×
Por
Jornal T
Publicado em
1 de set. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Projecto 360: Valérius quer ser a primeira na economia circular

Por
Jornal T
Publicado em
1 de set. de 2017

Dez anos é o prazo que a Valérius fixou para ter operacional e no terreno o ambicioso projeto 360, que consiste na aplicação perfeita dos princípios da economia circular – ou seja, todas as roupas que sairam da sua fábrica em Barcelos a ela retornarão para serem reciclados e terem uma nova vida.


“Queremos ser a primeira empresa europeia a por em prática os princípios da economia circular. Sabemos que a nossa indústria é poluidora mas estamos empenhados em reverter a nossa pegada ecológica”, afirma José Manuel Vilas Boas Ferreira, 51 anos, o presidente da Valérius.

A Valérius está a desenvolver o projeto 360 em parceria com diversas empresas internacionais, bem com universidades portuguesas (como a UMinho) e britânicas.

O projecto de fechar o ciclo de todas as peças que produz, implica o investimento numa fiação, passo indispensável para a reciclagem da roupa recolhida. Pressupõe ainda uma série de compromisso em toda a cadeia. A Valérius compromete-se com o cliente a receber de volta, no final do ciclo de vida, todas as peças que lhe forneceu. Por sua vez, o cliente compromete-se a receber do consumidor final todas as roupas que lhe vendeu.

Com um volume de negócios de 35 milhões de euros, a Valérius emprega 130 pessoas, tem uma área de fábrica de 3 500 m2, em Vila Frescaínha, e trabalha em regime de private label para marcas como a Moschino, Cos e Max Mara, entre outras.

A sua preocupação com a sustentabilidade pode ser medida pelo facto de já ter obtido as certificações Gots (Global Organics Standards), OekoTex e Sedex (para além da ISO 9001) – e de na sua carteira de marcas constar uma marca verde (Green Wish) que convive com a Concreto, Sucre et Sel e Ballentina.

Nascido em Barcelinhos, José Manuel Vilas Boas Ferreira adquiriu a Valérius em 2007, após ter passado 20 anos a trabalhar por conta de outrém na Araújo & Irmão. Além dos interesses que tem na têxtil, tem participações na Camport, Ambar e em duas empresas que fabricam componentes para a industria automóvel.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.