×
Por
AFP
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
18 de nov. de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Sucesso dos influencers virtuais na Ásia: um antegosto do metaverso

Por
AFP
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
18 de nov. de 2021

De cabelo fluorescente e pele impecável, Bangkok Naughty Boo é um dos influencers das novas gerações na Ásia que prometem permanecer para sempre jovens, divulgando também quiçá eternamente as qualidades do vestuário ou produtos culturais aos seguidores da sua conta Instagram. Este influencer virtual em voga foi criado num estúdio de design na capital tailandesa de Banguecoque.


Influencer virtual, Bangkok Naughty Boo, criado num estúdio de design na capital tailandesa - AFP


Um personagem fictício gerado por computador, a jovem estrela da Internet tailandesa faz assim parte de uma nova geração de influencers que asseguram a eterna juventude na moda e sem escândalos.
 
"Tenho eternamente 17 anos, não sou binário e sonho em tornar-me uma estrela pop", disse Naughty Boo a partir de Banguecoque, numa apresentação de vídeo.

Com a futura chegada do "metaverso", o poder dos influencers virtuais – extremamente populares entre os adolescentes na Ásia – irá crescer, de acordo com os especialistas da indústria.


Influencer virtual tailandesa Ai-Ailynn, em finais de outubro passado - SIA Bangkok/AFP


O COVID-19, que tornou as interações da vida real mais raras, também encorajou o desenvolvimento desta tendência.
 
Ai-Ailynn, uma influencer virtual que apareceu recentemente, está "adaptada ao nosso novo normal" ligada à Covid, segundo os seus designers da agência SIA de Banguecoque, porque não está preocupada com "as limitações impostas aos humanos".
 

"Primeiros habitantes do metaverso"


 
E "os influencers virtuais são perfeitos para o papel dos primeiros habitantes do 'metaverso'", o futuro mundo virtual no qual os gigantes digitais, incluindo o Facebook, estão a trabalhar, disse Nick Baklanov, especialista em Marketing da Hype Auditor.
 
Os influencers virtuais são 130 em todo o mundo, mas espera-se que cresçam a um ritmo acelerado na Ásia, defendem os especialistas da indústria. E que tomem uma quota crescente de um mercado que atingirá 13,8 mil milhões de dólares (12,17 mil milhões de euros) a nível mundial em 2021, de acordo com a Statista, empresa alemã especializada em dados de mercado e consumidores.


A artista tailandesa Adisak “Beam” Jirasakkasem compõe um "mood board" para o influencer virtual, Bangkok Naughty Boo, em outubro passado em Banguecoque - AFP


"A Gen Z é o maior grupo de utilizadores da Internet na Ásia, e é uma geração de utilizadores de Internet que está muito familiarizada com as redes sociais e tudo o que é virtual", explicou Nick Baklanov.
 
Diz-se que o influencer virtual mais rico é Lil Miquela, um robô radicado em Los Angeles, que ganha $7.000 (6175,64 euros) por correio para marcas como a Prada e Calvin Klein.
 
A Organização Mundial de Saúde tem vindo a divulgar informação sobre o coronavírus COVID-19 através da personagem fictícia Knox Frost, seguida por 700.000 pessoas no Instagram.
 
Na Tailândia, Bangkok Naughty Boo assinou com uma grande agência de modelos e Ai-Ailynn é o rosto de uma operadora de telemóveis.
 
"Para as marcas, traz oportunidades e envolvimento do público porque, na Ásia, os conceitos de ídolo e fã estão muito enraizados na cultura", disse Saisangeeth Daswani, analista de Moda e Beleza da Stylus, agência americana de inteligência de tendências.
 
As suas reputações são também protegidas, com influencers virtuais com uma ética de trabalho consistente, sem estilos de vida obscuros, e sem escândalos potenciais com que se preocuparem.
 

"Não envolvimento em escândalos sexuais"


 
"Não farão comentários politicamente incorretos nem se envolverão em escândalos sexuais", explicou Chen May Yee, diretora local da empresa de inteligência virtual Wunderman Thompson.


Artista gráfica digital trabalha o rosto do influencer digital, Bangkok Naughty Boo, em outubro passado em Banguecoque - AFP


Esta é uma vantagem definitiva, especialmente em alguns países onde as figuras públicas podem ser facilmente visadas pelas autoridades.
 
"A recente repressão do governo chinês contra os influencers ricos como ‘vulgares’ e ‘imorais’ é suscetível de aumentar ainda mais o apelo do virtual", disse Chen May Yee.
 
Ai-Ailynn está a atrair um enorme interesse das empresas asiáticas à procura de "inovação e de uma nova ordem mundial" após a pandemia, disse a sua criadora SIA Bangkok.
 
Mas "as pessoas ainda anseiam por autenticidade, a realidade de um influencer da vida real", disse a atriz e modelo Mutchima Wachirakomain, de 25 anos, que conta com dezenas de milhares de seguidores no Instagram.
 
No entanto, o objetivo de Bangkok Naughty Boo é criar e manter uma relação íntima com o seu público.
 
Os seus posts no Instagram, que usam o pronome não binário iel, misturam poses de modelo numa típica rua tailandesa com situações quotidianas, tais como obter uma vacinação ou entornar sem querer o chá.
 
"Espero um dia encontrá-los a todos pessoalmente. Eu amo-vos a todos", disse Wachirakomain à AFP, antes de lançar um beijo à câmara.
 

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.