Semana da Moda de Paris de luto por Karl Lagerfeld

Poucos dias após a morte de Karl Lagerfeld, o mundo da moda irá reunir-se na segunda-feira (25), em Paris, para iniciar uma Fashion Week de luto. O gigante da moda Lagerfeld não queria um funeral e muito menos um tributo público, mas estará nos pensamentos de todos. Especialmente a 5 de março, o dia do desfile da Chanel, que encerrará a maratona de desfiles para as coleções de outono-inverno 2019-20, de Nova Iorque, Londres, Milão e, por fim, Paris. O desfile da Chanel, que apresentará as últimas criações do Kaiser com o seu braço direito Virginie Viard, a sua sucessora na marca parisiense, já é considerado o ponto alto de uma semana repleta de emoções.


Karl Lagerfeld cumprimenta o público após o desfile de outono-inverno 2018 da Chanel, há um ano - © PixelFormula

Enquanto o ícone da moda de Paris se foi, depois de dominar o panorama durante quase meio século, a capital francesa está pronta para abraçar a próxima geração de estilistas, com um número surpreendente de novos nomes. Mais de uma dúzia estão incluídos no programa de apresentação (Faith Connexion, Gauchère, Karim Adduchi, Kimhekim, Kristina Fidelskaya, Kwaidan Editions, Mame Kurogouchi, Moohong, Unravel Project, Walk of Shame, Cukovy, Maison Mai, Magda Butrym e Savoar Fer) e quatro vão desfilar nas passarelas pela primeira vez.
 
A primeira será a Rokh, marca do talentoso sul-coreano Rok Hwang, formado pela escola Central Saint Martins e vencedor de um prémio especial do Prémio LVMH 2018, que vai dar o tiro de partida para a semana a 25 de fevereiro com a sua moda fluída e desconstruída. Antes de lançar a marca de prêt-à-porter feminina em Londres, em 2015, Hwang, que cresceu no Texas, trabalhou com Phoebe Philo na Céline e também colaborou em vários projetos com a Chloé e a Louis Vuitton.
 
No dia seguinte, terça-feira, dia 26, será a vez de Dawei realizar o seu primeiro desfile. A marca foi lançada em setembro de 2016 pelo designer chinês Dawei Sun, que reside em Paris há muito tempo e é dono de um estilo contemporâneo e ao mesmo tempo sofisticado e simples, misturando três vertentes: um toque desportivo urbano jovem e divertido, minimalismo e um toque de poesia e romantismo.
 
Dawei Sun já tem uma notável experiência em moda: depois de se formar em 2005 na escola da Chambre Syndicale de la Couture Parisienne (a câmara da união dos costureiros de Paris), em 2010 lançou a sua primeira marca, Belle Ninon, com Ling Liu, com quem também trabalhou no estilo da Cacharel até 2013.


Look da coleção primavera-verão 2019 da Dawei

No último dia da semana, 5 de março, logo após o desfile da Chanel, Cyclas e Jarel Zhang também farão os seus primeiros desfiles parisienses. Cyclas é uma marca de prêt-à-porter de luxo dotada de um estilo minimalista e descontraído e elegância sofisticada e atemporal. A ex-compradora de moda japonesa Keiko Onose trabalha neste projeto há quase 10 anos. A Cyclas atraiu inicialmente uma clientela privada, incluindo muitos influenciadores e nomes da indústria, e foi lançada oficialmente em Paris com uma série de apresentações em 2016.
 
Onose trabalhou durante 13 anos como diretora de compras de moda feminina numa grande loja multimarca japonesa. Em 2017, fundou uma rede de retalho, a The Secretcloset, especializada em moda de designers de luxo, operando quatro lojas em Tóquio e uma em Nagoya. Em 2016, a Cyclas foi introduzida em Nova Iorque com exclusividade na Bergdorf Goodman. Fora do Japão, a marca é distribuída nos Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Itália, Coreia do Sul e Singapura.
 
Jarel Zhang nasceu na China e estudou na University of the Arts, em Londres, e depois na Northumbria University. A marca que lançou em 2015 é reconhecida pelo seu estilo inovador e futurista. Zhang apresentou-se em Nova Iorque, Londres e, em março do ano passado, em Paris, antes de finalmente chegar às passarelas parisienses nesta temporada.
 
Três marcas vão regressar às passarelas e serão examinadas de forma minuciosa na Semana da Moda de Paris: Lanvin, Nina Ricci e Lacoste, todas com novos diretores criativos. Para o estilista francês Bruno Sialelli, o dia 27 de fevereiro será marcado por uma grande estreia: tendo trabalhando anteriormente na Loewe, Balenciaga e Paco Rabanne, Sialelli foi contratado pela Lanvin em janeiro. A marca parisiense é controlada pelo grupo de investimento chinês Fosun e está a passar por um renascimento.


Bruno Sialelli fará a sua estreia como diretor criativo da Lanvin durante a semana

A curiosidade em torno do desfile da Nina Ricci marcado para o dia 1 de março também está a aumentar: a marca francesa, após a saída de Guillaume Henry, que foi para a Patou, deu o passo radical e ousado de entregar a sua direção criativa à jovem dupla Rushemy Botter, de 33 anos, e Lisi Herrebrugh, de 29 anos, ambos vencedores do Hyères Festival 2018 e finalistas do Prémio LVMH. Botter é originário da ilha caribenha de Curaçao e estudou no AMFI, o instituto de moda de Amesterdão. Herrebrugh, o seu parceiro de trabalho e vida, é formado pela Academy em Antuérpia, na Bélgica, onde ambos moram há nove anos. O casal foi um sucesso em Hyères com uma coleção de roupa masculina altamente inventiva e envolvida, com destaque para os seus fatos desconstruídos e criados com infinitas variações.
 
A terceira "novata" não é, na verdade, exatamente novata. Trata-se de Louise Trotter, que no dia 5 de março apresentará o seu primeiro desfile para a Lacoste, onde substituiu Felipe Oliveira Baptista. A designer britânica teve uma brilhante carreira como diretora criativa da Joseph em Londres.

Trotter trabalhou anteriormente como diretora criativa da retalhista de moda premium Jigsaw, depois de começar a sua carreira nos Estados Unidos, primeiro na Calvin Klein e depois na Gap, como vice-presidente de design e desenvolvimento de produtos para a moda feminina, antes de ser nomeada vice-presidente sénior de moda e diretora criativa da linha high-end H Hilfiger.

A Kenzo também está de volta. A marca saltou a semana de moda de setembro para preparar o novo projeto "see now, buy now", que será implantado com a sua nova linha Memento, inspirada nos arquivos da marca. A coleção Memento no. 4 estará imediatamente disponível para venda após a sua apresentação a 27 de fevereiro.
 
Além destas novidades, a semana contará com desfiles de todas as marcas parisienses de maior prestígio, como Christian Dior, Saint Laurent, Chloé, Celine, Hermès, Balenciaga e Givenchy, bem como uma infinidade de marcas de designers internacionais como Alexander McQueen, Yohji Yamamoto, Issey Miyake, Miu Miu, Dries Van Noten e Thom Browne.

Dez marcas estarão fora do calendário oficial nesta temporada, entre as quais Paul and Joe, que na verdade serão exibidas fora do calendário no domingo, 3 de março, às 15h. Depois de um teste em Paris na última temporada, a Ximonlee, com sede em Berlim e em Xangai, não fará parte do calendário parisiense, assim como a A.W.A.K.E., que se apresentou em Nova Iorque na semana passada.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER