Sears prepara-se para declarar falência na sexta-feira

(Reuters) - A Sears Holdings prepara-se para se colocar a partir de sexta-feira sob proteção do Capítulo 11, a lei de falências americana, revelaram fontes na quarta-feira, lançando dúvidas sobre o futuro da antiga número um mundial da distribuição, cuja ação caiu para uma baixa histórica em Wall Street.



O CEO Eddie Lampert e um comité especial do conselho de administração reconhecem agora que apenas um processo supervisionado pelo tribunal pode determinar o futuro da empresa, declarou uma fonte próxima da administração. Estão em andamento discussões para organizar o financiamento do grupo com vista a um pedido de falência que poderá ocorrer nos próximos dias, acrescentou a fonte.
 
A Sears, que era líder mundial da distribuição na década de 1960, ofereceu uma ampla gama de produtos que vão de brinquedos a peças de automóveis, passando pela venda por correspondência. O grupo estava presente em quase todos os grandes centros comerciais dos Estados Unidos. Mas, nos útimos dez anos tem sofrido com a concorrência da Amazon e outros distribuidores, por falta de especialização.
 
Em setembro, Eddie Lampert, um dos principais acionistas da Sears, propôs uma série de medidas destinadas a evitar a falência da distribuidora, uma vez que o grupo precisa de dar resposta a uma escassez de liquidez e a prazos de pagamento de dívida.
 
Sete anos de perdas consecutivas

O Wall Street Journal noticiou na noite de terça-feira que a Sears havia pedido à empresa M-III Partners LLC que se preparasse para uma eventual falência, que poderia ocorrer antes do pagamento de uma dívida de 134 milhões de dólares, que expira na próxima segunda-feira. O WSJ escreve que Eddie Lampert quer reestruturar a dívida da Sears sem passar pela lei de falências, visto considerar a bancarrota arriscada para os retalhistas.

O jornal acrescentou que o chefe da Sears, que já havia resgatado a empresa no passado, poderia fazer o pagamento para evitar uma reestruturação judicial. A Sears não fez qualquer comentário relativamente a esta informação.
 
O grupo com sede em Hoffman Estates, Illinois, sofreu perdas durante sete anos consecutivos e as suas vendas não aumentaram desde a crise financeira de 2008.

Eddie Lampert, também gestor do fundo especulativo ESL Investment, acionista da Sears, propôs uma série de medidas para tentar evitar a falência, estimando que a distribuidora deveria reduzir a sua dívida para 1,2 mil milhões de dólares, contra os 5,6 mil milhões atuais.
 
O multimilionário propôs em abril que a Sears lhe vendesse a sua marca de bricolage Kenmore e os seus negócios de serviços ao domicílio por 480 milhões de dólares. O comité especial da Sears está a considerar a oferta.

A Sears alertou que poderia cessar as operações enquanto aguarda a aprovação do comité para essa transação. Eddie Lampert, também de acordo com o WSJ, acredita igualmente que a Sears poderia valorizar melhor os seus ativos vendendo-os enquanto estiver em atividade.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2018 All rights reserved.

Distribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER