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
EMPRESA DE MODA NO SETOR DO LUXO
Vendedor/a de Loja de Gama Alta
Trainee · LISBOA
SALSA
Industrial Improvement Manager – Tinturaria/Lavandaria/Acabamentos Especiais
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Alegro Alfragide - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Carnaxide
GRUPO CÃES DE PEDRA
Diretor(a) Creativo Moda Hombre / Mujer
Efetivo - CLT · VILA DO CONDE
EUGÉNIO CAMPOS JEWELS
Assistente Loja Online (E-Commerce)
Estágio · VILA NOVA DE GAIA
LES ATELIERS LISBOETES
Associate in Digital Marketing And E-Commerce - Estágio 6 Meses
Estágio · LISBOA
LION OF PORCHES
Editor de Imagem/Vídeo (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Almada Fórum - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Almada
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Loures Shopping - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Loures
SYSTEMACTION
Vendedor
Estágio · LISBOA
THE KOOPLES
Sales Assistant Part Time (20h) Lisboa
Trabalho temporário · LISBOA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de abr de 2020
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Primark aumenta vendas H1 no Reino Unido, Europa e EUA, mas H2 é duramente atingido pelo COVID-19

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de abr de 2020

O proprietário da Primark Associated British Foods divulgou, terça-feira (21 de abril), os resultados semestrais provisórios, com os números ensombrados pelo impacto que a pandemia de COVID-19 está a gerar na sua cadeia de retalho de estrelas Primark.

À medida que o mundo começa a pensar em aliviar os bloqueios, a empresa afirma que a reabertura das lojas será muito provavelmente um processo "complexo", uma vez que funciona com medidas que garantem a segurança, tanto do seu pessoal como dos clientes.


Primark vê na reabertura das lojas um processo "complexo" - Photo, Sandra Halliday


O CEO George Weston destacou, também, as lutas dos seus trabalhadores e afirmou: "Por muito que gostasse de ser autorizado a reabrir em breve, as lojas Primark em todo o Reino Unido, Europa Continental e EUA, porque o encerramento prejudicou tanto o nosso negócio e as nossas cadeias de abastecimento, sei que não o devemos fazer até termos suprimido esta doença".

"E quando nos for permitido reabrir, temos de tornar as nossas lojas Primark seguras para os colaboradores e clientes, mesmo que isso signifique garantir que haja menos pessoas a fazer compras de cada vez e, assim, aceitar vendas mais baixas, pelo menos até que o risco seja minimizado. Com o tempo, podemos reconstituir os lucros. Mas, nunca poderemos substituir as pessoas que perdemos".

O CEO acrescentou estar "admirado com as equipas Primark pelos seus cuidados, bom senso e imenso trabalho árduo na gestão da crise".

Contando com os resultados das 24 semanas, até 29 de fevereiro, é claro que a empresa deve poder continuar a prosperar quando as coisas voltarem ao normal. Pode não ter assistido a um crescimento de vendas semelhante durante o período, mas estava a fazer melhor do que muitos dos seus pares de retalho de moda, aumentando a quota de mercado.

As receitas da Primark aumentaram 4% para 3,71 mil milhões de libras esterlinas, embora os lucros operacionais ajustados tenham caído 1% para 441 milhões de libras esterlinas. Os lucros antes de impostos na própria Associated British Foods caíram 42% para 298 milhões de libras esterlinas, durante as referidas 24 semanas, devido ao impacto de 284 milhões de libras esterlinas em excesso de stock que a Primark não conseguirá vender.

Durante o H1, o aumento das vendas foi impulsionado pelo aumento do espaço de venda a retalho, mas foi parcialmente compensado por uma queda de 0,5% nas vendas like-for-like. No entanto, assistiu-se a um declínio na margem inferior ao esperado.

No Reino Unido, a marca conseguiu um novo aumento da quota de mercado, medida pelo valor do mercado total de vestuário, calçado e acessórios. As vendas ficaram 2,7% à frente do ano passado, impulsionadas por um bom contributo do novo espaço de vendas adicionado no último ano, mas parcialmente compensado por um declínio de 1,7% nas vendas like-for-like. O relatório afirma que, apesar de as vendas terem sido particularmente boas em novembro e dezembro, as vendas like-for-like "enfraqueceram em janeiro e sobretudo em fevereiro, contra comparações muito fortes no ano anterior".


Primark regista vendas, na zona do euro, 5% superiores às do ano passado - Primark


As vendas na zona do euro foram 5% superiores às do ano passado em moeda constante, com um crescimento particularmente forte das vendas em França, Bélgica e Itália. A sua nova loja de Milão registou negócios à frente das expectativas e a loja em Ljubljana, na Eslovénia, continuou a negociar fortemente. Verificou-se uma "retoma acentuada" no desempenho de vendas like-for-like para a zona euro que se situou 0,2% no período, dando continuidade à melhoria registada no último trimestre do último exercício. Esta evolução foi impulsionada por "excelentes vendas like-for-like em França e Itália e, nesta fase inicial, registou uma notável melhoria na Alemanha, que foi conseguida através de uma série de alterações operacionais efectuadas pela nova equipa de gestão".

A sua atividade nos EUA "continuou a ter um forte desempenho, apresentando um crescimento de vendas like-for-like, com uma negociação particularmente forte na loja de Brooklyn, e registando um resultado operacional equilibrado no período".

Mas, o CEO afirmou ainda que "o comércio no segundo semestre será radicalmente diferente", com os países em que opera a ficarem confinados e as lojas físicas fechadas, sem lojas na Internet para absorver a folga.

A empresa irlandesa de vestuário e acessórios, considerada uma das principais concorrentes do grupo espanhol Inditex, reabriu em outubro de 2019, em Portugal, a loja no NorteShopping, com mais de 5 mil metros quadrados, e com o novo conceito de Beauty Studio. Depois do Reino Unido e Espanha (Sevilha), Portugal foi o terceiro país a receber este novo conceito de loja da Primark. Segundo o jornal digital Dinheiro Vivo, para o resultado positivo também contribuiu a primeira coleção dedicada aos animais de estimação, com a linha de roupas, brinquedos e acessórios para cães e gatos a ajudar o retalhista irlandês a superar os resultados.

O facto de grande parte do crescimento das vendas do H1 ter vindo do novo espaço de venda a retalho é também um problema, uma vez que o atual programa de abertura está em suspenso.

O programa de abertura de lojas, previsto para o terceiro trimestre, significava que deveriam ter sido acrescentados 0,5 milhões de m2 de espaço de venda a retalho. No entanto, estas aberturas foram adiadas até à reabertura das lojas existentes, o que afectará claramente o potencial para impulsionar as vendas nos próximos meses.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.