×

Sonae Sierra: lucros mantêm-se nos 110 milhões em 2018

Publicado em
today 21 de mar de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A Sonae Sierra, empresa do grupo Sonae que opera no mercado imobiliário de retalho, registou em 2018 um resultado líquido de 110 milhões de euros. E, embora não haja evolução em relação a 2017, trata-se de um resultado positivo quando comparado com o último balanço anual, no qual a empresa anunciou uma queda de 39% no seu resultado líquido.
 

Em fevereiro foi inaugurado o Jardín Plaza Cúcuta, o primeiro centro comercial da Sonae Sierra na Colômbia - Fotografia: Divulgação


Num comunicado divulgado esta quinta-feira (21), a Sonae Sierra indica que ao longo do último ano se manteve focada “no desenvolvimento da sua estratégia de longo prazo: reciclagem de capital, crescimento da sua atividade de prestação de serviços e desenvolvimento de novos projetos”.
 
Assim, explica, em 2018 “vendeu perto de 600 milhões de euros de Valor Bruto de Ativos em centros comerciais com ganhos significativos, viu o EBIT dos Serviços crescer 11% face ao ano anterior”. Além disso, “investiu mais de 165 milhões de euros em expansões, como a do NorteShopping”, e ainda no desenvolvimento de dois outlets em Espanha e na Grécia, além da construção do centro comercial Jardín Plaza Cúcuta na Colômbia, o primeiro da empresa no país, inaugurado em fevereiro.

Além dos projetos acima mencionados, em 2018 a empresa vendeu o CoimbraShopping e fez uma diluição parcial do SerraShopping. Além-fronteiras, adquiriu os restantes 50% do ParkLake, na Roménia e associou-se ao promotor imobiliário eslovaco Peter Korbačka para comprar os centros comerciais espanhóis GranCasa, Max Centre e Valle Real.
 
No que diz respeito ao resultado direto, este evoluiu 3% para 66,5 milhões de euros, enquanto o resultado indireto chegou aos 43,6 milhões, fruto “dos ganhos das vendas de 2018 e dos ganhos com a abertura do Fashion City Outlet, na Grécia, e do aumento da valorização das Propriedades de Investimento”, pode ler-se no documento.
 
Já o EBIT (resultados antes de juros e impostos) subiu 2,8% para 107,7 milhões de euros (105 milhões em 2017), refletindo o melhor desempenho do seu portefólio
”na Europa e no Brasil, bem como a melhoria no desempenho da área de Serviços”. Numa base comparável, excluindo o efeito de vendas de ativos em 2017 e da desvalorização do real brasileiro, este indicador cresceu 5,5% em 2018.
 
Ao longo do ano, as vendas dos lojistas do portefólio europeu da empresa subiram 2,1% face a 2017, merecendo destaque um aumento de 10,8% em Espanha e de 11,5% na Roménia. Numa base comparável, as vendas evoluíram 2,3% na Europa, um resultado que se deve ao “ forte desempenho dos centros comerciais em Portugal (3,1%), Espanha (5,5%) e Roménia (11,5%)”.
 
Em termos de ocupação, na Europa a taxa de ocupação global manteve-se nos 97,1%, com Portugal a registar uma percentagem 99,1%. No Brasil, após uma descida em 2017, a taxa de ocupação evoluiu de 92,5% para para 93,4%.

No comunicado, a Sonae Sierra indica ainda que em 2018 “refinanciou um montante total de cerca de mil milhões de euros da sua dívida, numa base de 100%, levando a um decréscimo de 30 bps (pontos base) do custo médio da dívida para 3,5%”. A 31 de dezembro de 2018 o Net Asset Value da empresa atingiu 1,5 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 1,6% (3,7% excluindo o efeito da variação da taxa de câmbio), apesar da distribuição de dividendos e do efeito adverso da desvalorização do real brasileiro.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.