×
307
Fashion Jobs
Por
Portugal Textil
Publicado em
5 de dez. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Shree Scarves tece da India para Lisboa

Por
Portugal Textil
Publicado em
5 de dez. de 2022

A nova marca de écharpes tem origem na India, onde cada peça é tecida à mão por artesãos locais, e sede em Lisboa. Do Ikat, uma técnica tradicional de tingimento, ao Bagh com seda crua e à Pashmina de caxemira, o rol de propostas da Shree Scarves tende ao infinito.


©Shree Scarves


Lajja Sambhavnath, formada na área da moda e dos têxteis, foi-se apercebendo da importância das peças feitas à mão ainda durante o curso e das mensagens culturais que as mesmas poderiam transmitir. Em 2010, trouxe para Lisboa a herança cultural da índia, que quer apoiar e perpetuar, agora com um projeto materializado que batizou Shree Scarves. «Shree é a sua segunda pele, que complementa o seu estilo, que o define, e define a sua essência. É um delicado poema sobre tecido, escrito com as linhas da vida», explica.

Fabricadas à mão de forma simples, natural e «sempre com belos significados», as écharpes têm raízes em civilizações milenares e «são veículos de mitos, lendas, histórias e crenças que são transportadas para as criações. Cada écharpe tem uma história para partilhar», afirma Lajja Sambhavnath.

A fundadora da Shree Scarves pretende com este projeto ser um elo de ligação com «os artesãos tradicionais indianos, trazendo as suas histórias e os conceitos primordiais de vida orgânica sustentável, sem desperdício e amiga do ambiente, expressos através das suas criações de écharpes feitas à mão», aponta.


©Shree Scarves


As técnicas utilizadas na elaboração das peças são transmitidas de geração em geração. Dos requintados Ikats, uma técnica tradicional de tingimento, aos tecidos produzidos à mão apelidados de Baghs, com seda crua por exemplo, e Pashminas), com caxemira, «a lista das écharpes indianas é interminável», aponta.

Assumidamente uma marca slow fashion, a Shree Scarves «procura constantemente o valor e a substância na moda e, simultaneamente, um equilíbrio entre o conhecimento milenar atemporal e as necessidades funcionais da atualidade», justifica Lajja Sambhavnath.

Tendo em conta os seus valores e herança cultural, a Shree Scarves foi reconhecida pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, que convidou Lajja Sambhavnath para fazer parte do bazar diplomático da Embaixada da Índia em Portugal, e também pelo Turismo da Índia em Paris, para apresentar exposições com curadoria em festivais internacionais de cinema e outros eventos.

Copyright © 2023 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.