×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de mai. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Scalpers paralisa venda devido à incerteza económica global

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de mai. de 2022

A Scalpers congelou a sua venda. Após contratarem o banco de investimentos Arcano no início do ano para esse efeito, Jaime Bergel e Pedro Sainz de Baranda, proprietários de 70% da empresa, optaram por paralisar o processo devido à incerteza económica global.


Uma das lojas da Scalpers - Scalpers


O referido banco estava a preparar o caderno de venda para o apresentar a potenciais compradores, mas, afinal, foi decidido colocar a operação em pausa, conforme avança o jornal El Confidencial.
 
Os motivos? A instabilidade económica decorrente dos últimos golpes da pandemia e da guerra na Ucrânia, que está a afetar diretamente o consumo e que pode ser medida através de indicadores como a inflação, a previsão de queda do PIB ou o aumento dos custos de produção e logística.

Antes da invasão da Ucrânia pela Rússia, e num contexto económico mais favorável, os principais proprietários da Scalpers optaram por testar a venda da empresa, que fechou 2021 em alta com um Ebitda de 16 milhões de euros e um crescimento de 50% no último exercício financeiro, para uma faturação de 110 milhões de euros. Com esta trajetória, a empresa colocaria a sua avaliação em 160 milhões de euros, embora o preço de venda dos acionistas rondasse os 200 milhões de euros, segundo os referidos meios de comunicação.
 
Nascida em Sevilha em 2007, a Scalpers pertence em 70% a Jaime Bergel e Pero Sainz de Baranda desde 2017. Os investidores entraram no capital em 2014, mas só então adquiriram a participação a três dos sócios fundadores, Alberto Artacho, Marcos Ybarra e Laura Vecino, esposa de Rafael Medina, que passou a fazer parte do grupo Inditex (e atualmente trabalha para o WOW, projeto comercial de Dimas Gimeno).

Outros 20% da participação estão nas mãos de Borja Vázquez e Alfonso Vivancos, também cofundadores da empresa. Os restantes 10% pertencem ao Phoenix Group juntamente com sócios minoritários.
 
O grupo Scalpers integra não só a marca homónima, mas também a marca de calçado Mim Shoes e a marca de moda cerimónia Victoria. Além disso, em 2018 adquiriu uma participação maioritária na marca Jorge Vázquez.
 
Para lá da sua venda, a marca Scalpers continua a ganhar terreno: no decorrido deste ano, instalou uma flagship store para a sua linha feminina na calle Claudio Coello, em Madrid, e selou a sua entrada no Chile. No total, soma 250 pontos de venda (entre lojas próprias e corners no El Corte Inglés e El Palacio de Hierro) em seis países e emprega diretamente 1300 pessoas.

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.