×

Semana da Moda de Paris: nove dias e um programa intenso

Publicado em
today 20 de set de 2019
Tempo de leitura
access_time 5 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Depois de Nova Iorque, Londres e Milão, Paris encerra a maratona de desfiles femininos de prêt-à-porter para a primavera-verão de 2020. A Semana da Moda de Paris, que começa na segunda-feira, promete ser muito intensa com 76 desfiles de moda, assim como na última temporada.


A marca Patou faz um grande regresso nesta temporada - ph Marc Hibbert


É claro que esta nova edição irá contar com a presença das maiores maisons de luxo, da Dior à Chanel, passando por Louis Vuitton, Balenciaga, Celine e Saint Laurent, mas também com novidades interessantes com quatro marcas que se estreiam no calendário parisiense e uma nova direção artística na Issey Miyake. O relançamento da história marca Patou pela gigante LVMH também promete ser imperdível.

São esperados mais de 5 mil visitantes na Cidade Luz de 23 de setembro a 1 de outubro. Estes irão descobrir as tendências e novidades para primavera-verão de 2020. Além dos 76 desfiles, o programa oficial terá uma infinidade de apresentações e eventos especiais, enquanto, paralelamente, incontáveis marcas emergentes farão desfiles fora do calendário oficial em busca de visibilidade.

Entre os sortudos, três jovens marcas conseguiram ser aceites no calendário oficial: Mame Kurogouchi, Kimhékim e Kwaidan Editions. Três marcas que, na última temporada, passaram a fazer parte do programa de apresentações da Federação de Alta Costura e Moda. Mame Kurogouchi abrirá a temporada na segunda-feira, dia 23, às 18h.

A designer Maiko Kurogouchi, que fundou a sua marca em 2010, faz parte da nova geração de designers japoneses que vão para Paris em busca de visibilidade internacional. Pouco conhecida pelo público, ela já é consolidada e reconhecida no Japão. A estilista, que trabalhou na Issey Miyake, combina o know-how tradicional e as novas tecnologias com materiais técnicos inovadores, oferecendo um vestuário luxuoso e poético.


Chanel - Coleção Cruise 2020 - Moda feminina - Paris - Pixel Formula


O seu desfile será seguido pelo da Kimhékim, às 19h, marca coreana lançada em 2014 por Kiminte Kimhékim. Formado em 2009 pelo Studio Berçot, o designer trabalhou dois anos na Balenciaga sob a direção de Nicolas Ghesquière. O estilista, que tem cerca de cinquenta revendedores, oferece uma neo-costura inspirada nos trajes tradicionais do seu país de origem.

A Kwaidan Editions vai encerrar a Semana da Moda na terça-feira, 1 de outubro. Lançada em 2016 pela francesa Léa Dickely e pelo vietnamita-americano Hung La, a marca londrina, finalista do Prémio LVMH 2018, já atraiu a atenção de várias grandes multimarcas ao redor do mundo. A dupla conheceu-se na Royal Academy of Fine Arts de Antuérpia. Após várias colaborações para grandes marcas, criaram a sua marca própria, que cultiva um espírito sombrio e cinematográfico, como evidenciado pelo seu nome, extraído do antigo filme de fantasia japonês Kwaidan, de Masaki Kobayashi.

Além destas novidades, a Semana da Moda terá outros eventos imperdíveis, como o relançamento da Patou. Adquirida em 2018 pela gigante do luxo LVMH, a marca histórica Jean Patou, cujo negócio de alta costura foi interrompido em 1987, faz o seu grande regresso sob a liderança de Guillaume Henry, estilista que trabalhou para relançar a Carven antes de ingressar na Nina Ricci. Não haverá desfile para esta primeira coleção, mas uma apresentação discreta, que está prevista para quarta-feira, 25 de setembro.

Um dos outros destaques da semana parisiense será o desfile da Issey Miyake na sexta-feira, dia 27, no qual será apresentada a primeira coleção de Satoshi Kondo, a nova estilista responsável pelas linhas femininas da marca japonesa, sucessora de Yoshiyuki Miyamae.

Outro evento imperdível será o desfile da Chanel no dia 1 de outubro, com a primeira coleção de prêt-à-porter da estilista Virginie Viard, depois das coleções Cruise e Alta Costura. A Schiaparelli também promete atrair muitos curiosos. Após o seu desfile de Alta Costura em julho, Daniel Roseberry, que assumiu o cargo de Bertrand Guyon no ano passado, apresentará a sua primeira coleção de prêt-à-porter no domingo.

Por fim, no sábado, 28 de setembro, haverá o regresso da Yang Li. A marca underground londrina do designer chinês homónimo, que desfila em Paris há alguns anos, ausentou-se do evento em fevereiro, optando por uma experiência original. Um "Automatic Show", como o batizou, para divulgar a sua coleção através do Instagram de cerca de vinte personalidades internacionais, publicando cada uma uma fotografia vestida com um dos novos modelos do estilista.


Mame Kurogouchi abrirá a temporada na segunda-feira - DR


Por outro lado, nesta temporada não teremos a presença de Jacquemus, que escolheu apresentar um desfile misto feminino e masculino em junho na sua terra natal, a Provence, para comemorar os seus dez anos de existência. A Kenzo, que está em fase de transição após a sua mudança de direção artística, com Felipe Oliveira Baptista a substituir a dupla Carol Lim e Humberto Leon, também ficará de fora.

Depois de dois desfiles em Paris, a marca Marques'Almeida, dirigida pela dupla Marta Marques e Paulo Almeida, voltou a Londres nesta temporada. Outra deserção surpresa é a da Cyclas. A marca fundada em 2016 pela japonesa Keiko Onose, que se apresentou nas passarelas parisienses em março deste ano, após vários desfiles "fora" da capital, saiu do calendário, pois a designer desligou-se da marca.

Apesar de algumas ausências, haverá muitos eventos imperdíveis, como o tributo "A Tribute to Karl: The White Shirt Project", que se irá realizar a 25 de setembro por Carine Roitfeld na loja Karl Lagerfeld da rua Saint Guillaume. Para a ocasião, várias personalidades, incluindo Cara Delevingne, Tommy Hilfiger e Kate Moss, revisitaram a mítica camisa branca do costureiro alemão.

Também na agenda, a apresentação da Coperni, que oferecerá também no dia 25 um formato inovador na Apple Store da Champs-Elysées. A segunda coleção de Arnaud Vaillant e Sébastien Meyer será apresentada num video wall, enquanto os designers ilustrarão o seu trabalho para os sortudos que se inscreveram a tempo para o evento.

Além de Coperni e Patou, como parte das apresentações do programa da federação, também merecem destaque as da Joseph, sob a direção criativa de Susana Clayton; Nicolas Lecourt Mansion, vencedor do Andam Creative Label Award de 2019; Calvin Luo, recém-chegado de Nova Iorque; o regresso de Nehera; a chegada de Nanushka, fundada na Hungria em 2006 por Sandra Sandor; e Sadaels, a marca do belgo-argentino Juan Hernandez Daels.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.