×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de fev de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Tod's: vendas caem 30% em 2020

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de fev de 2021

Pelo quinto ano consecutivo, a Tod's registou uma queda nas vendas. A marca de calçado italiana, que atingiu os mil milhões de euros em 2015, registou em 2020 um volume de negócios de 637,2 milhões de euros, encerrando o ano com uma queda de 30,4% a taxas de câmbio atuais (-30,1% a taxas de câmbio constantes), de acordo com os resultados preliminares publicados no final de janeiro.
 

Look para o outono-inverno2021/22 - Tod's


A sua marca principal Tod's, que atingiu quase 600 milhões de euros em 2015, pesa apenas 297,5 milhões de euros, ou seja, um volume de negócios reduzido para metade em cinco anos. A Tod's é também a casa que sofreu a queda mais acentuada nas vendas em 2020 (-35,6%) em relação às demais marcas do grupo, como Fay (-33,3%), Hogan (-28%) e Roger Vivier (-20,2%) .
 
É suficiente dizer que a crise da Covid-19 comprometeu amplamente os esforços levados a cabo pelo grupo de luxo nos últimos anos para elevar a fasquia. A única nota positiva é a melhoria significativa da situação no quarto trimestre, com o volume de negócios a recuar 22,6% para 184,5 milhões de euros face ao período homólogo de 2019. A pandemia voltou a condicionar fortemente os resultados do final do ano, mas de forma diferenciada de acordo com as regiões, como destacou o CEO, Diego Della Valle.

"A China continuou o seu crescimento de dois dígitos, enquanto o mundo ocidental, após uma melhoria modesta em outubro, sofreu uma nova desaceleração devido aos novos confinamentos impostos pelos governos locais para fazer face ao aumento dos contágios", indicou através de um comunicado, referindo-se com satisfação aos resultados alcançados pelo e-commerce, “que registou uma aceleração gradual ao longo do ano e atingiu receitas situadas na faixa mais elevada das expectativas, o que confirma um forte interesse dos clientes pelos produtos” do grupo.

As vendas na rede a retalho registaram igualmente uma ligeira melhoria no quarto trimestre. E o líder do grupo também agradece “o excelente feedback sobre todas as novas coleções, que sabem expressar da melhor forma as características de qualidade, artesanato e exclusividade de cada um dos produtos”. Recorde-se que a marca Tod's tem um novo diretor-geral desde 2019, Carlo Alberto Beretta, e um novo diretor criativo, Walter Chiapponi, chegado alguns meses depois.

Entretanto, o Grupo Tod’s fortaleceu a estrutura do seu capital. A empresa lançou nomeadamente uma emissão de obrigações verdes vinculada aos objetivos de desenvolvimento sustentável, um sustainability-linked loan de cinco anos de 500 milhões de euros contraído junto de um pool de bancos coordenado pelo Intesa Sanpaolo.

A 31 de dezembro de 2020, o grupo de calçado e artigos de couro, conhecido pelos seus mocassins Gommino, contava com 300 lojas próprias e 103 lojas em franchise, em comparação com 290 e 115, respetivamente, em 2019.

Apesar da situação, os executivos mostram um certo otimismo para o futuro, na esperança de colher os frutos de uma reestruturação iniciada há alguns anos, que visa rejuvenescer a imagem da Tod’s, colocando o foco no digital. Confirmando os planos da empresa, Diego Della Valle finaliza: “O nosso objetivo prioritário é consolidar a nossa estratégia de comunicação, especialmente a digital.”

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.