Reconhecimento da moda no exteior não garante PDV em Portugal

Lisboa – A dupla de estilistas portugueses mais internacional, Marques'Almeida, que apresentou ontem (15) na ModaLisboa a coleção para a primavera de 2014, tem peças em mais de 20 pontos de venda em todo o mundo, excluindo Portugal.
Foto: Corbis

Marta Marques e Paulo Almeida trouxeram à ModaLisboa a coleção que desvendaram em setembro na semana da moda de Londres, Inglaterra, onde participaram pela quinta vez. Estes portugueses instalaram-se em Londres em 2009, para frequentar um mestrado na universidade Central St. Martins. Em setembro, apresentaram pela quinta vez uma coleção num desfile em nome individual na semana de moda londrina. Antes disso, em 2010, tinham participado numa mostra coletiva, no âmbito do fim de mestrado na universidade Central St Martins.

A dupla, que tem a ganga como material de eleição, e os anos 1990, particularmente o movimento 'grunge', como inspiração base contou à Lusa, à margem da ModaLisboa, que conta já com mais de 25 pontos de venda um pouco por todo o mundo, em países como a China, o Japão, a Austrália, a Rússia, Itália ou a Suécia.

Marta Marques e Paulo Almeida saíram do país porque sentiram ter mais oportunidades numa cidade habituada a apoiar jovens criadores. As peças que criam aparecem frequentemente em revistas e blogues de moda, vestidas por atrizes ou modelos famosas. A crítica especializada considera-os um dos novos talentos da moda internacional.

No entanto, as suas peças não estão à venda em Portugal. "Sentimos que cá demorou mais do que lá [em Londres]. É um problema de mercado, que não está preparado para certo tipo de marcas e onde não há poder de compra", lamentou Marta Marques.

Para tentarem contornar a situação, Marta e Paulo montaram um pequeno ponto de venda no 'Wonder Room' da ModaLisboa, espaço no Torreão Poente do Terreiro do Paço onde microempresas portuguesas ligadas ao 'design' têm a oportunidade de se darem a conhecer aos média e ao público em geral. "Está a correr incrivelmente bem. Decidimos fazer por nós, porque não há lojas interessadas nas nossas peças em Portugal", contaram, explicando que decidiram adaptar os preços à realidade portuguesa, baixando-os.
Desfile de Marques'Almeida – verão 2014. | Foto: ModaLisboa

Até às 19:00 do último domingo, o Wonder Room esteve aberto ao público durante os três dias de ModaLisboa, venderam "mais de metade" do que trouxeram. A falta de pontos de venda em Portugal de estilistas portugueses que vingam no estrangeiro não é um problema apenas da dupla Marques'Almeida.

O mesmo se passa com Felipe Oliveira Baptista, o mais internacional designer de moda português, radicado em Paris há mais de uma década. O designer de moda, que é também diretor criativo da marca francesa Lacoste, que apresenta coleções em nome próprio no calendário oficial da semana da moda de Paris não tem pontos de venda no país onde nasceu e onde apresenta coleções no Portugal Fashion.

Copyright © 2019 Agência LUSA. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDistribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER