×
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
12 de dez de 2019
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Safilo vai cortar 700 empregos em Itália devido à desaceleração das vendas

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
12 de dez de 2019

A empresa italiana especializada em óculos Safilo anunciou na terça-feira (10) que vai cortar 700 empregos em Itália no próximo ano, ou seja, mais de 10% da sua força de trabalho global, enquanto tenta aumentar a rentabilidade na sequência do enfraquecimento das vendas.


A Safilo tem enfrentado dificuldades nos últimos anos, após a Kering e a LVMH terem encerrado o acordo de licenciamento para marcas como Gucci e Dior - Reuters


A empresa italiana disse que espera que as vendas líquidas cresçam entre 1 e 2% ao ano nos próximos cinco anos e reduziu as suas previsões para 2020, uma vez que perderá uma licença essencial, a da marca Dior, que pertence ao grupo LVMH.
 
As ações da Safilo fecharam em alta de 10,5% após o anúncio da renovação de um contrato de licença com a marca Marc Jacobs, da LVMH, aliviando o medo da perda de outro contrato.Nos últimos anos, a Safilo tem enfrentado dificuldades para aumentar as vendas e os lucros, uma vez que grandes grupos de luxo, como Kering e LVMH, estão a encerrar acordos de licenciamento de marcas como Gucci e Dior para internalizar a produção de óculos.

A segunda maior fabricante de óculos do mundo disse na segunda-feira (9) que adquiriu 70% da marca californiana, Blenders Eyewear, numa tentativa de aumentar as vendas online, através de um acordo que avalia a marca de óculos de surf e esqui em 90 milhões de dólares.

"A saída das licenças de luxo da LVMH torna necessário que a Safilo inicie um plano de reorganização e reestruturação industrial que responda rapidamente ao novo cenário de produção que a empresa enfrentará, reajustando a sua pegada de fabrico", afirmou a Safilo em comunicado.

A empresa reduziu a sua previsão de receita líquida para o próximo ano para entre 960 milhões e mil milhões de euros, contra estimativa de 1 a 1,2 mil milhões de euros anunciada em agosto. A empresa também reduziu a sua previsão de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EDITDA) para cerca de 6% das vendas, ante 8% a 10% anteriormente. 

De acordo com a empresa, estas estimativas refletem a queda nas vendas relacionadas com a perda do contrato da Dior, anunciado em julho deste ano. A LVMH deverá recorrer à Thelios, a sua joint-venture com a Marcolin e concorrente da Safilo.

A Safilo prevê custos de reestruturação de cerca de 50 milhões de euros no seu plano estratégico para 2020/24. A empresa afirmou que quer atingir uma margem EBITDA ajustada entre 9 e 11% em 2024, contra os 5,5% esperados este ano.

© Thomson Reuters 2021 All rights reserved.