×
303
Fashion Jobs
DIRETOR(A) INDUSTRIAL
Diretor(a) Industrial
Efetivo · MONACO-VILLE
GIANNI KAVANAGH
PR / Influencers Management
Efetivo · BRAGA
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
CONFIDENCIAL
Country Manager Iberica Textile
Efetivo · PORTO
SALSA
Ecommerce Product Manager – Desenvolvimento do Negócio Digital da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
SPORT ZONE
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
DAMA DE COPAS
Consultora de Lingerie
Efetivo · PORTO
THE KOOPLES
Sales Assistant 16h - Eci Lisbon
Efetivo · LISBOA
EMPRESA DE MODA NO SETOR DO LUXO
Vendedor/a de Loja de Gama Alta
Temporario · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Foz Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Figueira da Foz
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Coimbra cc Forum Coimbra - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo ·
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Lisboa cc Chiado - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo · LISBOA
Por
Reuters API
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
31 de mar. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Richemont: marcas do grupo deixam Responsible Jewellery Council

Por
Reuters API
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
31 de mar. de 2022

O conglomerado suíço Richemont, dono da Cartier e Montblanc, retirou-se do Responsible Jewellery Council (RJC), depois de a referida autoridade líder na indústria mundial de relojoaria e joalharia ter falhado no corte de laços com a Rússia, disse na quarta-feira (30 de março) o diretor financeiro do grupo, Burkhart Grund, aos repórteres da feira de relógios de luxo, Watches and Wonders, em Genebra.


As marcas do grupoRichemont deixam o Responsible Jewellery Council - Reuters


"Não estamos a tentar elaborar um comunicado, estamos a tentar manter os padrões muito elevados que temos vindo a moldar ao longo dos últimos 15 anos. Se o RJC não consegue manter os mais elevados padrões, então não podemos fazer parte dele. Foi por isso que nos retirámos", disse Burkhart Grund.
 
Grund acrescentou que o grupo de luxo iria estudar a forma de certificar as suas marcas, a fim de tranquilizar os consumidores.

A maison joalheira Pandora também informou, na quarta-feira (30), que estava a cortar laços com o RJC, autoridade que trabalha com membros em todo o mundo para criar uma cadeia de fornecimento sustentável, estabelecendo padrões éticos para a indústria da joalharia e relojoaria.
 
A Richemont, que suspendeu as atividades, incluindo o comércio eletrónico na Rússia, confirmou ainda que deixou de adquirir diamantes do país desde 24 de fevereiro, dia em que ocorreu a invasão ilegal por parte da Rússia à Ucrânia. Um conflito que perdura há mais de um mês num cenário de destruição sem limites, acrescendo os sucessivos crimes de guerra e de direitos humanos.

Isto apesar de se continuarem a aplicar sanções à Rússia, agora enfraquecida com o afastamento dos oligarcas russos e já antes com a retirada de gigantes da moda e luxo do país.

Neste âmbito, recordamos o corte do grupo Kering, dono de marcas como a Balenciaga, Gucci e Yves Saint-Laurent; ou o grupo LVMH, que detém marcas como a Louis Vuitton, Dior e TAG Heuer, e aí encerrou os seus 124 espaços comerciais, assegurando que os 3500 funcionários da empresa continuam a receber os salários.

Marcas como a Chanel, Hermès, Prada e Puma, entre outras, também anunciaram a saída da Rússia.

Ainda, de forma forçada, saíram outras empresas como o Facebook, Twitter e Youtube, que foram bloqueadas por "discriminação" contra os media estatais russos. A BBC, CNN, Bloomberg, RAI e CBC foram também algumas das emissoras que abandonaram a Rússia, expressando a preocupação quanto à liberdade de imprensa no país.
 

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.