×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
12 de out. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Salvatore Ferragamo: mudança de direção para América do Norte e EMEA

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
12 de out. de 2021

Continuam as grandes manobras na Salvatore Ferragamo, em vésperas da tomada de posse, em janeiro, do seu novo CEO, Marco Gobbetti. Desde o anúncio, em junho, da chegada do líder da Burberry ao comando da marca de luxo italiana, ocorreram múltiplas mudanças no organograma. Mais recentemente, a nomeação de dois novos CEOs para a América do Norte e região EMEA (Europa, Médio Oriente, África).

Danielle Vitale e Vincenzo Equestre - DR

 
Como outras casas de moda, a Salvatore Ferragamo está a fortalecer a sua presença nos Estados Unidos, um mercado em rápida recuperação e expansão para o setor de luxo após o período de pandemia. Para impulsionar esta região crucial e suceder a Donald Kohler, que deixou a empresa em abril passado, a marca escolheu um peso pesado: Daniella Vitale, uma executiva americana com um currículo de prestígio.
 
Foi precisamente na Ferragamo que começou a sua carreira, logo após ter-se formado no Laboratory Institute of Merchandising e depois no Fashion Institute of Technology de Nova Iorque. Posteriormente, mudou-se para a filial americana da Giorgio Armani, onde lidou com as vendas por atacado, e depois para a Gucci em 1999, onde se tornou CEO em 2006.

Em 2010, ingressou nos grandes armazéns nova-iorquinos Barneys, onde subiu rapidamente na hierarquia para assumir a direção em 2017 até ao final de 2019, quando se transferiu para a Tiffany & Co. como diretora de marca (chief brand officer) e vice-presidente executiva.
 
Outra nomeação foi a de Vincenzo Equestre, que substitui à frente da região de EMEA Corinne Ortega, que partiu em setembro. Formado em economia pela Universidade de Nápoles, Equestre, que começou a sua carreira na Unilever e depois continuou na L'Oréal, vem da galáxia LVMH, onde passou os últimos vinte anos, à exceção de uma passagem pela Ermenegildo Zegna, onde foi diretor EMEA entre 2007 e 2011.
 
Na LVMH, ocupou diferentes cargos de responsabilidade, mais recentemente o de vice-presidente internacional de vendas e distribuição da marca de joalharia Chaumet, e anteriormente o de responsável pelos mercados de Itália, Espanha, Portugal e Marrocos para a Louis Vuitton, e depois de diretor-geral para a Europa na Christian Dior.
 
Há poucos dias, a marca florentina deu as boas-vindas ao empresário francês Frédéric Biousse (ex-SMCP) no seu conselho de administração. Além disso, em setembro revelou a sua nova coleção feminina de pronto-a-vestir assinada pelo designer francês Guillaume Meilland, que assumiu funções após a saída do diretor artístico Paul Andrew.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.