×
279
Fashion Jobs
ADIDAS
Senior Controlling & Reporting Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
TIFFOSI
Area Manager (m/) - Zona Norte
Efetivo - CLT · Braga
ADIDAS
Buyer - Italian Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
M+RC NOIR
Production Manager
Efetivo - CLT · ESPOSENDE
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
THE AMAZING FRENCH COLONY
Fashion Designer Assistant
Estágio · LISBOA
EMPRESA DE MODA NO SETOR DO LUXO
Vendedor/a de Loja de Gama Alta
Trabalho temporário · LISBOA
ELSA GOES GREEN
Business Development
Estágio · ERICEIRA
CH CAROLINA HERRERA
Vendedores Eci Lisboa (36 h)
Trainee · LISBOA
CONFIDENCIAL
Stylist (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
SALSA
Conseiller(es) de Vente Avenue 83 Toulon 30h
Efetivo - CLT · Toulon
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Eci Lisboa - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Lisboa
ADIDAS
Team Leader o2c Credit And Collections (m/ f) - German Speaker
Efetivo - CLT · Porto
PARFOIS
Interior Designer
Efetivo - CLT · PORTO
ADIDAS
Tax Accountant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Senior o2c Credit And Collections Specialist (m/ f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Gbs Process Manager s2p (m/ f)
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Freeport - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Alcochete
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Oeiras Parque - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Oeiras
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Fórum Aveiro - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Aveiro
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Foz Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Figueira da Foz

Stella McCartney é forçada a reestruturar-se

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
22 de jul de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Stella McCartney viu a sua situação deteriorar-se com a pandemia do coronavírus COVID-19, vendo-se forçada a adoptar um plano de reestruturação. Segundo informações da revista americana WWD (a qual teve acesso a um comunicado interno escrito pelo CEO Gabriele Maggio, como parte desse plano), a marca apoiada pelo grupo LVMH, prevê demissões, cortes salariais e fecho de lojas.
 

Stella McCartneyno seu último desfile, em março - © PixelFormula


A marca sustentável, dirigida pela fundadora e designer homónima, já estava a enfrentar dificuldades. Após a sua criação em 2001, através de uma joint-venture com o grupo Kering, Stella McCartney recuperou o controlo da sua marca no início de 2018, comprando as próprias ações.
 
Esse investimento, somado aos custos adicionais incorridos na transação, que a privaram do apoio logístico da Kering, pesaram nos resultados da empresa. No final de 2018, a marca registou um prejuízo operacional de 11,45 milhões de euros, enquanto as vendas permaneceram estáveis ​​em 48,8 milhões de euros. Esta situação levou Stella McCartney a aproximar-se da LVMH que, em julho de 2019, adquiriu uma participação minoritária na empresa.

Com o fecho das lojas durante os meses de contenção e a atual recuperação lenta, a marca precisou considerar uma redução acentuada nos custos. De acordo com o documento citado pela WWD, alguns funcionários foram solicitados a fazer cortes nos salários "por um período prolongado", enquanto a designer renunciou integralmente a ganhos durante a pandemia.
 
Além disso, a rede de vendas, composta por cerca de 50 lojas, será reduzida com a conversão de determinadas lojas em franquias e parcerias com distribuidores retalhistas. A empresa também está a considerar reduzir a equipa, embora Gabriele Maggio tenha dito, no início da semana, que "não foi tomada nenhuma decisão referente a demissões".
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.