×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
29 de jan. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Tendam reduz volume de negócios em 23,1% mas mantém EBITDA positivo

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
29 de jan. de 2021

O grupo de moda espanhol que engloba as marcas Cortefiel, Pedro del Hierro, Springfield, Hoss Intropia e Fifty continua a ajustar-se ao golpe da pandemia. No terceiro trimestre do ano, no período de 1 de setembro a 30 de novembro de 2020, a empresa reduziu o seu volume de negócios em 23,1% para 197,2 milhões. Um declínio de 16,7% numa superfície comparável.


Tendam vê futuro digital ligado a lojas físicas - Cortefiel


Uma queda no volume de negócios, em comparação com o mesmo período do ano anterior, que foi condicionada pelos "fechos, restrições e limitações de capacidade da segunda vaga". No entanto, enquanto o plano físico continua a acusar os efeitos causados pela pandemia de COVID-19, as vendas online aumentaram até 79%, de modo que o canal digital já representa 20% do seu volume de negócios no mercado doméstico.

"O futuro é digital, mas tem necessariamente de estar ligado à loja física", disse Jaume Miquel, presidente e CEO da Tendam, por ocasião da apresentação dos resultados financeiros trimestrais. "Defendemos uma rede capilar de lojas que contribui para maximizar o serviço ao cliente, mas também para a estruturação territorial de Espanha, o nosso principal mercado. O nosso ecossistema baseia-se na digitalização, na força dos clubes de fidelidade e numa rede flexível de lojas próximas dos nossos clientes", acrescentou.


Tendam reporta que a segunda vaga de COVID-19 foi pior do que o esperado - Tendam


O EBITDA para o terceiro trimestre atingiu 35,6 milhões de euros (3,5 milhões de euros antes da aplicação da IFRS16), o que o torna positivo pelo segundo trimestre consecutivo. A empresa, que afirmou que, "com a segunda vaga o ambiente foi pior do que o esperado", conseguiu aumentar o seu fluxo de caixa livre em 30,8 milhões de euros graças à melhoria do fundo de maneio impulsionado pela redução de inventários (-15,4%), redução de despesas (-14,2%) e priorização dos investimentos relacionados com a estratégia digital. A 30 de novembro de 2020, o endividamento era de 494,2 milhões de euros, contra 524 milhões de euros em agosto de 2020.

"Estou muito satisfeito com o trabalho que todas as equipas têm feito. Apesar do impacto negativo nas vendas da segunda vaga, a queda nos inventários e despesas permitiu-nos gerar EBITDA positivo pelo segundo trimestre consecutivo, aumentar a geração de caixa e reduzir a dívida, demonstrando a capacidade operacional da empresa", concluiu o executivo.

Atualmente, a Tendam está presente com as suas seis marcas próprias em 70 países através de 1.900 pontos de venda, incluindo lojas próprias, comércio eletrónico e franquias. E também, tal como anunciado em setembro passado, o grupo opera com uma nova plataforma multimarca omnicanal, na qual comercializa marcas de terceiros.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.