×

Stella McCartney: lucros crescem no Reino Unido, mas o crescimento desacelera

Publicado em
today 22 de nov de 2018
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Stella McCartney continua expandindo no Reino Unido para o ano fiscal e civil de 2017, mostrando vendas e lucros crescentes em seu mercado interno.


Stella McCartney expandenúmero de lojas - Hufton / Crow


No entanto, esses números do Reino Unido não mostram exatamente que ele progrediu de forma desajeitada, com receitas acima de apenas 2,1%, para 42,5 milhões de libras, e o lucro líquido subindo 1,5%, para 7,1 milhões de libras. O lucro antes dos impostos foi de £ 9,08 milhões, abaixo dos £ 9,51 milhões no ano anterior. E o lucro operacional caiu 4% para £ 9,1 milhões, depois de subir até 43% no ano anterior.

Então, por que 2017 foi tão diferente de 2016? Bem, as vendas subiram até 31% um ano antes, mas foram artificialmente impulsionadas na Grã-Bretanha pelo efeito Brexit. Naquela época, após a votaçao da Brexit tendo por consequencia a queda do valor da libra, turistas de luxo aumentaram na capital Inglesa. Várias marcas de luxo do Reino Unido já disseram que o fluxo de turistas desacelerou após o impacto inicial, distorcendo seus resultados para pintar um quadro mais negativo do que eles talvez merecessem.

Voltando a McCartney, os números, como mencionado, cobrem as atividades da marca no Reino Unido e seu funcionamento, mas é o que podemos observar de como a marca está indo, pois a conta geral da empresa é transferida para o grupo Kering. McCartney deve retomar o controle do negócio na próxima primavera, é de se esperar que a empresa compartilhe mais informações.

Por enquanto, nas contas, a empresa disse que sua estratégia é consolidar sua gama de produtos exclusivos e de alta qualidade, apoiar seu posicionamento de luxo e melhorar a imagem de suas lojas e portfólio de concessões.

A marca ainda está focado em expandir novas lojas e concessões próprias e tem como alvo a Ásia em particular.

Em entrevista à imprensa ligada aos resultados, o CEO da empresa, Frederick Lukoff, destacou a importância da Ásia, explicando que a coleção de moda masculina da marca, que ainda era nova em 2017, foi bem recebida, especialmente no Japão.

A parte infantil da marca também parece ter tido sucesso na Ásia . A marca opera standalones de moda infantil na Ásia e a resposta a isso tem sido tão boa que planos estão sendo feitos para abri-los também nos mercados ocidentais. Mas primeiro, abrirá mais lojas infantis na China.

 

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.