Primark nega acusação da Vans de violação de direitos de autor

A Primark negou as acusações de violação de direitos de autor feitas pela empresa americana de calçado Vans nos Estados Unidos, e afirmou que defenderá a sua posição.


Vans

A empresa irlandesa de moda foi acusada de vender “cópias intencionais” de dois dos modelos de sapatilhas mais famosos da Vans desde 2017.

O processo foi aberto num tribunal federal de Nova Iorque esta semana. A Vans quer uma providência cautelar contra a Primark, uma compensação financeira e uma ordem para “confiscar e destruir” as supostas cópias. A disputa envolve dois modelos de sapatilhas vendidos pela Primark, que supostamente exibem a risca lateral que é marca registada da Vans e a sua famosa sola de waffle.

A Vans disse que a Primark parou de vender os modelos no Reino Unido em janeiro de 2018, após ter sido contactada por advogados, mas a marca desportiva descobriu que as novas lojas da Primark nos Estados Unidos continuaram a vender as sapatilhas até agosto.

Propriedade da Associated British Foods, a Primark tem-se expandido consideravelmente nos últimos anos nos Estados Unidos, e abriu nove lojas grandes em cidades como Nova Iorque e Boston.

“Não concordamos com as acusações da Vans e vamos defender a nossa posição”, afirmou um porta-voz da Primark na quarta-feira (2).

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - CalçadosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER