×
374
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Receita da Primark cresce 4,2% no último exercício

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 5 de nov de 2019
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

O relatório de resultados da Associated British Foods merece sempre atenção, já que é a empresa proprietária da gigante Primark, que se tem implantado em todo o mundo. Na terça-feira, tivemos acesso aos resultados anuais da cadeia. E o que descobrimos?


A Primark vai abrir novas lojas em vários países - Primark/Centre:MK


Parece que as vendas e os lucros da empresa continuam a aumentar, mas não como esta gostaria, pois a subida das vendas deve-se principalmente a novos espaços comerciais e as vendas comparáveis estão a cair em muitos mercados.
 
Quanto à empresa matriz, a receita foi 2% superior à do ano passado, atingindo 15,8 mil milhões de libras e o lucro operacional ajustado aumentou 1%, para 14,2 mil milhões de libras, sendo a Primark um dos impulsionadores desse crescimento, apesar de enfrentar alguns desafios. As 52 semanas até 14 de setembro foram "resilientes", com um forte crescimento dos lucros na cadeia e a expansão contínua da retalhista de moda de baixo custo.

As vendas sobem, as comparáveis baixam


 
A retalhista, que ainda não vende online, registou um aumento de 4,2% na receita, para 7,79 mil milhões de libras, a taxas de câmbio reais (cerca de 9,036 mil milhões de euros/10,048 mil milhões de dólares) e 4,1% a taxas de câmbio constantes. Embora estes resultados tenham sido parcialmente contrabalançados por uma queda de 2% nas vendas comparáveis, ajudaram a aumentar o lucro operacional ajustado em 8% para 913 milhões de libras, já que a margem de lucro operacional ajustado aumentou de 11,3 para 11 ,7%.

A empresa alcançou "mais um ano de crescimento substancial em quota de mercado no Reino Unido", com um aumento de 2,5% nas vendas, impulsionado pela abertura de novas lojas. Mas, as vendas comparáveis no Reino Unido caíram 1%, apesar de terem superado o débil mercado de retalho de moda em geral.
 
As vendas na zona euro melhoraram 4,8% a taxas de câmbio constantes, com "um excelente crescimento de vendas em Espanha e França e resultados muito bons em Itália e na Bélgica".
 
No entanto, o espaço de vendas aumentou 8%, um número muito maior. Embora as contribuições das suas novas lojas em Bordéus, Sevilha e Liubliana tenham superado as expectativas, as vendas comparáveis na região caíram 2,9% devido aos fracos resultados da Alemanha. Agora, existe um novo diretor-geral na zona, que está a levar a cabo iniciativas que incluem campanhas específicas de marketing local e a redução do espaço de venda de algumas lojas.

Se deixarmos a Alemanha de lado, as vendas comparáveis da zona do euro caíram 1,1%, mas há uma tendência de melhoria "que gerou vendas comparáveis positivas no último trimestre". Em Espanha, Portugal, França e Itália, as vendas comparáveis aumentaram ao longo de todo o ano.

Crescimento nos Estados Unidos



O negócio nos Estados Unidos alcançou um "forte crescimento de vendas" que, juntamente com custos operacionais mais baixos, resultou "numa redução significativa na perda operacional nos EUA". O aumento nas vendas foi impulsionado pelo crescimento das comparáveis e por uma "excelente atividade comercial" na loja do Brooklyn, inaugurada no verão passado. A redução do espaço de venda em três lojas também "gerou uma contribuição lucrativa em cada loja".
 
"A receção positiva dos consumidores norte-americanos à Primark, combinada com o nosso modelo de loja rentável, dá-nos confiança para iniciar uma maior expansão no mercado americano", diz a empresa. Serão inauguradas duas novas lojas nos Estados Unidos no próximo ano fiscal, uma no American Dream, em New Jersey, na primavera, e outra no Sawgrass Mills, na Flórida, no verão.

A empresa também sublinhou que durante o ano a sua equipa de compras conseguiu uma melhoria adicional na margem, impulsionada por "categorias de tendência, melhores compras e reduções de descontos". Tudo isso apoiado por um marketing eficaz com campanhas digitais, com os seus canais de redes sociais a contarem já com 20 milhões de seguidores, em comparação com 13 milhões no ano passado. Além disso, colaborou com influenciadores de alto perfil com os quais lançou coleções especiais durante o ano, conseguindo um maior alcance nas redes sociais.

No próximo ano, a empresa continuará com a sua campanha de marketing e também abrirá novos espaços de venda. As principais lojas incluem Paris Plaisir, Lens e Calais Cité Europe, em França; Milan Fiordaliso em Itália; Barcelona Plaza de Cataluña e Sevilla Lagoh em Espanha; e Trafford Centre, no Reino Unido. A primeira loja na Polónia será inaugurada na primavera em Varsóvia, levando a Primark a conquistar o seu 13.º país.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.