ShowroomPrivé: vendas diminuem no primeiro trimestre

O portal de vendas ShowroomPrivé registou no primeiro trimestre uma queda de 2,3% no seu volume de negócios líquido, para 147,3 milhões de euros. Um declínio limitado a 1,76% excluindo os efeitos da suspensão dos sites alemão, polaco e multidivisa do grupo.


Peças IRL, marca própria do ShowroomPrivé - ShowroomPrivé

Este início de ano foi particularmente lento, com um cesto médio de 40,5 euros, uma queda de 0,1%, e um número médio de pedidos de 2,3, um recuo de 0,8%. Isto, somando a um número de compradores em queda de 2,3%, para 1,4 milhões, resultou num volume de negócios por comprador em contração de 0,9%, para 92,9 euros.
 
"O fecho da atividade em alguns países (Alemanha, Polónia) afetou logicamente o nosso crescimento, especialmente porque a conjuntura permaneceu pouco favorável, nomeadamente com um mês de fevereiro difícil para o consumo", explicam os co-dirigentes Thierry Petit e David Dayan. "Neste contexto, permanecemos mais do que nunca focados em implementar os nossos motores de crescimento e em otimizar a rentabilidade, o nosso principal objetivo para o Plano de Desempenho 2018-2020."
 
O grupo indica que continuará a implementar um controlo rígido das despesas operacionais, a otimizar as despesas de marketing e a racionalizar as funções de suporte. Soma-se a isso o fortalecimento das equipas comerciais, cuja missão é atrair novas marcas através dos 10 milhões de compradores que o portal tem em França.

No ano passado, o ShowroomPrivé registou um volume de negócios de 900 milhões de euros e uma faturação de 672 milhões de euros, um aumento de 3% graças a um bom fim de ano. O grupo, que conseguiu reduzir as suas perdas para 4,4 milhões de euros contra 5,2 milhões um ano antes, emprega agora pouco mais de 1.150 pessoas.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - DiversosDistribuiçãoNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER