×
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
25 de mar de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Receita da Nike prevalece com América do Norte e Europa a compensarem queda de vendas na China

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
25 de mar de 2020

A Nike superou as estimativas de receita trimestral, impulsionada pela demanda na América do Norte e na Europa, que sobrelevou a primeira queda de vendas na China em quase seis anos, a qual foi provocada pelo fecho de lojas devido à pandemia de COVID-19.


A receita total da Nike aumentou 5,1%, para 10,10 biliões de dólares no terceiro trimestre - Nike Inc.


A Nike disse que as vendas na Grande China, a sua região de crescimento mais rápido, caíram 4% no terceiro trimestre, encerrado a 29 de fevereiro, pois foram forçadas a fechar cerca de 75% das lojas da marca e parceiras face ao surto do novo coronavírus.

Desde que foi detectado pela primeira vez, na China, no final do ano passado, o vírus espalhou-se rapidamente por todo o mundo e infectou quase 400.000, matando mais de 17.000, e forçando os governos a impor bloqueios e restrição de viagens para conter o surto.

Na América do Norte, a receita da Nike aumentou 4% e na Europa, 11%. No entanto, a Nike e outros retalhistas fecharam lojas nos EUA e na Europa para conter a propagação do vírus.

A receita total aumentou 5,1%, para 10,10 biliões de dólares no terceiro trimestre, superando as estimativas médias dos analistas de 9,80 biliões de dólares, segundo dados do Refinitiv IBES. As vendas digitais globais cresceram 36%, enquanto subiram mais de 30% na Grande China, onde a Nike lançou o seu aplicativo no final de 2019.

O lucro líquido caiu para 847 milhões de dólares, ou 53 centavos por ação, de 1,10 biliões de dólares, ou 68 centavos por ação, um ano antes, devido ao impacto da crise de saúde e à cobrança não monetária relacionada com a mudança no modelo de distribuição da Nike na América do Sul.
 

© Thomson Reuters 2021 All rights reserved.